2002
Nosso Dever para com Deus
Notas de rodapé
Tema

Nosso Dever para com Deus

“Ser portador do sacerdócio e cumprir o dever para com Deus não é somente uma grande responsabilidade como também um grande privilégio.”

Quando eu era jovem, fiquei impressionado com a história de Samuel no Velho Testamento. Ana, a mãe de Samuel, cheia de gratidão, dedicou a vida de seu filho a Deus. Ainda menino, ele foi morar e servir no templo. Certa noite, o Senhor o chamou três vezes. Todas as vezes, ele respondeu: “Eis-me aqui”,1 pensando que fosse Eli, o sumo sacerdote. O sábio Eli, sabendo que o pequeno “Samuel ainda não conhecia ao Senhor, e ainda não lhe tinha sido manifestada a palavra do Senhor”,2 percebeu que o Senhor havia chamado o pequeno menino. Ele, então, ensinou a Samuel como responder e, quando o Senhor tornou a chamá-lo, Samuel respondeu: “(…) Fala, porque o teu servo ouve.”3

Ao estudarmos a vida de Samuel, reconhecemos que ele realmente cumpriu o seu dever para com Deus, pois “(…) crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra”.4 Como resultado, Samuel tornou-se um grande profeta e líder.

Espero que vocês, jovens do Sacerdócio Aarônico hoje, entendam que, assim como Samuel, vocês têm um dever sagrado para com Deus. Samuel tinha uma mãe boa e justa, Ana, e um grande líder do sacerdócio, Eli. A grande maioria de vocês, jovens, também tem pais maravilhosos e líderes do sacerdócio inspirados, que cuidam de vocês e estão preparados e dispostos a ajudá-los, tanto a vocês quanto a seus pais, ao tentarem cumprir o seu dever para com Deus.

O Presidente Gordon B. Hinckley, ao falar de vocês e dessa geração de jovens, disse: “[Tenho] grande amor pelos rapazes e moças da Igreja. (…) Como nós os amamos e oramos constantemente para poder ajudá-los. Sua vida está repleta de decisões difíceis e de sonhos, esperanças e o desejo de encontrar o que lhes trará paz e felicidade.

(…) Prometo-lhes que Deus não os abandonará caso andem nos caminhos Dele, guiados por Seus mandamentos”.5

Com a promessa do Profeta em mente, quero lembrá-los dos recursos que a Igreja está colocando à disposição para ajudá-los no cumprimento de seu dever para com Deus, conforme mencionado pelo Élder Hales e na carta da Primeira Presidência. Os propósitos do Sacerdócio Aarônico ajudam vocês a:

  • Converterem-se ao evangelho de Jesus Cristo e viverem de acordo com Seus ensinamentos;

  • Magnificarem os chamados do sacerdócio e cumprirem as responsabilidades de seu ofício no sacerdócio;

  • Servirem de forma significativa;

  • Prepararem-se e viverem dignamente para receber o Sacerdócio de Melquisedeque e as ordenanças do templo;

  • Prepararem-se para servir honrosamente em uma missão de tempo integral;

  • Estudarem o máximo possível;

  • Prepararem-se para tornarem-se pais e maridos dignos;

  • Darem o tratamento adequado a mulheres, meninas e crianças.

O programa de Reconhecimento Dever para com Deus irá ajudá-los a alcançar os propósitos do Sacerdócio Aarônico. Para que possam qualificar-se para receber o Reconhecimento Dever para com Deus, vocês terão que alcançar e completar os propósitos do Sacerdócio Aarônico e também participar de atividades familiares, de atividades específicas do quórum e de um projeto de serviço Dever para com Deus. Deverão escrever no diário todos os dias e alcançar metas pessoais em cada uma das quatro categorias:

  • Desenvolvimento Espiritual

  • Desenvolvimento Físico

  • Desenvolvimento Educacional, Pessoal e Profissional

  • Desenvolvimento Social

Quando o programa de Escotismo estiver disponível, vocês irão notar que muitos dos requisitos necessários para receber o reconhecimento no Escotismo também aplicam-se ao programa Dever para com Deus. As atividades do programa Dever para com Deus e Escotismo ensinam-nos a estarmos preparados em “todas as coisas necessárias”.6 O Reconhecimento Dever para com Deus ou o Escoteiro da Pátria [ou prêmios equivalentes] é um complemento do programa e não um prêmio de competição.

A Primeira Presidência e o Quórum dos Doze os amam e desejam fortalecê-los nesses tempos cada vez mais difíceis. Com amor e esperança, eles providenciaram um folheto revisado chamado Para o Vigor da Juventude: Cumprir Nosso Dever para com Deus assim como materiais adicionais para as Moças, Rapazes, pais e líderes.

Quando vocês, rapazes do Sacerdócio Aarônico, esforçam-se para conseguir o Reconhecimento Dever para com Deus, e as moças se esforçam para completar o Progresso Pessoal, vocês estão juntos servindo de testemunhas de Deus. Esse testemunho é expresso por meio do que vocês dizem e também pela maneira com que vivem e guardam os mandamentos.

Vocês sabem que conseguir o Reconhecimento Dever para com Deus não é a meta final propriamente dita. O objetivo é incorporar à sua vida atributos que os ajudarão a concentrar-se mais atentamente nos seus deveres para com Deus. Essas características os ajudarão a continuarem na direção certa a fim de manterem-se dignos e capazes de buscar as oportunidades sagradas que se encontram à sua frente. Elas os ajudarão a serem felizes, limpos e fortes e também prepararem-se para os eventos eternamente importantes como o de receber as bênçãos do templo sagrado, servir como missionários e, finalmente, serem selados à uma companheira digna na casa do Senhor.

Enquanto Alma ensinava na terra de Gideão, ele disse, numa linguagem muito clara, palavras que se aplicam a nós hoje: “E agora, meus amados irmãos, eu vos disse estas coisas a fim de despertar em vós o senso de vosso dever para com Deus, para que andeis irrepreensivelmente perante ele, para que andeis conforme a santa ordem de Deus segundo a qual fostes recebidos”.7

Vocês, que receberam o sacerdócio, terão o desejo de caminhar de acordo com a “santa ordem” para a qual foram chamados e ordenados. Reconhecerão que há uma bênção prometida para cada responsabilidade cumprida. Ao cumprir essas responsabilidades, vocês receberão oportunidades de servir ao próximo e desenvolver-se espiritualmente. Esses passos são essenciais na sua jornada de tornar-se como Jesus.

O Salvador, que sofreu todas as coisas por nós,8 enfrentou desafios semelhantes aos que enfrentamos durante os anos em que estamos no Sacerdócio Aarônico. Lembram-se da história de Jesus de quando Ele tinha a idade com que a maioria de nós torna-se diácono? Ele tinha ido com a família e alguns amigos ao templo. Na hora de voltar para casa, Ele não estava com Maria e José. Eles devem ter pensado que Jesus estava com outros amigos ou membros da família em quem confiavam. Quando notaram sua demora em aparecer, todos ficaram aflitos. Como pais zelosos que eram, Maria e José fizeram o que os pais de vocês teriam feito em tais circunstâncias — foram a procura Dele. Ao encontrar Jesus no templo, somente os pais e avós seriam capazes de desfrutar plenamente do sentimento de alívio ao ver que ele estava bem, misturado ao de surpresa ao ver a reação Dele. Alguém de vocês já passou por uma situação semelhante? Todos nós conhecemos o diálogo que se seguiu: “E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos. E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?”9

Jesus deve ter dito: “Vocês não sabem que estou cumprindo o meu dever para com Deus?

O Presidente Harold B. Lee ensinou que o significado da pergunta de Jesus encontra-se na Seção 64 de Doutrina e Convênios.10 O Presidente Lee disse: “Quando alguém se torna portador do sacerdócio, torna-se também um agente do Senhor. Ele deve pensar em seu chamado como se estivesse a serviço do Senhor. É isso que significa magnificar o sacerdócio. Imaginem o Mestre dizendo a cada um de vocês a mesma coisa que disse a José e Maria quando menino: Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai? Tudo o que fazeis de acordo com a vontade do Senhor é negócio do Senhor”.11 Portanto, ser portador do sacerdócio e cumprir o dever para com Deus não é somente uma grande responsabilidade como também um grande privilégio.

Muitas vezes, vocês poderão achar que acontece a seus pais e líderes o mesmo que se passou com Maria e José. Depois de Jesus responder fazendo uma importante pergunta a respeito dos negócios de Seu Pai, Lucas escreveu: “(…) eles não compreenderam as palavras que lhes dizia”.12

No entanto, prestem bastante atenção ao que Jesus fez! É um exemplo do que devemos fazer se quisermos realmente cumprir nosso dever para com Deus. “E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. (…) E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.”13

Vocês devem-se lembrar de que seu dever para com Deus está estritamente relacionado ao seu dever para com os membros de sua própria família, especialmente os seus pais. Não significa somente estar sujeito ou ser submisso a Deus, mas também aos pais e aos líderes do sacerdócio, para que possam cumprir o seu dever para com Deus. Que sejamos todos como Samuel quando ele disse ao Senhor: “(…) Fala, porque o teu servo ouve”.14 Em nome de Jesus Cristo. Amém.