2002
Ajuda a Minha Incredulidade
Notas de rodapé
Tema

“Ajuda a Minha Incredulidade”

“Incentivamos o processo de fortalecimento de nossa fé quando fazemos o que é certo — a fé mais forte sempre será a conseqüência natural.”

Em certa ocasião, o Salvador encontrou uma grande multidão, que ouvia uma discussão entre Seus discípulos e os escribas. Então, Ele perguntou aos escribas: “Que é que discutis com eles?”

Certo homem, pondo-se de joelhos diante Dele, respondeu que pedira aos discípulos que expulsassem um espírito imundo de seu filho, mas eles “não puderam curá-lo”. O pai implorou a Ele, dizendo: “Mas, se tu podes fazer alguma coisa, tem compaixão de nós, e ajuda-nos.

E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê.

E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas disse: Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade”.

O Salvador então repreendeu o espírito imundo e ordenou-lhe: “Sai dele, e não entres mais nele. E ele, clamando e agitando-o com violência, saiu”.1

Todos nós já nos deparamos com momentos de dificuldade e até mesmo de desespero em que, com lágrimas nos olhos, caímos de joelhos e imploramos como fez esse pai: “Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade”.

Assim como o Senhor estava pronto para ajudar esse pai, cujo filho “[sofria] muito”,2 Ele também está pronto para ajudar nossa incredulidade nos dias de hoje, para que com fé sejamos capazes de sobreviver a nossas dificuldades da vida mortal e sejamos vencedores.3

A fé no Senhor Jesus Cristo é o primeiro princípio do evangelho e é mais do que uma mera crença.4 A fé é uma “esperança nas coisas que se não vêem e que são verdadeiras”.5 “A fé sempre leva o que a possui a realizar uma ação física ou mental.”6 “Ter fé no Senhor Jesus Cristo significa ter tanta confiança Nele que obedeceremos a qualquer coisa que Ele ordenar. Não existe fé sem obediência.”7

“A fé [vem] pelo ouvir” a palavra de Deus, é um dom espiritual.8 A fé aumenta quando além de ouvirmos, agimos de acordo com a palavra de Deus, obedecendo às verdades que nos foram ensinadas.9

A resposta de Maria ao anúncio do anjo constitui um exemplo excelente. O anjo Gabriel disse a Maria: “E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de JESUS. Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; (…)” Maria então disse, obediente, a Gabriel: “Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra”.10

Em outra ocasião, “(…) Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu a dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores;

E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.

Então eles, deixando logo as redes, seguiram-no”.11

Após a ressurreição do Salvador, Pedro e outros discípulos foram pescar. No entanto “naquela noite nada apanharam. E, sendo já manhã, Jesus se apresentou na praia, mas os discípulos não conheceram que era Jesus”. Ele disse-lhes: “Lançai a rede para o lado direito do barco, e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam tirar, pela multidão de peixes”.12

Encontramos semelhante obediência, que desenvolve fé, na vida do Profeta Joseph Smith. Após as visitas do anjo Morôni, que duraram toda a noite de 21 de setembro de 1823, Joseph foi trabalhar com seu pai pela manhã. Depois de ficar acordado quase toda a noite, ele, “ao tentar trabalhar como normalmente fazia, [sentiu-se] tão exausto que não [conseguiu]”. Seu pai mandou-o de volta para casa, e ele “[saiu] com essa intenção, mas (…) faltaram-[lhe] as forças por completo e [caiu] inerte ao solo, ficando completamente inconsciente durante algum tempo”. Ao despertar, olhou “para cima e [viu] o mesmo mensageiro acima de [sua] cabeça, cercado de luz como antes”. Joseph foi orientado a “contar a [seu] pai a visão e os mandamentos que havia recebido”. Apesar de estar obviamente exausto, ele obedientemente “[voltou] para onde estava [seu] pai, no campo, e [relatou-lhe] todo o ocorrido”. Seu pai respondeu-lhe que “aquilo era obra de Deus, e disse-[lhe] que fizesse o que o mensageiro ordenara”. A seguir, exausto mas obediente, Joseph “[deixou] o campo e [foi] até o local onde o mensageiro dissera estarem depositadas as placas”13, uma jornada de vários quilômetros.

Todos os dias decidimos o que faremos e o que não faremos, entre inúmeras alternativas. Quando nossa escolha é obedecer aos mandamentos com alegria como nossa prioridade, sem reclamar nem julgar as coisas que Ele ordena, tornamo-nos “[os servos] do Senhor” e pescadores de homens e lançamos nossas redes para o lado direito de nossos próprios barcos. Devemos simplesmente fazer as coisas que o Senhor nos ordenou, mesmo se estivermos exaustos, tendo a confiança de que Ele nos ajudará a fazer exatamente o que Ele pede.14 Ao assim agirmos, o Senhor ajuda a nossa incredulidade, e nossa fé torna-se vigorosa, vibrante e inquebrantável. O Profeta Joseph escreveu na Cadeia de Liberty: “Portanto, amados irmãos, façamos alegremente todas as coisas que estiverem a nosso alcance; e depois aguardemos, com extrema segurança, para ver a salvação de Deus e a revelação de seu braço”. 15

A despeito de quem sejamos ou onde moremos, há muito em nossa vida diária que consiste em rotina e repetição. Ao fazermos as coisas de nosso cotidiano, temos de ter discernimento e fazer as coisas que sejam mais importantes. Entre essas coisas vitais, devemos incluir em primeiro lugar as exigências mínimas do comportamento fiel: a verdadeira obediência, a oração humilde, o estudo sério das escrituras e o serviço abnegado prestado ao próximo. Não existe nenhuma vitamina diária que fortaleça os músculos da nossa fé com tanta rapidez quanto essas atividades. Devemos também recordar que o jejum verdadeiro propicia o fortalecimento da fé. Isso é de especial importância ao buscarmos diligentemente corrigir as falhas de caráter profundamente impregnadas que “não se expulsa[m] senão pela oração e jejum”.16

O desenvolvimento da fé em Jesus Cristo é um processo a ser realizado passo a passo, linha sobre linha, preceito sobre preceito. Incentivamos o processo de fortalecimento de nossa fé quando fazemos o que é certo — a fé mais forte sempre será a conseqüência natural.17 Se exercitarmos nossa fé diariamente por meio de oração, estudo e obediência, o Salvador ajudará nossa incredulidade e nossa fé se tornará um escudo que apagará “todos os dardos inflamados dos iníquos”.18 Alma ensinou que podemos suportar todas as tentações do inimigo com nossa fé em Jesus Cristo.19 No entanto, não podemos ignorar nem rejeitar os ingredientes essenciais da fé e, ainda assim, esperar ter uma boa colheita.

Vemos incontáveis exemplos de fé desenvolvendo-se nos membros da Igreja hoje em dia. Quando os rapazes, moças e casais maduros aceitam chamados para servir como missionários, quando os casais se preparam virtuosamente para casarem-se no santo templo, quando os pais educam os filhos no caminho em que devem andar,20 eles estão, por meio dessas demonstrações de retidão, fortalecendo a fé no Senhor Jesus Cristo. Ao guardarmos o Dia do Senhor, magnificarmos os chamados, pagarmos os dízimos e ofertas, acolhermos membros novos nos círculos da Igreja e convidarmos amigos e vizinhos para aprenderem as verdades do evangelho, fortaleceremos nossa fé. Quando decidimos abandonar nossos pecados e arrepender-nos de todo o coração e quando nos ajoelhamos em oração nos bons momentos e nos de tribulações, desenvolvemos uma fé vigorosa.

Então, descobriremos que estão ocorrendo em nossa vida as mesmas experiências descritas no Livro de Mórmon: “Não obstante, jejuavam e oravam freqüentemente e tornavam-se cada vez mais fortes em sua humildade e cada vez mais firmes na fé em Cristo, enchendo a alma de alegria e consolo, sim, purificando e santificando o coração, santificação essa resultante da entrega de seu coração a Deus”.21

Sei que o Salvador vive e que Ele ajuda nossa incredulidade. Em nome de Jesus Cristo. Amém.