1990–1999
Testemunho do Livro ⌦de Mórmon
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Testemunho do Livro ⌦de Mórmon

Ao ler o Livro de Mórmon, concentrem-se na figura principal do livro, desde o primeiro capítulo até o último: O Senhor Jesus Cristo.

Pouco depois de eu ter sido chamado para servir como um dos Doze Apóstolos, fui convocado ao escritório do Presidente de nosso Quórum, o Presidente Ezra Taft Benson. Ele expressou sua profunda preocupação com o fato de os membros da Igreja não estarem dando o devido valor ao Livro de Mórmon. Com a voz embargada de emoção, ele leu para mim um trecho da seção 84 de Doutrina e Convênios.

“E em tempos passados, vossa mente escureceu-se por causa da descrença e porque tratastes com leviandade as coisas que recebestes–

Vaidade e descrença essas que levaram toda a igreja à condenação”.1

A essa altura, o Presidente Benson tinha conseguido captar toda a minha atenção. Ele concluiu com esta admoestação:

“E eles permanecerão sob essa condenação até que se arrependam e se lembrem do novo convênio, sim, o Livro de Mórmon. ( … )”2

Nunca esquecerei aquela lição. Desde aquela época, o Presidente Howard W. Hunter, o Presidente Gordon B. Hinckley e muitos outros líderes da Igreja continuaram a louvar o Livro de Mórmon para as pessoas de todo o mundo.

Gostaria de acrescentar meu testemunho da divindade desse livro. Eu o li muitas vezes. Também li muito do que foi escrito a respeito dele. Alguns autores concentraram-se em suas histórias, seu povo ou suas descrições históricas. Outros interessaram-se pela estrutura de sua linguagem ou pela descrição de suas armas, geografia, vida animal, técnicas de construção ou sistemas de pesos e medidas.

Por mais interessantes que sejam tais assuntos, o estudo do Livro de Mórmon é mais recompensador quando enfocamos seu principal propósito: Prestar testemunho de Jesus Cristo. Comparados a isso, todos os demais são superficiais.

Ao ler o Livro de Mórmon, concentrem-se na figura principal do livro, desde o primeiro capítulo até o último: O Senhor Jesus Cristo, o Filho do Deus vivo.3 Procurem também este tema secundário: Deus cumprirá os convênios que fez com os remanescentes da casa de Israel.4

O Livro de Mórmon é uma peça chave desse convênio.5 Ele é uma santa escritura que inclui escritos sagrados tirados das placas pequenas e grandes de Néfi, das placas de Mórmon, das placas de Éter e das placas de latão que continham “os cinco livros de Moisés, ( … ) um registro dos judeus, ( … ) [e] profecias dos santos profetas.”6

Quando Mórmon compilou esses registros, percebeu que não poderia escrever “nem a centésima parte” das coisas que aconteceram.7 Por esse motivo, os aspectos históricos do livro ficaram relegados a segundo plano.

A Santa Bíblia tem 66 livros; o Livro de Mórmon contém 15. Seu Primeiro Livro de Néfi, escrito aproximadamente seis séculos antes do nascimento de Cristo, relata que o profeta Leí8 recebeu uma visão da árvore da vida.9 Seu filho Néfi orou para saber o significado. Em resposta, recebeu uma notável visão. Ele viu uma virgem carregando uma Criança no colo. Ele viu o Redentor do mundo, Seu ministério terreno e Sua Crucificação. Ele viu doze outros que seguiam o Santo. E previu a oposição futura ao trabalho de Deus e Seus Apóstolos.10

Outros grandes profetas do Livro de Mórmon, de sua própria maneira e a seu próprio tempo, prestaram testemunho da divindade do Senhor Jesus Cristo. Entre eles estavam o irmão de Jarede,11 Zenoque, Neum e Zenos.12 Testemunhos de Jesus Cristo anteriores a Seu nascimento em Belém também foram registrados pelo rei Benjamim, Abinádi, Alma, o pai, Alma, o filho, Amuleque, os filhos de Mosias, o Capitão Morôni, os irmãos Leí e Néfi, e Samuel, o Lamanita.13 Em uma seqüência aparentemente interminável de proclamações proféticas — o testemunho de “todos os santos profetas”14 por “muitos milhares de anos antes de sua vinda”15 — o Livro de Mórmon declara solenemente que Jesus é o Cristo, o nosso Salvador e Redentor.

AUTORES

A maioria dos livros encontrados nas bibliotecas do mundo foram escritos para leitores contemporâneos. E geralmente foram escritos para que seus autores tivessem lucro, recebendo o pagamento de direitos autorais como resultado de vendas bem-sucedidas.

O mesmo não se dá em relação ao Livro de Mórmon. Ele foi escrito há muito tempo para a nossa época. Ele revela o eterno poder e autoridade de Jesus Cristo nos relatos de duas antigas dispensações americanas16, que foram preservados para benefício de todos os que vivemos nesta que é a dispensação da plenitude dos tempos. Certamente nenhum dos que o escreveram recebeu pagamento por direitos autorais. Na verdade, eles tiveram de pagar um alto preço pelo privilégio de participar. O que os motivou? Sua devoção a Deus! Os quatro principais escritores — Néfi, Jacó, Mórmon e Morôni17 — foram todos testemunhas oculares do Senhor, bem como seu tradutor, o Profeta Joseph Smith, que morreu como mártir.

CONTEÚDO

Seus escritos centralizam-se no Senhor, Sua missão e Seu ministério. Jacó, por exemplo, refere-se repetidas vezes à Expiação e à Ressurreição de Cristo. “Amados irmãos”, escreveu Jacó, “reconciliai-vos com ele pela expiação de Cristo, seu Filho Unigênito; e podereis obter a ressurreição ( … ) e serdes apresentados como as primícias de Cristo a Deus ( … )

E agora, ( … ) por que não falar, pois, da expiação de Cristo e conseguir um perfeito conhecimento dele, assim como um conhecimento da ressurreição e do mundo futuro?”18

O conselho de Jacó é inestimável e sempre válido.

O Salvador declarou que o Livro de Mórmon continha “a plenitude do [Seu] evangelho eterno”.19 Como Ele definiu o evangelho? O Senhor ressuscitado ensinou: “( … ) este é o evangelho que vos dei — que vim ao mundo para fazer a vontade de meu Pai, porque meu Pai me enviou”.20

Ele então ampliou a explicação contida nessa frase, dizendo: “Meu Pai enviou-me para que eu fosse levantado na cruz; e depois que eu fosse levantado na cruz, pudesse atrair a mim todos os homens” ( … ).21

Essa missão especial do Senhor na mortalidade — o evangelho conforme Ele o definiu — nós a conhecemos como a Expiação. A plenitude do evangelho, portanto, denota uma compreensão mais completa da Expiação.22 Isso é algo que não conseguimos alcançar usando somente a Bíblia. A palavra expiação (em qualquer de suas formas) é mencionada apenas uma vez na versão inglesa do Rei Jaime do Novo Testamento.23 No Livro de Mórmon, ela aparece 39 vezes!24 O Livro de Mórmon também contém mais referências à Ressurreição do que a Bíblia.25

O Salvador referiu-se ao Livro de Mórmon como Seu “novo convênio” com a casa de Israel.26 Trata-se de um sinal palpável do convênio final de Cristo com a humanidade.27 Os ensinamentos divinos desse livro, como um terceiro testamento, esclarece a doutrina e unifica o Velho Testamento com o Novo Testamento. Os convênios28, testamentos29 e testemunhos30 contidos nas escrituras desde o início dos tempos estão relacionados à Expiação de Jesus Cristo, que é o ponto central de toda a história humana.

O Livro de Mórmon é o mais importante texto religioso revelado por Deus ao homem “desde que os escritos do Novo Testamento foram compilados há quase dois milênios”.31 Joseph Smith declarou que o Livro de Mórmon é “o mais correto de todos os livros da Terra e a pedra fundamental de nossa religião”.32 É o único livro que o próprio Senhor testificou ser verdadeiro.33

O momento culminante desse registro sagrado é o ministério pessoal do Senhor ressuscitado ao povo que viveu na antiga América. Para eles, Ele fez a seguinte revelação:

“Eis que sou Jesus Cristo, o Filho de Deus. Eu criei os céus e a Terra e todas as coisas que neles há. Eu estava com o Pai desde o princípio. ( … )

As escrituras relativas a minha vinda cumpriram-se. ( … )

Eu sou a luz e a vida do mundo. ( … )

E todo aquele que a mim vier com um coração quebrantado e um espírito contrito, eu batizarei com fogo e com o Espírito Santo, ( … )

Eis que vim ao mundo para trazer redenção ao mundo e salvar o mundo do pecado.

Portanto, todos aqueles que se arrependerem e vierem a mim como criancinhas, eu os receberei, pois deles é o reino de Deus. ( … ) dei a vida e tornei a tomá-la; portanto, arrependei-vos e vinde a mim ( … ) e salvai-vos.”34

Depois dessa sublime apresentação, o Mestre deu mais provas de Sua identidade permitindo que a multidão colocasse a mão em Seu lado e tocasse as marcas dos cravos em Suas mãos e pés. Desse modo, eles souberam que o próprio Deus de Israel estava diante deles, o Mesmo que fora morto pelos pecados do mundo.35

Ele instruiu o povo. Ensinou-o a orar, a arrepender-se, a ser batizado, a tomar o sacramento, a conhecer Sua doutrina, a compreender a importância das ordenanças e convênios sagrados e a perseverar até o fim.36

O Livro de Mórmon é uma dádiva de Deus a toda a humanidade. Ele “ordenou a seu povo que persuadisse todos os homens a se arrependerem”.37 Ele convida todos a “virem a ele e a participarem de sua bondade” e não repudia “quem quer que o procure, negro e branco, escravo e livre, homem e mulher”.38

TRADUÇÃO

Esse convite feito a todas as pessoas envolve muitas línguas e o trabalho de tradutores competentes. A versão inglesa do Rei Jaime da Bíblia, por exemplo, foi feita por 50 estudiosos ingleses, que concluíram seu trabalho em sete anos, traduzindo a uma razão de uma página por dia.39 Os bons tradutores da atualidade estarão realizando um bom trabalho se conseguirem traduzir as escrituras a essa velocidade de uma página por dia.

Joseph Smith, porém, traduziu o Livro de Mórmon a uma velocidade de cerca de dez páginas por dia, terminando a tarefa em aproximadamente 85 dias!40 (Muitos de nós ficaríamos contentes de conseguir ler o livro nesse prazo.)

Essa velocidade é ainda mais notável se levarmos em conta as condições em que o Profeta trabalhou. Nesse mesmo período, enquanto enfrentava constantes interrupções e a incessante hostilidade das pessoas, Joseph Smith mudou-se para mais de 160 quilômetros de Harmony, Pensilvânia, para Fayette, Nova York.41 Ele deu entrada a um pedido de direitos autorais42, recebeu revelações que incluíam as doze seções de Doutrina e Convênios,43 e foi visitado por seres celestiais que restauraram o santo sacerdócio. Com tudo isso, ele conseguiu terminar a tradução em menos de três meses.

A Primeira Presidência concedeu aos Doze Apóstolos a oportunidade de ver partes do manuscrito original e do manuscrito do tipógrafo do Livro de Mórmon. Não há palavras que possam expressar as profundas emoções que sentimos ao examinar aqueles preciosos documentos e observar serem extremamente raros os sinais de revisão do texto.

TESTEMUNHO PESSOAL E BÊNÇÃOS

Toda pessoa que estudar fervorosamente o Livro de Mórmon pode também receber um testemunho de sua divindade.44 Além disso, esse livro pode ajudar-nos em nossos problemas pessoais de modo muito real. Querem livrar-se de um mau hábito? Querem melhorar o relacionamento entre as pessoas de sua família? Querem aumentar sua capacidade espiritual? Leiam o Livro de Mórmon! Ele os levará para mais perto do Senhor Jesus Cristo e de Seu amoroso poder.45 Aquele que alimentou uma multidão com cinco pães e dois peixes46, que ajudou o cego a ver e o coxo a andar47, também pode abençoá-los. Ele prometeu que aqueles que viverem de acordo com os preceitos desse livro “receberão uma coroa de vida eterna”.48

O Livro de Mórmon é verdadeiro! Disso presto testemunho, em nome de Jesus Cristo. Amém. 9