Escrituras
Levítico 11
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Capítulo 11

O Senhor revela as criaturas vivas que podem e as que não podem ser comidas; e quais são as limpas e quais são as imundas — Ele ordena a Israel: Sereis santos, porque eu sou santo.

1 E falou o Senhor a Moisés e a Aarão, dizendo-lhes:

2 Fala aos filhos de Israel, dizendo: Estes são os animais, que acomereis de todos os animais que sobre a terra:

3 Tudo o que tem cascos fendidos, e a fenda dos cascos se divide em dois, e remói, entre os animais, isso comereis.

4 Destes, porém, não comereis, dos que remoem ou dos que têm cascos fendidos: o camelo, que remói mas não tem cascos fendidos; esse vos será imundo;

5 E o coelho, porque remói, mas não tem os cascos fendidos; esse vos será imundo;

6 E a lebre, porque remói, mas não tem os cascos fendidos; essa vos será imunda.

7 Também o porco, porque tem cascos fendidos, e a fenda dos cascos se divide em dois, mas não remói; esse vos será imundo.

8 Da sua carne não comereis, nem tocareis no seu cadáver; esses vos serão imundos.

9 Isto comereis de tudo o que nas águas: tudo o que tem barbatanas e escamas nas águas, nos mares, e nos rios; isso comereis.

10 Mas tudo o que não tem barbatanas nem escamas nos mares, e nos rios, de todo réptil das águas, e de toda alma vivente que nas águas, esses serão para vós abominação.

11 Ser-vos-ão, pois, abominação; da sua carne não comereis, e abominareis o seu cadáver.

12 Tudo o que não tem barbatanas ou escamas, nas águas, será para vós abominação.

13 E estas abominareis das aves, não se comerão, serão abominação: a águia, e o quebrantosso, e o xofrango,

14 E o milhano, e o abutre segundo a sua espécie,

15 Todo corvo segundo a sua espécie,

16 E o avestruz, e o mocho, e a gaivota, e o gavião segundo a sua espécie,

17 E o bufo, e o corvo marinho, e a coruja,

18 E o cisne, e o pelicano, e a gralha,

19 E a cegonha, a garça segundo a sua espécie, e a poupa, e o morcego.

20 Todo inseto que voa, que anda sobre quatro pés, será para vós uma abominação.

21 Mas isto comereis de todo inseto que voa, que anda sobre quatro pés: o que tiver pernas sobre os seus pés, para saltar com elas sobre a terra.

22 Deles comereis estes: a alocusta segundo a sua espécie, e o solham segundo a sua espécie, e o grilo segundo a sua espécie, e o gafanhoto segundo a sua espécie.

23 E todos os outros insetos que voam, que têm quatro pés, serão para vós uma abominação,

24 E por esses sereis imundos: qualquer que tocar os seus cadáveres, aimundo será até a tarde.

25 E todo que levar qualquer parte dos seus cadáveres lavará as suas vestes, e será imundo até a tarde.

26 Todo animal que tem cascos fendidos, mas a fenda não se divide em duas, e todo o que não remói, vos será imundo; qualquer que tocar neles será imundo.

27 E tudo o que anda sobre as suas patas, de todo animal que anda sobre quatro pés, vos será imundo; qualquer que tocar nos seus cadáveres será imundo até a tarde.

28 E o que levar os seus cadáveres lavará as suas vestes, e será imundo até a tarde; eles vos serão imundos.

29 Estes também vos serão imundos entre as criaturas que se arrastam sobre a terra: a doninha, e o rato, e o lagarto segundo a sua espécie,

30 E o geco, e o crocodilo da terra, e a lagartixa, e o lagarto da areia e o camaleão.

31 Esses vos serão imundos entre todos os que se arrastam; qualquer que os tocar, estando eles mortos, será imundo até a tarde.

32 E tudo aquilo sobre o que cair alguma coisa deles, estando eles mortos, será imundo; seja objeto de madeira, ou roupa, ou pele, ou saco, qualquer objeto, com que se faz alguma obra, será posto na água, e será imundo até a tarde; depois será limpo.

33 E todo vaso de barro, em que cair alguma coisa deles, tudo o que houver nele será imundo, e o vaso quebrareis.

34 Todo alimento que se come, sobre o que vier água de tal vaso, será imundo; e toda bebida que se bebe, em qualquer desses vasos, será imunda.

35 E aquilo sobre o que cair alguma coisa de seu corpo morto, será imundo; o aforno e o vaso de barro serão quebrados; imundos são, portanto, vos serão imundos.

36 Porém a afonte ou cisterna, em que se recolhe água, será limpa; mas o que tocar no seu cadáver será imundo.

37 E se dos seus cadáveres cair alguma coisa sobre alguma semente de semear, que se semeia, será limpa;

38 Mas se for deitada água sobre a semente, e se do seu cadáver cair alguma coisa sobre ela, vos será imunda.

39 E se morrer algum dos animais, que vos servem de mantimento, quem tocar no seu cadáver será imundo até a tarde;

40 E quem comer do seu cadáver lavará as suas vestes, e será imundo até a tarde; e quem levar o seu corpo morto lavará as suas vestes, e será imundo até a tarde.

41 Também toda criatura, que se arrasta sobre a terra, será abominação; não se comerá.

42 Tudo que anda sobre o ventre, e tudo que anda sobre quatro pés, ou aque tem mais pés, entre toda criatura que se arrasta sobre a terra, não comereis, porquanto são uma abominação.

43 Não façais as vossas almas aabomináveis por nenhuma criatura que se arrasta, nem com elas vos contamineis, tornando-vos imundos por elas;

44 Porque eu sou o Senhor vosso Deus; portanto, vós vos asantificareis, e sereis bsantos, porque eu sou santo; e não contaminareis as vossas almas por nenhuma criatura que se arrasta sobre a terra;

45 Porque eu sou o Senhor, que vos faço subir da terra do Egito, para que eu seja vosso Deus, e para que sejais santos; porque eu sou santo.

46 Essa é aa lei dos animais, e das aves, e de toda criatura vivente que se move nas águas, e de toda criatura que se arrasta sobre a terra;

47 Para fazer diferença entre o imundo e o limpo; e entre os animais que se podem comer e os animais que não se podem comer.