A Jornada do Ramo de Colesville
    Notas de rodapé

    A Jornada do Ramo de Colesville

    D&C 26, 51, 54, 56, 59

    Ninevah (anteriormente Colesville), Condado de Broome, Nova York, cerca de 1907

    Joseph Smith pode ter estado sozinho quando teve sua Primeira Visão e depois, quando viu o anjo Morôni, mas não deixou de ter apoio em sua casa. Sua mãe, seu pai e seus irmãos formaram uma rede de apoio familiar. Ele podia confiar nos pais. Podia contar com seus irmãos. A esposa de Joseph, Emma, dividiu com Joseph as exigências e tensões da liderança, oposição e perseguição. Outros amigos, tais como Martin Harris, Oliver Cowdery e David e John Whitmer estavam com Joseph quando ele trouxe à luz o Livro de Mórmon, organizou a Igreja e iniciou seus esforços para edificar uma sociedade de Sião.

    Igualmente notáveis entre aqueles cujo relacionamento fortaleceu e apoiou Joseph durante suas muitas tribulações e angústias estavam a família Knight e seus vizinhos em Colesville, Nova York. Aliando-se ao jovem Joseph Smith, eles o seguiram na Igreja que surgia, defenderam-no e formaram o núcleo de um dos primeiros ramos da Igreja. A história dos Knights e do ramo de Colesville testifica sobre o poder da união e da amizade na restauração do evangelho e na edificação do Reino do Senhor.

    A história dos santos de Colesville começou com as visitas de Joseph à região em meados da década de 1820, quando ele começou a trabalhar para Josiah Stowell nos arredores de South Bainbridge, Nova York, em um empreendimento mal sucedido à procura de tesouros. Embora essa busca não tenha tido êxito, criou uma estreita amizade entre Joseph Smith e Joseph Knight Sênior e seu filho Newel Knight. Posteriormente, Joseph Knight Sênior ajudou Joseph em seu namoro com Emma Hale. Ele estava presente na propriedade dos Smith na noite em que Joseph Smith, com a ajuda de Emma, retirou as placas do Livro de Mórmon do monte Cumora, e forneceu alimentos e materiais de escrita enquanto Joseph Smith traduzia o Livro de Mórmon.

    Os membros da família Knight e alguns de seus vizinhos estavam entre as primeiras pessoas que se filiaram à Igreja em 1830. No final daquele ano, eles se tornaram o núcleo de um dos primeiros (se não o primeiro) ramos organizados na Igreja. Em julho de 1830, Joseph foi aconselhado em duas revelações que hoje se encontram em Doutrina e Convênios 24 e 26 a visitar os membros de Colesville, inclusive os Knights, para dedicar seu tempo ao “estudo das escrituras e à pregação e à confirmação da Igreja em Colesville”1 (ver D&C 26:1). Hyrum Smith permaneceu na área no final de 1830 e presidiu o ramo por vários meses. Seu sucessor foi o filho de Joseph Knight Sênior, Newel.

    A Mudança para Ohio

    Quando foram dadas instruções em dezembro de 1830 e janeiro de 1831 (D&C 37 e 38) para que os membros de Nova York fossem para a região do vale de Ohio, os membros do ramo de Colesville fizeram sacrifícios financeiros significativos e prepararam-se para a mudança em direção ao oeste. As famílias ligadas ao ramo de Colesville incluíam, entre outros, os Knights, Pecks, DeMills, Stringhams, Culvers, Slades, Badgers, Hineses e Carters. Esperava-se que todos se reunissem em Ohio, e os pobres não deveriam ser deixados para trás. Deixando de lado sua antiga vida e sua casa, o ramo, começou a jornada para a área de Kirtland em abril de 1831 sob a liderança de Newel Knight. Ao chegarem lá no mês de maio, foram aconselhados a “permanecer juntos e ir para uma cidade vizinha chamada Thompson, pois um homem chamado [Leman] Copley possuía uma considerável porção de terra a qual ofereceu para que os irmãos a ocupassem”.2

    Copley ofereceu sua terra, talvez em resposta a uma revelação anterior (D&C 48) dada como resposta a uma pergunta-chave entre os santos de Ohio no início de 1831: “Quais preparativos devemos fazer para os nossos irmãos do leste, e quando e como?”3 A revelação orientou: “E se possuirdes terras, repartireis com os irmãos do leste”4 (ver D&C 48:2). Copley deu boas-vindas ao ramo de Colesville, e logo após sua chegada em Thompson, começaram a plantar e construir na ampla fazenda de 307 hectares.

    Em 20 de maio, Joseph Smith recebeu outra revelação, identificada atualmente como Doutrina e Convênios 51, orientando aqueles que se estabeleceram em Thompson para serem os primeiros a praticar os princípios recentemente revelados de consagração e mordomia. O recém chamado bispo Edward Partridge deveria “receber as propriedades deste povo, que fizeram convênio comigo” e “[designar] a este povo suas porções, igualmente a cada homem, de acordo com sua família e de acordo com suas condições e suas carências e necessidades”5 (ver D&C 51:3). Embora a revelação tenha deixado claro que Ohio seria um lugar provisório de reunião, foi-lhes lembrado que “a hora e o dia não lhes são indicados” em relação à sua esperada mudança para a futura cidade de Sião. Eles deveriam “viver nesta terra como se aqui fossem permanecer anos”6 (ver D&C 51:17).

    No entanto, os membros do ramo de Colesville tiveram muito pouco tempo para cumprir o mandamento de implementar a lei da consagração. A resolução de Leman Copley de partilhar de sua terra foi colocada à prova no início de maio quando ele participou de uma missão em sua antiga congregação Shaker. Aquela experiência criou dúvidas que enfraqueceram seu testemunho e, logo após seu retorno a Thompson, ele quebrou seu acordo e expulsou os santos de sua propriedade. Em junho de 1831, com seu futuro obscurecido e sua vida em desordem, os Knights e outros membros do ramo de Colesville procuraram conselho e orientação de Joseph Smith sobre o que deveriam fazer em seguida.

    A instrução veio na forma de uma revelação agora conhecida como Doutrina e Convênios 54: “E assim viajareis para as regiões do oeste, para a terra de Missouri, até às fronteiras dos lamanitas. E depois que tiverdes terminado a viagem, eis que vos digo: Procurai um meio de vida à maneira dos homens, até que eu vos prepare um lugar”7 (ver D&C 54:8–10). Newel Knight, mais tarde, descreveu a situação: “Agora entendemos que [Ohio] não era a terra de nossa herança — a terra da promissão, pois foi-nos mostrado em uma revelação que Missouri era o lugar escolhido para a reunião da Igreja, e muitos foram chamados para liderar a ida para aquele estado”.8 Unidos mais uma vez, os membros de Colesville se prepararam para sua jornada. Eles escolheram Newel Knight para continuar a presidi-los apesar de seu chamado anterior, por revelação, de servir em uma missão de proselitismo (ver D&C 52). Em uma revelação registrada em Doutrina e Convênios 56, ele foi autorizado a deixar de lado seu chamado para a missão e em vez disso, viajar para o Missouri como o líder do ramo de Colesville.

    A Mudança para o Missouri

    Partindo de Thompson no início de junho de 1831, sessenta membros do ramo chegaram ao município de Kaw no Condado de Jackson, Missouri, em 26 de julho, após uma viagem de cerca de mil e seiscentos quilômetros. Embora Joseph Smith tenha chegado pouco antes dos santos de Colesville, eles tiveram o privilégio de ser o primeiro ramo da Igreja a se estabelecer na terra que havia sido dedicada como Sião, em 2 de agosto de 1831, por Sidney Rigdon. Infelizmente, a esposa de Joseph Knight Sênior, Polly, morreu poucos dias após sua chegada. De acordo com sua história contada posteriormente, Joseph Smith “assistiu ao funeral da irmã Polly [Peck] Knight. (…) Essa foi a primeira morte na Igreja nesta terra, e posso dizer que um membro digno dorme em Jesus até a ressurreição”.9

    No mesmo dia, Joseph recebeu a revelação hoje conhecida como Doutrina e Convênios 59, descrevendo como a Igreja deveria observar o Dia do Senhor. Nessa revelação, o Senhor incluiu palavras de consolo para a família e amigos de Polly Knight: “(…) Bem-aventurados são os que subiram a esta terra com os olhos fitos na minha glória, de acordo com meus mandamentos. Porque os que viverem herdarão a terra e os que morrerem descansarão de todos os seus labores e suas obras segui-los-ão; e nas mansões de meu Pai, que lhes preparei, receberão uma coroa”. 10 (ver D&C 59:1–2).

    Joseph Smith visitou seus amigos do ramo de Colesville, no Missouri, novamente em abril de 1832. Naquela ocasião, Joseph selou os membros do ramo para a vida eterna.11 Durante as turbas do Condado de Jackson em 1833, o ramo de Colesville fugiu com muitos outros santos para o vizinho Condado de Clay. Eles se estabeleceram ali por algum tempo, e chegaram a construir uma capela. No entanto, uma vez que a Igreja mudou-se para o Condado de Caldwell, em 1836, os membros do ramo foram dispersos e seu tempo como uma das primeiras unidades organizadas na Igreja chegou ao fim.

    Os Knights e outros membros do ramo uniram-se a muitos dos santos a fim de fugir para Illinois após a Guerra Mórmon do Missouri de 1838. Os Knights se estabeleceram na região de Nauvoo e permaneceram membros fiéis da Igreja e amigos de Joseph Smith. Após o martírio de Joseph em 1844, a família Knight seguiu a liderança do Quórum dos Doze Apóstolos. Tanto Joseph Knight Sênior quanto seu filho Newel morreram em 1847, durante o êxodo de Nauvoo para o vale do Lago Salgado.

    1. Revelação, julho de 1830–B, Joseph Smith Papers.

    2. Newel Knight, Autobiografia e diário, Arquivos da Igreja, p. 288.

    3. Revelação, 9 de fevereiro de 1831, josephsmithpapers.org.

    4. Revelação, 10 de março de 1831, josephsmithpapers.org.

    5. Revelação, 20 de maio de 1831, josephsmithpapers.org.

    6. Revelação, 20 de maio de 1831, josephsmithpapers.org.

    7. Revelação, 10 de junho de 1831, josephsmithpapers.org.

    8. Newel Knight, Autobiografia e diário, Arquivos da Igreja, p. 290.

    9. Joseph Smith, História, 1838-1856, volume A–1, p. 139, josephsmithpapers.org.

    10. Revelação, 7 de agosto de 1831, josephsmithpapers.org.

    11. Dean Jessee, “Joseph Knight’s Recollection of Early Mormon History”, BYU Studies 17, nº 1 (1976), p. 7.