Apoio Familiar a Joseph Smith
    Notas de rodapé

    Apoio Familiar a Joseph Smith

    D&C 4, 11, 23

    Imagem cortada da casa de Joseph Smith Sênior

    O ano de 1829 começou cheio de incertezas para Joseph Smith, mas provou ser um período extraordinário de crescimento pessoal e preparação para os eventos futuros. Em consequência da perda da tradução do “Livro de Leí” por Martin Harris em junho de 1828, Joseph não trabalhou na tradução do Livro de Mórmon por seis meses. Ele passou os meses de inverno em Harmony, Pensilvânia, “trabalhando em uma pequena fazenda que eu havia comprado de meu sogro, a fim de sustentar minha família”.1 Em fevereiro, ele e sua esposa, Emma, receberam a visita de boas-vindas de seu pai e de seu irmão.2

    O apoio familiar foi crucial para Joseph; por anos ele compartilhou suas experiências com seus pais e irmãos. No seguinte à visita que recebera do anjo Morôni, em 1823, Joseph relatou esse acontecimento a seu pai.3 Sua mãe, mais tarde, escreveu que após essa visita: “Joseph continuou a receber instruções do Senhor e continuamos a reunir as crianças todas as noites, com a finalidade de ouvi-lo relatá-las. Suponho que nossa família era como qualquer outra que já existiu sobre a face da Terra — todos sentados em círculo, pai, mãe, filhos e filhas e dando a máxima atenção a um rapaz de dezoito anos de idade, que nunca tinha lido a Bíblia inteira em sua vida”.4

    Depois que Joseph recebeu as placas, os membros da família o ajudaram a protegê-las de pessoas cujos interesses iam de curiosos até criminosos.5

    Revelação para Joseph Smith Sênior

    Durante sua visita a seu filho em Harmony, Joseph Smith Sênior pediu uma revelação a respeito de seu próprio papel na restauração. O jovem profeta, portanto, recebeu uma de suas primeiras revelações para outra pessoa. Quando a revelação mais tarde foi copiada em preparação para publicação, o cabeçalho a seguir foi acrescentado: “Uma Revelação a Joseph, o pai do vidente, que desejava saber o que o Senhor desejava que ele fizesse e foi isto o que ele recebeu”.6 Breve revelação, agora Doutrina e Convênios 4 está repleta de linguagem rica das escrituras da Bíblia e do Livro de Mórmon, antecipando uma “obra maravilhosa” e uma lista de atributos dos que escolhem “embarcar no serviço de Deus”.7

    Logo depois de voltar para Manchester, Joseph Sênior concordou em receber como hóspede em sua casa um professor chamado Oliver Cowdery. Joseph Sênior hesitou quando Cowdery, que tinha ouvido rumores sobre as visões de Joseph Jr. das placas, começou a fazer muitas perguntas. Ele pode ter relutado devido ao assédio que sua família havia recebido do clero local e dos vizinhos. Seja qual for a razão de sua hesitação inicial, ele cedeu à ordem da revelação e serviu como uma testemunha fiel das primeiras visões de Joseph Smith.

    Aproximadamente na mesma época, Joseph Smith retomou seu trabalho de tradução, auxiliado por Emma, seu irmão Samuel e Martin Harris, cada um agindo brevemente como escrevente. No início de abril, Oliver Cowdery, com seu interesse agora aguçado por suas conversas com Joseph Sênior, viajou para Harmony. Samuel Smith o acompanhou durante a jornada e lhe apresentou a Joseph.8 Oliver sentiu “muito fortemente” que “é a vontade do Senhor que eu vá e que há um trabalho para eu fazer nessa obra”.9 Rapidamente ele se tornou um escrevente para Joseph em tempo integral. Com essa ajuda tão necessária, o trabalho de tradução avançou em ritmo acelerado de forma significativa.

    A Conversão de Samuel Smith

    No mês seguinte, em maio de 1829, Joseph Smith e Oliver Cowdery receberam de um mensageiro angelical, João Batista, a autoridade para batizarem-se e realizaram a ordenança um para o outro. Logo após este evento, Joseph foi visitado primeiro por Samuel e, em seguida, por outro irmão, Hyrum. Durante a visita de Samuel, Joseph procurou converter seu irmão. Ele escreveu em sua história:

    “Nessa época que meu irmão Samuel H. Smith nos visitou e lhe informamos sobre o que o Senhor estava prestes a fazer para os filhos dos homens e expliquei tudo a ele, trabalhando para convencê-lo da verdade do evangelho agora prestes a ser revelada em sua plenitude referindo-me à bíblia sagrada para a verdade das doutrinas que adquiríamos. Não estando muito facilmente convencido dessas coisas ele retirou-se para um bosque para que por meio de secreta e fervorosa oração ele pudesse obter [sabedoria] de um Deus benevolente para que ele pudesse julgar por si mesmo. O resultado foi que ele se convenceu, por revelação, da verdade das doutrinas que apresentamos a ele. De acordo com os mandamentos do evangelho ele foi batizado por Oliver Cowdery e voltou para casa muito abençoado, louvando a Deus e cheio do Espírito Santo.”10

    Samuel Smith seguiria adiante para servir como um dos primeiros missionários de proselitismo na Igreja, quando, no verão de 1830, viajou brevemente nas proximidades de Mendon, Nova York, para pregar e vender exemplares do Livro de Mórmon.

    Revelação para Hyrum Smith

    Hyrum visitou Joseph logo depois de Samuel. Joseph contou que “a seu pedido sincero perguntei ao Senhor por meio do Urim e Tumim e recebi a seguinte revelação para ele”.11 Essa revelação é agora Doutrina e Convênios 11. Embora as frases do início reflitam palavras semelhantes para várias revelações dadas em 1829, o texto continua com conselhos pessoais, promessas e advertências que indicam a função de Hyrum para o progresso da obra do Senhor.

    Entre outras coisas, o Senhor adverte Hyrum: “Eis que te digo, que não precisas supor teres sido chamado a pregar até que sejas chamado. Espera um pouco mais, até que tenhas minha palavra (…). Não procures pregar minha palavra, mas primeiro procura obter minha palavra e então tua língua será desatada”12 (ver D&C 11:15–16, 21).

    Pouco tempo depois, em junho de 1829, Joseph Smith Sênior, Samuel Smith e Hyrum Smith estariam entre as Oito Testemunhas do Livro de Mórmon, testificando para o mundo que viram e seguraram as placas e sabiam “com certeza” que Joseph as havia traduzido: “Deus sendo testemunha disto”.13 Mais uma vez, a lealdade e o apoio dos membros de sua família mostraram-se fundamentais a Joseph em seu trabalho contínuo.

    ‘Ansiosos para Conhecer (…) Seus Respectivos Deveres’

    O Livro de Mórmon, agora traduzido e preparado para a impressão, foi publicado em março de 1830. Em 6 de abril de 1830, em Fayette, Nova York, Joseph Smith organizou formalmente o que era então chamada de a Igreja de Cristo. Pouco tempo depois, ele foi abordado por Oliver Cowdery, Hyrum Smith, Samuel H. Smith, Joseph Smith Sênior e Joseph Knight Sênior, todos “ansiosos por saber do Senhor, quais eram seus respectivos deveres, em relação a essa obra”.14 Joseph forneceu a cada um deles uma breve revelação pessoal. Semelhante no conteúdo, duração e palavras, as revelações parecem ter sido ditadas uma após a outra. Agindo como escrevente, John Whitmer registrou cada uma como sendo uma revelação separada, mas quando foram publicadas na edição de 1835 de Doutrina e Convênios, elas foram combinadas em uma só. Atualmente estão em Doutrina e Convênios 23.15

    Ainda assim, cada revelação menciona o destinatário pelo nome e contém conselhos específicos sobre deveres, funções e expectativas. Uma diferença notável é que cada um dos quatro primeiros versículos indica que o destinatário está “sob nenhuma condenação”, visto que Oliver, Hyrum, Samuel, e Joseph Sênior tinham sido batizados. O destinatário final, Joseph Knight Sênior, ainda não havia sido batizado e foi, em vez disso, aconselhado que era seu dever “unir-se à igreja verdadeira” 16 (ver D&C 23:7).

    As palavras de revelação a Hyrum sugerem que desde a revelação anterior, ele havia obtido a palavra do Senhor e que agora sua “língua [foi] desatada” e ele foi chamado para exortar (ver D&C 23:3). Ele é conhecido por ter pregado o evangelho restaurado e o Livro de Mórmon já em outubro de 1830 na casa de seu pai em Manchester, Nova York. O sermão do Dia do Senhor naquela ocasião tocou o coração de Ezra Thayer e o levou à conversão. Thayer mais tarde relembrou: “Cada palavra tocou-me o íntimo da alma. Senti que cada palavra foi direcionada a mim (…). As lágrimas escorriam-me pelo rosto”.17

    Nos anos subsequentes, a família de Joseph continuou a demonstrar o seu apoio, servindo como missionários, assumindo o papel de liderança do sacerdócio e por meio de seu sacrifício pessoal. Seus caminhos e sucessos, e até mesmo as dificuldades e fracassos, seriam revelados ao longo do tempo, mas em 1830, quando a nova igreja foi organizada, eles estavam ansiosos para servir, armados com a vontade do Senhor para eles, conforme revelado por Joseph Smith.

    1. Joseph Smith, History, de 1838–1856, volume A-1, p.11, Joseph Smith Papers.

    2. Joseph Knight, Reminiscences, 5, declara que Samuel Smith acompanhou o pai nessa viagem. Joseph Smith, History, 1838–1856, volume A-1, p. 7, josephsmithpapers.org.

    3. Joseph Smith, History, de 1838–1856, volume A-1, p. 7, josephsmithpapers.org.

    4. Lucy Mack Smith history, cópia, ca. 1845, p. 85, Biblioteca de História da Igreja.

    5. Lucy Mack Smith, Biographical Sketches of Joseph Smith, the Prophet, and his Progenitors for many Generations (Liverpool: Publicado por Orson Pratt por S. W. Richards, 15, Wilton Street, 1853), pp. 102–109.

    6. Apocalipse, fevereiro de 1829, josephsmithpapers.org.

    7. Apocalipse, fevereiro de 1829, josephsmithpapers.org.

    8. Lucy Mack Smith, Biographical Sketches of Joseph Smith, the Prophet, and his Progenitors for many Generations (Liverpool: Publicado por Orson Pratt por S. W. Richards, 15, Wilton Street, 1853), p. 128. Joseph Smith, History, 1838–1856, volume A-1, p. 13, josephsmithpapers.org.

    9. Lucy Mack Smith history, cópia, ca. 1845, p. 140, Biblioteca de História da Igreja.

    10. Joseph Smith, History, ca. 1841, cópia, p. 36, josephsmithpapers.org.

    11. Joseph Smith, History, ca. 1841, cópia, p. 36, josephsmithpapers.org.

    12. Apocalipse, maio 1829−A, josephsmithpapers.org.

    13. Livro de Mórmon, 1830, p. 590, josephsmithpapers.org.

    14. Joseph Smith, History, 1838–1856, volume A-1, p. 38, josephsmithpapers.org.

    15. Apocalipse, abril 1830−A; Apocalipse, abril de 1830−B; Apocalipse, abril de 1830−C; Apocalipse, abril de 1830−D; Apocalipse, abril de 1830−E, josephsmithpapers.org. Doutrina e Convênios, 1835, p. 176, josephsmithpapers.org.

    16. Apocalipse, abril de 1830-E, josephsmithpapers.org.

    17. “Testimony of Brother E. Thayre Concerning the Latter Day Work”, True Latter Day Saints’ Herald 3, outubro de 1862, p. 80.