Estudo Pessoal e Familiar
6 a 12 de setembro. Doutrina e Convênios 98–101: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”
anterior seguinte

“6 a 12 de setembro. Doutrina e Convênios 98–101: ‘Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus’”, Vem, e Segue-Me — Estudo Pessoal e Familiar: Doutrina e Convênios 2021

“6 a 12 de setembro. Doutrina e Convênios 98–101”, Vem, e Segue-Me — Estudo Pessoal e Familiar, 2021

C. C. A. Christensen (1831–1912), Saints Driven from Jackson County Missouri [Os Santos São Expulsos do Condado de Jackson, Missouri], aprox. 1878, pintura em musselina, 1,96 x 2,87 metros. Museu de Arte da Universidade Brigham Young, doação dos netos de C. C. A. Christensen, 1970

6 a 12 de setembro

Doutrina e Convênios 98–101

“Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus”

Ao ler Doutrina e Convênios 98–101, fique atento aos pensamentos e impressões espirituais que tiver. De que maneira colocar em prática o que você sentir pode ajudá-lo a se tornar a pessoa que Deus deseja que você seja?

Registre suas impressões

Para os santos que viveram nos anos 1830, Independence, no Missouri, era literalmente a terra prometida. Era “o lugar central” de Sião (ver Doutrina e Convênios 57:3), a cidade de Deus na Terra, a qual eles estavam fazendo muitos sacrifícios para construir. Para eles, a coligação dos santos nesse local era um prelúdio glorioso e emocionante da Segunda Vinda. Por outro lado, as pessoas que viviam naquela área pensavam diferente. Elas não concordavam de maneira nenhuma que Deus tinha dado aquela terra aos santos e ficaram bem preocupadas com as consequências políticas, econômicas e sociais que poderiam ocorrer com tantas pessoas de uma religião estranha se mudando tão rapidamente para aquela região. As preocupações logo viraram ameaças, e as ameaças levaram à perseguição e violência. Em julho de 1833, a tipografia da Igreja foi destruída, e em novembro os santos foram forçados a abandonar suas casas no Condado de Jackson, Missouri.

Joseph Smith estava a mais de 1.200 quilômetros de distância de Kirtland, e essa notícia levou semanas para chegar ao seu conhecimento. Contudo, o Senhor sabia o que estava acontecendo e revelou ao profeta princípios de paz e incentivo que consolariam os santos — princípios que também podem nos ajudar quando enfrentamos perseguição, quando nossos desejos justos não são realizados ou quando precisamos de um lembrete de que nossas aflições diárias, no final, “reverterão para o [nosso] bem” (Doutrina e Convênios 98:3).

Ver Santos, Volume 1, pp. 171–193; “Aguardar a orientação do Senhor”, Revelações em Contexto, pp. 202–207.

Ideias para o estudo pessoal das escrituras

Doutrina e Convênios 98:1–3, 11–14; 101:1–16

Minhas provações podem contribuir para o meu bem.

Algumas aflições que temos na vida são causadas por nossas próprias escolhas. Outras são causadas pelas escolhas dos outros. E, às vezes, ninguém é culpado; coisas ruins simplesmente acontecem. Seja qual for a causa, as adversidades podem ajudar a cumprir propósitos divinos. Ao ler o que o Senhor disse sobre as provações dos santos em Doutrina e Convênios 98:1–3, 11–14 e 101:1–16, o que você encontrou que pode ajudá-lo a enfrentar seus problemas? Como esses versículos podem influenciar a maneira de você lidar com suas provações? Pondere sobre como suas dificuldades já contribuíram para o seu bem e realizaram os propósitos de Deus em sua vida.

Ver também 2 Néfi 2:2; Doutrina e Convênios 90:24.

Doutrina e Convênios 98:23–48

O Senhor quer que eu busque a paz a Seu modo.

Embora nem tudo em Doutrina e Convênios 98:23–48 se aplique ao seu relacionamento com outras pessoas, que princípios nessa passagem poderiam guiá-lo quando você for ofendido ou injustiçado? Pode ser útil marcar palavras ou frases que descrevam como o Senhor queria que os santos lidassem com o conflito no Missouri.

Ver também Jeffrey R. Holland, “O ministério da reconciliação”, Liahona, novembro de 2018, p. 77.

Detalhe de Christ and the Rich Young Ruler [Cristo e o Jovem Rico], de Heinrich Hofmann

Doutrina e Convênios 100

O Senhor cuida daqueles que O servem.

Algumas semanas depois que Joseph soube da perseguição no Missouri, um recém-converso pediu-lhe que fosse até o Canadá para compartilhar o evangelho com seus filhos. Joseph concordou, embora estivesse preocupado em deixar a família, especialmente devido às perseguições e ameaças à sua família e à Igreja. A caminho do Canadá, Joseph e seu companheiro, Sidney Rigdon, oraram pedindo consolo e a seção 100 foi a resposta do Senhor a eles. O que você encontrou na resposta do Senhor que pode tê-los ajudado e trazido confiança?

Talvez você também tenha tido experiências que exigiram que você encontrasse um equilíbrio entre suas preocupações com a família e as responsabilidades da Igreja. Como as palavras do Senhor na seção 100 podem ajudar em situações como essas?

Ver também “Uma missão no Canadá”, Revelações em Contexto, pp. 208–214.

Doutrina e Convênios 101:43–65

Seguir os conselhos de Deus me ajuda a estar em segurança.

A parábola em Doutrina e Convênios 101:43–62 foi dada para explicar por que o Senhor tinha permitido que os santos fossem expulsos de Sião. Ao ler esses versículos, você consegue ver alguma semelhança entre você e os servos na parábola? Pergunte a si mesmo: Eu já questionei os mandamentos de Deus? De que maneira a falta de fé ou de compromisso permite que “o inimigo” tenha influência sobre a minha vida? Como posso mostrar a Deus que “[estou disposto] a ser [guiado] de uma forma reta e adequada para [minha] salvação? (Ver versículos 63–65.)

Ideias para o estudo das escrituras em família e para a noite familiar

Doutrina e Convênios 98:16, 39–40.

Que conselhos nesses versículos podem nos ajudar a ter mais paz em nossa família? Vocês poderiam cantar um hino sobre paz ou perdão como “A verdade é nosso guia” (Hinos, nº 172). Seus filhos talvez gostem de encenar alguma situação em que perdoam uns aos outros.

Doutrina e Convênios 99.

Quando John Murdock foi chamado para “proclamar o evangelho eterno” (versículo 1), ele tinha acabado de voltar de uma longa e difícil missão de um ano no Missouri (ver “As missões de John Murdock no Missouri”, Revelações em Contexto, pp. 89–91). O que encontramos na seção 99 que pode ter ajudado e incentivado o irmão Murdock? Que mensagem o Senhor tem para nós nessa revelação?

Doutrina e Convênios 100:16; 101:3–5, 18.

Depois de ler esses versículos, vocês poderiam conversar sobre como um ferreiro tem que aquecer o metal até altas temperaturas para remover impurezas e moldá-lo, batendo nele com um martelo repetidas vezes. Poderiam também pesquisar juntos sobre como outras coisas são purificadas, como a água e o sal. Talvez vocês possam purificar alguma coisa juntos. Por que queremos ser puros? O que esses exemplos nos ensinam sobre como nossas provações podem nos ajudar a ser “um povo puro”?

Doutrina e Convênios 101:22–36.

Como esses versículos devem ter ajudado os santos que estavam enfrentando perseguições? Como eles poderiam ajudar aqueles que têm medo de enfrentar as condições do mundo atual?

Para mais ideias sobre como ensinar às crianças, ver o esboço desta semana em Vem, e Segue-Me — Primária.

Música sugerida: “Faze-me, ó Pai, perdoar”, Músicas para Crianças, p. 52.

Aperfeiçoar o estudo pessoal

Procurar princípios. O élder Richard G. Scott ensinou: “Ao buscar conhecimento espiritual, procurem os princípios. (…) Princípios são verdades concentradas, prontas para serem utilizadas em uma grande variedade de circunstâncias” (“Como obter conhecimento espiritual”, A Liahona, janeiro de 1994, p. 93).

Missouri Burning [Incêndio no Missouri], de Glen S. Hopkinson.