Liahona
Tornar as escrituras uma realidade para nossos filhos
anterior seguinte

Tornar as escrituras uma realidade para nossos filhos

Considere estas ideias para ajudar as crianças a sentir a realidade e a influência das escrituras.

Corte de papel da arca de Noé: Brittany Call; ilustrações: David Green; fotografias: Ryan Hender

Nunca me esquecerei daquele dia. Em minha classe da Primária, Brandon e seu amiguinho estavam usando roupões de banho, com o resto da classe em pé atrás de uma cadeira. Estávamos encenando a história de Alma e Amuleque de quando os justos estavam sendo queimados, e Brandon fazia o papel de Alma. Ao ler a escritura em que Alma se sentiu constrangido pelo Espírito a não salvar as pessoas, lágrimas escorreram pelas bochechas de Brandon. Ele finalmente olhou para mim, em desespero: “Irmã Boyack, não consigo ler isso! É triste demais!”

Geralmente não era muito fácil manter Brandon comportado em sala de aula. Mas, naquele dia, ele sentiu um espírito poderoso. Naquele dia, o Livro de Mórmon foi muito real para ele.

Tornar as escrituras uma realidade

O mandamento que o Senhor deu a Adão também se aplica a nós: “Ensina a teus filhos que todos os homens, em todos os lugares, devem arrepender-se, ou de maneira alguma herdarão o reino de Deus” (Moisés 6:57). O Senhor continuou, com palavras semelhantes: “Dou-te o mandamento de ensinares estas coisas liberalmente a teus filhos” (Moisés 6:58).

Como adultos que se importam com os filhos, queremos ajudá-los a aprender a amar as escrituras. Uma maneira de fazermos isso é tornar as escrituras uma realidade para eles. As crianças ficarão empolgadas e dispostas a estabelecer metas para estudar o Velho Testamento se as ensinarmos de um jeito que elas sintam que as escrituras são importantes na vida delas (ver 1 Néfi 19:23).

Há várias maneiras de ajudar nossos filhos a sentir a realidade e a influência das escrituras.

Encenação

Damos vida às histórias do Velho Testamento por meio da encenação. A encenação dá vida às histórias do Velho Testamento, seja se vestindo como Noé e juntando todos os bichos de pelúcia na “arca”, criando uma “caverna” embaixo da mesa com um leão de pelúcia dentro e seu filho mais novo no papel do corajoso Daniel, ou vendo sua filha no papel da destemida profetisa Débora, que liderou seus irmãos e suas irmãs como o exército de Israel.

Nunca me esquecerei do dia, há décadas, quando eu estava assistindo à aula do seminário em Michigan, que acontecia bem cedo de manhã. Meu professor falava sobre a missão aos zoramitas no Livro de Mórmon. De repente, ele pulou para cima da mesa e começou a ler a oração do Rameumpton em voz alta. Aquilo nos fez acordar de imediato! Faz anos que isso aconteceu, mas ficou marcado em minha memória. Um grupo de adolescentes foi profundamente influenciado por um professor que estava encenando.

Com o passar dos anos, cada um de meus filhos se encantava quando ficava de pé, por trás do sofá, fingindo ser Samuel, o Lamanita, pregando da muralha ou quando segurava um cajado como Moisés, proclamando: “Deixai ir o meu povo!”

Quando as crianças vivenciam as histórias das escrituras por meio da encenação, elas se tornam muito reais.

Ambiente

Para as crianças, ter experiências reais as ajuda a aprender, entender e aplicar a informação. Podemos fazer isso criando um ambiente que faça uma ligação entre as escrituras e as coisas que as cercam. Por exemplo, quando nossos quatro filhos eram pequenos, estudávamos o Livro de Mórmon juntos. Fizemos uma reunião familiar em nossa barraca de acampamento, onde falamos sobre Leí e sua família atravessando o deserto. Falamos sobre como foi para a família de Leí viajar e viver em uma tenda por tanto tempo. A história se tornou real para eles.

Ao ensinarem sobre a experiência de Abraão quando aprendeu sobre as estrelas e os céus, o ambiente pode fazer uma grande diferença. Imagine dar essa lição à noite, deitado na grama com seus filhos sob as estrelas. A experiência de Abraão será significativa para eles de modo muito mais profundo.

Em vez de apenas ler sobre a destruição das muralhas de Jericó, você poderia se sentar sobre uma parede alta e ler a história de lá. As crianças ficarão profundamente impressionadas pelo milagre.

Melhor que falar sobre a construção do Templo de Salomão, é levar seus filhos ao templo, caso exista um por perto, ler a história nos jardins do templo e falar sobre a importância da casa do Senhor na vida deles.

Em vez de apenas falar sobre a ida dos membros da casa de Israel para a terra prometida, você poderia levar seus filhos para uma trilha e cantar músicas da Primária.

As experiências podem ser incríveis para ajudar as crianças a sentir a realidade das histórias das escrituras que elas estão ouvindo e lendo. Tais experiências também criarão ótimas lembranças para seus filhos, e essas lembranças darão vida às escrituras.

Fazer perguntas

Podemos ajudar nossos filhos a compreender melhor as escrituras fazendo perguntas.

A história de Noé pode se tornar real com a pergunta: “Como se sentiriam se ninguém lhes desse ouvidos?”

A história de José ganha vida com a pergunta: “Como seria estar na prisão, em um país distante, onde ninguém acredita em Deus como vocês acreditam?”

A história de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego se torna real com a pergunta: “Como acham que foi ser lançado em uma fornalha ardente?”

Quando fazemos perguntas, é muito importante que nossos filhos fiquem à vontade para expressar seus pontos de vista sem nossa crítica. Deixe-os falar. Deixe-os processar a história e os incentive a fazer muitas perguntas.

Aplicação

Algumas das melhores perguntas que podemos fazer ajudam nossos filhos a aplicar as escrituras a eles mesmos.

“O que vocês aprenderam com a experiência de Joseph Smith? Vocês já pensaram em orar para obter respostas? Que experiências tiveram?”

“Ao ler sobre Jonas na baleia, como isso os ajuda a escolher seguir os mandamentos de Deus?”

“Como acham que Maria se sentiu quando o anjo falou que ela teria um bebê que era o Filho de Deus?” “Como o conhecimento dessas coisas ajuda vocês a seguir o plano de Deus em sua vida?”

A aplicação é especialmente importante para nossos adolescentes à medida que começam a meditar sobre a doutrina e os princípios ensinados nas escrituras e começam a incorporá-los em sua vida. Isso também ajuda a reforçar que a maioria das respostas às perguntas que eles têm pode ser encontrada nas escrituras e que elas são importantes para as experiências de vida deles.

Tipos de aprendizado

As pessoas aprendem de diferentes maneiras: alguns aprendem pela visão, como a leitura; outros por meio da audição; e outros por meio do tato, movendo-se, realizando alguma atividade ou fazendo algo com as mãos.

Para ajudar as crianças a compreender e aplicar as escrituras, é melhor utilizar a abordagem que mais combina com seu tipo de aprendizado. É útil avaliar qual é o tipo de aprendizado que atrai cada criança. Os professores da Primária podem trabalhar com os pais para entender o tipo de aprendizado das crianças, podendo assim adaptar seus métodos de ensino e ajudar cada criança individualmente.

Os alunos visuais serão mais beneficiados se possuírem seu próprio conjunto de escrituras para que possam ler e marcar. Você também pode colocar figuras das histórias das escrituras no quarto deles ou em algum lugar da casa.

Alunos auditivos gostam de ouvir as escrituras. As crianças poderiam ler as escrituras em voz alta, ouvir as escrituras no computador ou celular, ou ouvir os pais ou os irmãos lendo.

Alunos sinestésicos precisam de um componente de atividade física em seu estudo das escrituras. Convide-os a desenhar uma figura da história da escritura à medida que você a ler. Essas crianças também serão beneficiadas se possuírem suas próprias escrituras, as quais poderão marcar e colorir.

Combinar os tipos de aprendizado pode ser especialmente eficaz para dar vida às escrituras. Então, em vez de falar sobre Moisés e os Dez Mandamentos, peça que as crianças criem tábuas de argila ou façam um desenho de Moisés ao receber os Dez Mandamentos na montanha enquanto você lê a história para elas. Isso facilitará o aprendizado delas. Ao estudar o Vem, e Segue-Me, distribua giz de cera ou lápis de pintar e peça que as crianças maiores marquem suas escrituras por cores e as crianças pequenas desenhem enquanto a mãe ou o pai conta a história das escrituras. Essa é uma combinação do aprendizado visual, auditivo e sinestésico que é altamente eficiente.

Podemos fazer muitas coisas que tornarão as escrituras reais para nossos filhos. Ao fazermos isso, nossos filhos aprenderão mais com as escrituras, terão um apreço maior por elas e as aplicarão em sua vida com muito mais eficiência. A esperança é que, durante esse processo, eles aumentarão profundamente seu amor pelas escrituras. Isso faz tudo valer a pena.