“Irmã, amo você”

Vozes da Igreja

“Irmã, amo você”

Nunca devemos nos sentir envergonhados por agir de acordo com uma inspiração.

Durante uma entrevista quando eu servia na presidência de um quórum de élderes, perguntei a outro membro do quórum se ele já havia sentido uma inspiração espiritual e agido de acordo com ela. Ele pensou por um momento e contou uma experiência.

Uma tarde, ele estava lavando pratos quando recebeu a forte impressão de ir bater à porta de uma vizinha. Não entendeu por que, mas a inspiração foi forte e urgente. Parou o que estava fazendo e saiu imediatamente de casa.

Ele chegou à porta da vizinha, sem saber o que fazer ou dizer, e bateu. Ninguém atendeu. Ele bateu novamente. Ainda não houve resposta. Concluindo que não havia ninguém em casa, se virou para ir embora, mas sentiu outra inspiração.

Voltou até a porta e disse simplesmente: “Irmã, amo você”. Depois, seguiu para casa.

Ele achou que essa experiência era incomum e ficou um pouco envergonhado por causa dela. Comentei que o Senhor nem sempre nos revela os motivos da inspiração, mas nunca devemos nos sentir envergonhados por segui-la. Aquele irmão se mudou logo após nossa entrevista.

Durante uma reunião de jejum e testemunho, um ano depois, uma irmã que eu não conhecia foi até o púlpito para prestar testemunho. Em meio às lágrimas, ela explicou que havia se afastado da Igreja por vários anos e, durante esse período, ficou tão deprimida que se sentiu no fundo do poço.

“Pai Celestial, se Tu realmente existes e se realmente me amas”, orou ela, “diz-me agora para que eu entenda!”

Quase imediatamente, ela ouviu uma batida na porta e depois outra. Quando ela não respondeu, ouviu uma voz dizer: “Irmã, amo você”.

Ela contou que foi tomada por um grande sentimento de amor e renovou as forças para enfrentar sua vida conturbada. Confessou que as coisas ainda não iam às mil maravilhas, mas que sua vida estava melhorando.

Não participei dessa experiência, mas ainda assim fui abençoado. Percebi como dois atos de fé sem inter-relação aparente demonstraram que nosso Pai Celestial nos conhece a todos e nos convida a seguir a inspiração de ajudar Seus filhos. Sou grato por esse conhecimento e o valorizo muito.