Acrescentar dons do Espírito em sua lista de Natal
    Notas de rodapé

    Acrescentar dons do Espírito em sua lista de Natal

    gifts of the Spirit

    Ilustração: Josh Talbot

    Sempre fiz um sanduíche de queijo quente incrível. Entre esse prato delicioso e um punhado de outras receitas, mantive-me vivo e atuante ao longo de minha missão e na fase adulta. Mas depois me casei e tive filhos, todos com gostos diferentes. Eu precisava expandir meu cardápio!

    No entanto, nas noites em que era minha vez de cozinhar, tentar novas refeições provou ser um desafio. Para começar, geralmente eu tinha pouquíssimo tempo à noite. Mesmo que quisesse cozinhar refeições variadas, eu continuava tendo dificuldades. Não conseguia encontrar os ingredientes com rapidez ou percebia que alguns estavam faltando. Na maioria das vezes, eu cancelava o jantar planejado e mudava para algo rápido e fácil.

    E mesmo assim continuava querendo melhorar nessa área. Então decidi fazer algo que nunca havia feito antes. Orei pedindo um dom espiritual pelo nome.

    Um dom, muitos usos

    Especificamente, orei pelo dom da organização. Sim, organização! Nós já tínhamos um armário de condimentos. Também tínhamos gavetas de utensílios de cozinha. No entanto, mesmo com as coisas no lugar, eu parecia passar mais tempo procurando suprimentos do que cozinhando.

    Ao orar constantemente por esse dom, comecei a receber ideias específicas. Um porta-condimentos de parede ia organizar os temperos e mantê-los à mão. Uma barra magnética de cozinha (também montada na parede), poderia manter as facas e outros utensílios de metal. Essas e outras ideias, uma vez aplicadas, fizeram uma grande diferença em minhas incursões culinárias. Precisa de tomilho? Sal com alho? Alho em ? Deixe comigo!

    Mas então algo estranho aconteceu. Pequenas ideias continuaram surgindo em minha mente sobre maneiras sutis de organizar melhor outras áreas de minha vida. Por exemplo, minha torre de três andares de roupas na lavanderia não vai levar minha família à terra prometida, mas até mesmo Néfi teria apreciado a maneira como a construí — seguindo os sussurros que recebia um de cada vez.

    O dom espiritual da organização melhorou minha vida e a vida de minha família mais do que eu jamais teria imaginado.

    E tudo isso se deu porque pedi por isso.

    Muitos dons, poucos que pedem

    O apóstolo Paulo ensinou aos coríntios sobre alguns dos muitos dons espirituais disponíveis, como o da fé ou da cura (ver 1 Coríntios 12:5–11). E então os instruiu a “[procurar] com zelo os melhores dons” (1 Coríntios 12:31).

    O excesso de zelo não tende a ser uma coisa boa, mas não é o caso aqui. Somos orientados a observar alguns dons espirituais que vemos em outras pessoas e depois pedir a Deus que nos abençoe com esse mesmo dom. Nossa esperança em fazê-lo deve ser para servir melhor ao próximo e edificar o reino de Deus (ver D&C 46:26–29).

    Há muitos dons, muitos mais do que você vai encontrar nas escrituras. A paciência é um dom espiritual. Assim como o otimismo. E a coragem. E ser um pacificador. O élder Larry R. Lawrence, dos setenta, ensinou: “Às vezes visualizo um armazém grande no céu, cheio de dons espirituais, ao alcance de todos os membros da Igreja que têm fé para pedi-los. Infelizmente, muitos não estão pedindo, por isso, o armazém está sempre abarrotado”.1

    O élder Lawrence descreveu uma amiga que decidiu orar pedindo o dom da caridade. Ele relatou a experiência dela: “Ela escreveu: ‘Há vários meses tenho orado especificamente para que eu seja mais caridosa. (…) Aos poucos, minha percepção dos outros mudou. (…) Comecei a não apenas amar as pessoas ao meu redor, mas também a apreciá-las. Antes, pode ser que tenha mantido certa distância, mas agora tenho interesse genuíno por todas as pessoas’”.2

    Seus dons, prontos e à espera

    Os dons espirituais são muito mais valiosos do que os físicos! Eles são, na verdade, os melhores dons. Somos ordenados nas escrituras: “Procurai com zelo os melhores dons” (D&C 46:8).

    Sejam quais forem os outros presentes que você espera abrir na manhã de Natal, tente imaginar alguns dos “melhores dons” esperando por você também. Eles já estão “embrulhados” e prontos para abençoar você e aqueles ao seu redor.

    Então vá em frente e peça!

    Notas

    1. Larry R. Lawrence, “Why Not Ask?”, Devocional da Universidade Brigham Young-Idaho, 13 de junho de 2017, byui.edu/devotionalsandspeeches.

    2. Larry R. Lawrence, “Why Not Ask?”