2015
Abençoados pelo Dia do Senhor


Abençoados pelo Dia do Senhor

A autora mora em Utah, EUA.

O empenho de santificar o Dia do Senhor é, em última análise, uma questão de obediência, atitude e escolha.

Imagem

A obediência ao mandamento de santificar o Dia do Senhor tornou-se um desafio para Annabelle Hyatt quando ela foi contratada para um estágio numa empresa que gerenciava parques de diversões. Em sua infância e adolescência no Texas, EUA, Annabelle aprendera a adorar ao Senhor, a repousar e a servir ao próximo no Dia do Senhor. Mas, quando se mudou para a Flórida para iniciar o estágio, viu-se obrigada a trabalhar aos domingos.

Ela explica: “No início eu ia trabalhar sem questionar, como todos os outros. Contudo, após algumas semanas, comecei a perceber o quanto estava me sentindo triste durante a semana por não tomar o sacramento nem ouvir as palavras inspiradoras de que precisava mais do que nunca”.

Certo dia ela orou pedindo ajuda e armou-se de coragem para conversar com seu supervisor sobre o desejo de ir à Igreja e de não trabalhar aos domingos. O supervisor não compreendeu por que isso era tão importante para ela. Mas Annebelle insistiu. A cada vez que via seu gerente ou seu supervisor de escala, mencionava que precisava tirar folga aos domingos e que estava disposta a trabalhar ainda mais nos outros dias para compensar.

“Por fim, as coisas aconteceram de modo milagroso!” conta ela. “Meus dias de folga tornaram-se sábado e domingo, algo inédito para uma estagiária temporária que mal concluíra o primeiro mês no programa. O privilégio de tirar folga nos fins de semana costumava estar reservado para quem já tinha mais tempo de serviço.”

Ela testifica das bênçãos: “Ao conseguir trazer de volta à minha vida a luz da frequência à Igreja, vi e senti uma enorme diferença. Quando meus colegas perguntavam por que eu achava tão importante ir à Igreja, eu os convidava a me acompanhar. Comecei a levar alguns colegas à Igreja. Não tenho dúvidas de que vale a pena defender a causa do evangelho de Jesus Cristo. A obediência ao mandamento de santificar o Dia do Senhor é imprescindível para termos o Espírito em nossa vida e nos tornarmos pessoas melhores”.

Annabelle, assim como muitos jovens adultos, foi abençoada ao permanecer comprometida a santificar o Dia do Senhor. Embora às vezes seja difícil resistir à pressão de trabalhar ou de participar de atividades que normalmente apreciamos durante a semana, a santificação do Dia do Senhor é, em última análise, uma questão de obediência, atitude e escolha. Bênçãos grandiosas virão. Estas três jovens adultas prestam testemunho de que o Senhor ajuda Seus filhos a santificar Seu dia.

O Senhor Preparou um Caminho

Quando Katrin Schulze, da Alemanha, foi fazer faculdade longe de sua cidade natal, sua determinação de guardar o Dia do Senhor foi repentinamente posta à prova. “Meus pais tinham ensinado a mim e a meus irmãos a importância de santificarmos o Dia do Senhor”, conta ela. “Para nós, isso significava não trabalhar, não fazer compras nem praticar esportes no domingo. Não me lembro de exceções.

Na faculdade, eu precisava participar de um seminário que sempre ocupava um fim de semana inteiro: sábado e domingo. Eu tinha um terrível dilema: se não participasse, não poderia me formar. Por outro lado, queria guardar todos os mandamentos do Senhor. Ao estudar a situação, percebi que não era um problema que eu poderia resolver sozinha. Invoquei o Senhor e supliquei-Lhe que me mostrasse como ser obediente e concluir meus estudos. Senti paz dentro de mim depois dessa oração.

À medida que se aproximava a data do seminário, senti nervosismo, mas continuei confiante por saber que Ele prepararia um caminho. Um dia, eu estava olhando o quadro onde eram afixados os horários dos seminários. A maioria acontecia no fim de semana, mas havia uma seção com duração de três dias, sem incluir o domingo. Percebi que o Senhor estava me ajudando a santificar o Dia do Senhor. Aquele seminário nunca havia sido realizado antes nem veio a ser realizado depois em qualquer outro dia que não fosse o domingo, mas, no ano em que eu mais precisei, o Senhor tornou isso possível para mim. Sou grata ao Senhor por ter preparado um meio de ajudar-me a guardar Seus mandamentos.”

Preparação para Adorar ao Senhor no Domingo

Katherine Wilkinson, de Utah, costumava ir dormir tarde nas noites de sábado. Ela contou o seguinte sobre um fim de semana: “Meus amigos e eu tínhamos saído para jantar, visto um filme e ficado conversando até de madrugada. Devo ter ido dormir já depois das 2 horas.

No domingo pela manhã, tateei no escuro para desligar o despertador às 7 horas e 30 minutos, mas, como as reuniões só começavam às 8 horas e 30 minutos, decidi, tonta de sono, reprogramar o despertador para 8 horas. Quando finalmente me levantei, precisei correr para me arrumar a tempo. Depois de tomar um banho de dois minutos e ficar sem desjejum, saí correndo de casa.

As reuniões da Igreja pareciam intermináveis. Eu mal conseguia ficar acordada. Não tirava os olhos do relógio, contando os minutos para poder tirar uma soneca em casa. Foi só na Escola Dominical que comecei a perceber que, na pressa, esquecera tanto as escrituras quanto o manual”.

Katherine acabou por decidir que queria mudar para poder desfrutar o Dia do Senhor e santificá-lo. “Fiquei pensando em meu Dia do Senhor”, recorda. “Eu me levantara tarde, tinha ido às pressas para a Igreja sem me arrumar direito, tinha feito um esforço enorme para assistir às reuniões (sem ter uma boa atitude) e havia voltado para casa para dormir. E não era a primeira vez que meu domingo transcorria daquela forma. Percebi que estava me privando da plenitude das bênçãos da adoração no Dia do Senhor, sobretudo o sacramento e o que ele tinha a me oferecer.

A obediência ao mandamento de santificar o Dia do Senhor inclui mais do que a presença física nas reuniões da Igreja, significa também estar lá mental e espiritualmente. Eu queria fazer isso. O Presidente Spencer W. Kimball (1895–1985) ensinou: ‘O Dia do Senhor pede pensamentos e atos construtivos, e quando alguém simplesmente fica ocioso no Dia do Senhor, está quebrando-o. Para guardá-lo, é preciso ajoelhar-se para orar, preparar aulas, estudar o evangelho, meditar, visitar os doentes e angustiados, dormir, fazer leituras salutares e frequentar todas as reuniões previstas para esse dia’ (O Milagre do Perdão, 1969, p. 98). Ao começar a mudar e a honrar esse dia sagrado, senti bênçãos maiores em minha vida.”