Estamos Preparados?
    Notas de rodapé

    Mensagem da Primeira Presidência

    Estamos Preparados?

    Na região onde eu morava e servia, a Igreja tinha uma granja, na qual trabalhavam voluntários das alas locais. Na maior parte do tempo, era um serviço de bem-estar muito bem dirigido, suprindo o armazém do bispo com milhares de ovos frescos e centenas de quilos de frango. Em algumas ocasiões, no entanto, o fato de sermos fazendeiros voluntários oriundos da cidade causava não só bolhas nas mãos, mas também certa frustração.

    Por exemplo, jamais me esquecerei da ocasião em que reunimos os rapazes do Sacerdócio Aarônico para lá fazerem uma grande faxina. Nossos jovens, entusiasmados e cheios de energia, reuniram-se na granja e, com rapidez, arrancaram, juntaram e queimaram grandes quantidades de ervas daninhas e lixo. À luz das grandes fogueiras, comemos cachorro-quente e nos congratulamos pelo trabalho bem feito.

    No entanto, houve só um problema desastroso. O barulho e as fogueiras perturbaram tanto a frágil e temperamental população de 5.000 galinhas poedeiras que a maioria delas começou a perder as penas repentinamente e parou de botar ovos. Dali em diante, passamos a tolerar um pouco de mato para podermos produzir mais ovos.

    Nenhum membro da Igreja que tenha ajudado a prover o sustento de necessitados se esquece ou se arrepende da experiência pessoal que teve. A industriosidade, a frugalidade, a autossuficiência e a generosidade com o próximo não são coisas novas para nós.

    Devemos lembrar que o melhor sistema de armazenamento seria que cada família da Igreja tivesse um suprimento de alimentos, roupas e, se possível, outras coisas necessárias para a vida.

    Claro que pode haver momentos em que os membros precisam de ajuda da Igreja. O armazém do Senhor inclui o tempo, os talentos, as habilidades, a compaixão, o material consagrado e os meios financeiros dos membros fiéis da Igreja. Esses recursos estão à disposição do bispo para auxiliar os necessitados.

    Recomendamos a todos os santos dos últimos dias que sejam prudentes em seu planejamento e modestos em seu estilo de vida e evitem dívidas excessivas ou desnecessárias. Um número muito maior de pessoas conseguiria sobrepujar as dificuldades de sua vida financeira se tivesse um estoque de alimentos e de roupas e nenhuma dívida. Constatamos que muitos seguiram esse conselho ao contrário: têm pelo menos um ano de dívidas e estão sem nenhum alimento.

    Repito o que a Primeira Presidência declarou há alguns anos:

    “Os santos dos últimos dias vêm sendo aconselhados há muitos anos a preparar-se para cada dificuldade e a ter algum dinheiro de reserva. Fazer isso eleva imensamente sua segurança e seu bem-estar. Toda família tem a responsabilidade de suprir suas próprias necessidades na medida do possível.

    Incentivamos a todos, independentemente da parte do mundo em que vivem, a preparar-se para a adversidade examinando sua situação financeira. Exortamos vocês a serem frugais em suas despesas e controlados ao fazerem compras a fim de evitarem dívidas. Paguem as dívidas o mais rápido possível e livrem-se desse cativeiro. Economizem algum dinheiro regularmente para que, gradualmente, tenham uma reserva financeira”.1

    Será que estamos preparados para as emergências de nossa vida? Será que nossas habilidades estão aperfeiçoadas? Vivemos de modo previdente? Temos nosso suprimento de reserva à mão? Somos obedientes aos mandamentos de Deus? Será que seguimos os ensinamentos dos profetas? Estamos preparados para dividir nosso sustento com os pobres e necessitados? Estamos quites com o Senhor?

    Vivemos em tempos conturbados. O futuro é muitas vezes uma incógnita; portanto, cabe a nós preparar-nos para as incertezas. Quando essa hora chegar, o tempo de preparação já terá passado.

    Nota

    1. A Primeira Presidência, Preparar Todas as Coisas Necessárias: Finanças da Família (panfleto, 2007).

    Ensinar Usando Esta Mensagem

    Levando em conta as necessidades das pessoas que você visita, pense em maneiras de ajudá-las a ser mais autossuficientes no emprego, nas finanças, no armazenamento de alimentos ou na preparação para emergências. Pense numa habilidade que você poderia compartilhar com elas, como jardinagem ou administração das finanças, que poderia capacitá-las a seguir o conselho do Presidente Monson.

    Para ideias sobre como ensinar esta mensagem para os jovens e as crianças, veja a página 6.