2007
Um Testemunho de Profetas
Outubro de 2007


Um Testemunho de Profetas

Imagem

Apresentei os missionários à minha família quando tinha 12 anos. Eu os encontrei na rua e eles foram amistosos comigo. Estavam ajudando a Igreja a construir uma capela em minha cidade, no Brasil, e me convidaram para auxiliá-los, o que comecei a fazer em meu tempo livre. Nunca tinha ouvido falar nesses rapazes que dedicavam seu tempo para a construção de uma igreja.

Fiquei tão impressionado com eles, que decidi apresentá-los a meus pais, e nós os convidamos para vir à nossa casa. Os missionários deram a primeira palestra a minha família. Nunca tínhamos fumado e, assim, nossa família já cumpria essa parte da Palavra de Sabedoria, e já realizávamos noites familiares todas as noites em nossa casa. Não a chamávamos de noite familiar, mas era isso que fazíamos. Éramos católicos e íamos regularmente à igreja; assim, meu pai lhes disse que estava satisfeito com nossa religião.

Os missionários se foram, mas escreveram a respeito de nossa família no ‘livro de área’, que permaneceu no apartamento deles, registrando seus sentimentos de que nós nos uniríamos à Igreja.

Aprender a Respeito de Famílias Eternas

Dez anos depois, eu residia em outra cidade, quando chegaram novos missionários na área em que morava minha família. Eles não tinham ninguém para ensinar, assim, decidiram procurar no livro de área. Encontraram o nome de meus pais e foram visitá-los. Os missionários oraram antes de sair e o Senhor os inspirou. Apesar de ser muito fiel a sua religião, meu pai tinha uma dúvida. Ele não podia acreditar que, depois da morte, sua mulher não seria mais sua esposa. Sentia realmente que os laços familiares precisavam continuar depois da morte. Ele já perguntara a ministros de diferentes igrejas a esse respeito, e todos lhe explicavam: “Não, depois da morte, sua mulher será como sua irmã; e seu filho, como seu irmão”.

Quando esses missionários bateram à porta de nossa casa, meu pai lhes disse que já conhecia sua mensagem e que não estava interessado. Mas os missionários lhe disseram: “Temos outra mensagem para você. Sabe que sua família pode ser unida para sempre?” Essas palavras o inspiraram. Meu pai convidou-os a entrar e a ensiná-lo. Orientados pelo Espírito, os missionários falaram a minha família a respeito do casamento eterno e de famílias eternas. Com essa introdução ao evangelho, minha família continuou a recebê-los, até todos obterem um testemunho e decidirem ser batizados e confirmados.

Como Obtive Meu Testemunho

Cinco anos depois — eu estava então com 27 anos — voltei para ficar uns tempos na casa de meu pai que, a essa altura, era líder da missão da ala e, por isso, as missionárias ensinavam outra pessoa em minha casa. Por acaso, ouvi-as falar a respeito do Livro de Mórmon e Joseph Smith, e decidi orar a respeito do assunto. Na minha maneira de pensar, era lógico que, se Joseph Smith era um profeta, então o Livro de Mórmon era verdadeiro e a Igreja também.

Comecei naquela noite a ler a história de Joseph Smith e sua visão no Bosque Sagrado. Então, parei e orei ao Senhor. Passei a noite inteira assim, lendo e orando a respeito de cada parágrafo. Passaram-se 14 horas. Algo me aconteceu quando comecei a ponderar. Parecia que eu estivera no bosque com Joseph. Foi uma experiência vívida e real. Parecia-me poder ver o que ocorrera. Na manhã seguinte, quando terminei a oração, eu sabia que Joseph Smith era um profeta.

Saí imediatamente à procura das missionárias. Ao meio-dia, quando elas vieram almoçar, eu estava sentado em frente à porta, esperando por elas. Pedi-lhes que me ensinassem as palestras. Depois que me ensinaram as sete palestras, em um curto período de tempo, fui batizado e confirmado membro da Igreja.

Seguir aos Profetas

Cerca de um mês depois que me filiei à Igreja, conheci minha mulher, Margareth, e nos casamos um ano depois. Enquanto namorávamos, eu lhe disse que, por saber que Joseph Smith era um profeta, queria constituir nossa família alicerçada nas palavras e ensinamentos dos profetas. Por exemplo, o Presidente Spencer W. Kimball (1895–1995) era o profeta na ocasião, e ele aconselhou os membros da Igreja a não assumirem dívidas. Em 29 anos de casamento, minha mulher e eu nunca pagamos um centavo sequer de juros. Nunca.

Desde o momento em que obtive um testemunho de Joseph Smith, tenho prestado atenção a cada palavra da Primeira Presidência e dos Doze Apóstolos, e coloco em prática o que eles ensinam. Por saber que Joseph Smith foi um profeta, nunca me foi difícil seguir as Autoridades Gerais. Eles podem-me pedir que faça qualquer coisa e eu a farei, por saber que são profetas, videntes e reveladores.

Se você se esforçar para obter um testemunho dos profetas, tornar-se-á mais forte. Essa é uma das chaves para a felicidade. Quando atendemos às exortações dos profetas, fazendo o que eles nos aconselham, somos felizes, obedecendo-lhes.

Imprimir