Restauração e história da Igreja
Notas sobre as fontes

“Notas sobre as fontes”, Santos: A História da Igreja de Jesus Cristo nos Últimos Dias, Volume 1, O Estandarte da Verdade, 1815–1846, 2018

“Notas sobre as fontes”, Santos, Volume 1

Notas sobre as fontes

Este livro é uma narrativa não fictícia baseada em mais de 500 fontes históricas. Extremo cuidado foi tomado para garantir sua exatidão. Os primeiros santos dos últimos dias escreveram muitas cartas, diários, artigos de jornal e autobiografias. Como resultado disso, grande parte da história da Igreja do período entre 1815 e 1846 está extraordinariamente bem documentada. Os leitores não devem presumir, no entanto, que a narrativa aqui apresentada seja perfeita ou completa. Os registros do passado, e nossa capacidade de interpretá-los no presente, são limitados.

Todas as fontes de conhecimento histórico contêm lacunas, ambiguidades e opiniões preconcebidas. Com frequência transmitem apenas o ponto de vista do autor. Consequentemente, pessoas que testemunham os mesmos acontecimentos os vivenciam, lembram-se deles e os relatam de diferentes maneiras, e suas perspectivas diversas possibilitam várias maneiras de interpretar a história. O desafio do historiador é coletar os pontos de vista conhecidos e reuni-los de modo a gerar um entendimento preciso do passado por meio de cuidadosa análise e interpretação.

Santos é um relato verdadeiro da história de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, com base no que conhecemos e entendemos no presente a partir dos registros históricos existentes. Não é a única maneira possível de contar a história sagrada da Igreja, mas os estudiosos que pesquisaram, redigiram e revisaram este livro conhecem muito bem as fontes históricas, usaram-nas de modo cuidadoso e as documentaram nas notas finais e na lista de fontes citadas. Os leitores são incentivados a avaliar as fontes por si mesmos. Muitas dessas fontes foram digitalizadas e o link para acesso a elas se encontra nas notas finais. É provável que a descoberta de mais fontes ou novas leituras das já existentes com o tempo suscitem outros significados, interpretações e possíveis pontos de vista.

A narrativa contida em Santos se baseia em fontes primárias e secundárias. As fontes primárias contêm informações sobre acontecimentos testemunhados em primeira mão pelos autores. Algumas fontes primárias, como cartas e diários, foram escritas na época dos acontecimentos nelas descritos. Essas fontes contemporâneas expressam o que as pessoas pensaram, sentiram e fizeram naquele momento, revelando como o passado foi interpretado na época em que aconteceu. Outras fontes primárias, como as autobiografias, foram escritas após o fato. Essas fontes reminiscentes revelam o que o passado veio a significar para o autor ao longo do tempo, com frequência tornando-as melhores do que as fontes contemporâneas no reconhecimento da importância dos acontecimentos passados. Como elas dependem de lembranças, porém, as fontes reminiscentes podem incluir imprecisões e ser influenciadas pelo entendimento e pelas crenças posteriores do autor.

As fontes históricas secundárias contêm informações provenientes de pessoas que não testemunharam em primeira mão os acontecimentos nelas descritos. Essas fontes incluem histórias de família e obras acadêmicas posteriores. Este livro tem uma grande dívida para com muitas dessas fontes, que se provaram muito valiosas devido ao contexto mais amplo e ao trabalho interpretativo que proporcionaram.

Todas as fontes de Santos foram avaliadas no tocante à credibilidade, e cada frase foi repetidamente verificada para garantir coerência com as fontes. As linhas de diálogo e outras citações provêm diretamente das fontes históricas, palavra por palavra. A ortografia, a utilização de maiúsculas e a pontuação nas citações diretas foram discretamente modernizadas para clareza. Em raros casos, foram feitas modificações mais significativas nas citações, como a mudança da conjugação dos verbos do pretérito para o presente ou a padronização da gramática, de modo a torná-las mais fáceis de ler. Nesses casos, as notas finais descrevem as mudanças feitas. A escolha das fontes a serem usadas e o modo de usá-las foram feitas por uma equipe de historiadores, escritores e revisores que basearam suas decisões na integridade histórica e na qualidade literária das fontes.

As lembranças de Lucy Mack Smith, por exemplo, são uma fonte fundamental para os primeiros capítulos deste livro. Lucy as escreveu entre 1844 e 1845, aos 69 anos de idade, com a ajuda de Martha Jane Knowlton Coray e do marido de Martha, Howard. Como fonte reminiscente, a história de Lucy não está isenta de erros, mas é de modo geral bem confiável. Ela é usada de modo criterioso neste livro e citada na maioria das vezes em relação a acontecimentos testemunhados por Lucy. Para obter mais informações sobre essa história, ver “Lucy Mack Smith” em santos.LDS.org.

Algumas fontes antagonistas foram usadas para redigir este livro e estão citadas nas notas. Essas fontes foram principalmente usadas para caracterizar a oposição à Igreja em seu princípio. Embora grandemente hostis a Joseph Smith e à Igreja, esses documentos contêm detalhes que não foram registrados em nenhum outro lugar. Alguns desses detalhes foram utilizados quando outros registros confirmaram de modo geral sua exatidão. Os fatos contidos nesses registros antagonistas foram usados sem que se adotasse sua interpretação hostil.

Como narrativa escrita para um público geral, este livro apresenta a história da fundação da Igreja em formato coerente e acessível. Embora utilize técnicas populares de narração de histórias, restringe-se a informações encontradas nas fontes históricas. Quando o texto inclui até detalhes mínimos, como expressões faciais ou condições climáticas, é porque esses detalhes se encontram no registro histórico ou podem ser razoavelmente deduzidos a partir dele.

Para manter a facilidade de leitura, o livro raramente aborda problemas do registro histórico no texto propriamente dito. Em vez disso, esses debates referentes às fontes se encontram nos artigos sobre tópicos, em santos.LDS.org. Os leitores são incentivados a consultar esses artigos ao estudarem a história da Igreja.