Escrituras
Jeremias 33
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Capítulo 33

Judá e Israel serão coligados — É prometido o Renovo de Retidão (o Messias) — A Semente de Davi (o Messias) reinará para sempre.

1 E veio a palavra do Senhor a Jeremias, uma segunda vez, estando ele ainda encerrado no pátio da guarda, dizendo:

2 Assim diz o Senhor que o faz, o Senhor que forma isto, para o estabelecer; o Senhor é o seu nome.

3 Clama a mim, e responder-te-ei, e aanunciar-te-ei coisas grandes e inacessíveis que não sabes.

4 Porque assim diz o Senhor, o Deus de Israel, das casas desta cidade, e das casas dos reis de Judá, que foram derrubadas com as rampas e à espada:

5 Bem entraram a pelejar contra os caldeus, mas isso é para os encher de cadáveres de homens, que feri na minha ira e no meu furor; porquanto escondi o meu rosto desta cidade, por causa de toda a sua maldade.

6 Eis que eu farei subir sobre ela saúde e cura, e os sararei; e lhes manifestarei abundância de paz e de verdade.

7 E farei aretornar os cativos de Judá e os cativos de Israel, e os edificarei como ao princípio.

8 E os apurificarei de toda a sua maldade com que pecaram contra mim; e perdoarei todas as suas maldades, com que pecaram contra mim, e com que transgrediram contra mim.

9 E servir-me-á de nome de alegria, de alouvor, e de ornamento, entre todas as nações da terra, que ouvirem todo o bem que eu lhes faço; e espantar-se-ão e perturbar-se-ão por causa de todo o bem, e por causa de toda a paz que eu lhes dou.

10 Assim diz o Senhor: Neste lugar (de que vós dizeis que está deserto, e não há nele nem homem nem animal), nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém, que tão assoladas estão, que não há nelas nem homem, nem morador, nem animal, ainda se ouvirá

11 A voz de regozijo, e a voz de alegria, a voz de esposo e a voz de esposa, e a voz dos que dizem: Louvai ao Senhor dos Exércitos, porque bom é o Senhor, porque a sua benignidade dura perpetuamente; como também dos que trazem louvor à casa do Senhor; porque farei retornar os cativos da terra como ao princípio, diz o Senhor.

12 Assim diz o Senhor dos Exércitos: Ainda neste lugar, que está tão deserto, que não há nele nem homem, nem ainda animal, e em todas as suas cidades, haverá uma morada de pastores, que façam arepousar o gado.

13 Nas cidades das montanhas, nas cidades das planícies, e nas cidades do sul, e na terra de Benjamim, e nos contornos de Jerusalém, e nas cidades de Judá, ainda passará o gado pelas mãos de quem os conte, diz o Senhor.

14 Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que cumprirei a palavra boa que afalei à casa de Israel e sobre a casa de Judá.

15 Naqueles dias e naquele tempo farei brotar a Davi um aRenovo de justiça, e fará juízo e justiça na terra.

16 Naqueles dias Judá será salvo, e Jerusalém habitará seguramente; e este é o nome que lhe chamarão a ele, o Senhor, Justiça Nossa.

17 Porque assim diz o Senhor: Nunca faltará a Davi homem que se assente sobre o trono da casa de Israel;

18 Nem aos sacerdotes levíticos faltará homem de diante de mim, que ofereça holocausto, e queime oferta de manjares, e faça sacrifício todos os dias.

19 E veio a palavra do Senhor a Jeremias, dizendo:

20 Assim diz o Senhor: Se puderdes invalidar o meu convênio do dia, e o meu convênio da noite, de tal modo que não haja dia e noite a seu tempo,

21 Também se poderá invalidar o meu convênio com Davi, meu servo, para que não tenha filho que reine no seu trono; como também com os levitas sacerdotes, meus ministros.

22 Como não se pode contar o exército dos céus, nem medir-se a areia do mar, assim multiplicarei a semente de Davi, meu servo, e os levitas que ministram diante de mim.

23 E veio ainda a palavra do Senhor a Jeremias, dizendo:

24 Porventura não tens visto o que este povo fala, dizendo: As duas famílias, as quais o Senhor elegeu, agora as rejeitou? Assim, desprezam o meu povo, como se não fora mais um povo diante deles.

25 Assim diz o Senhor: Se o meu convênio do dia e da noite não existir, e eu não determinar os cursos estabelecidos dos céus e da terra,

26 Também rejeitarei a semente de Jacó, e de Davi, meu servo, para que eu não tome da sua semente os que dominem sobre a semente de Abraão, Isaque, e Jacó; porque farei retornar os seus cativos, e apiedar-me-ei deles.