O que a Igreja no lar me ensinou sobre nos reunirmos
    Notas de rodapé
    Theme

    Apenas online: Jovens adultos

    O que a Igreja no lar me ensinou sobre nos reunirmos

    Fiquei triste quando as reuniões da Igreja foram temporariamente suspensas por causa da pandemia. Agora me sinto grata pelo que aprendi.

    Reading book

    A autora mora em Scania, Suécia.

    A oportunidade de ir à igreja sempre foi um dos pontos altos da minha semana. Eu adorava me encontrar com amigos e familiares, deixando de lado as preocupações do mundo ao adorarmos juntos.

    Então, tudo mudou por causa da pandemia. Na época, não tínhamos muitos casos de coronavírus na Suécia, e a escola continuava normal, por isso não entendi bem por que os líderes da Igreja acharam que precisávamos suspender as reuniões. Com toda a confusão que havia internacionalmente, eu ficava ansiosa para me encontrar com meus amigos no domingo. Mas então fiquei sabendo que as reuniões da Igreja tinham sido temporariamente suspensas e que iríamos adorar em casa. Fiquei triste e um pouco frustrada.

    Quando chegou o domingo, eu me vesti e me arrumei, tomei o desjejum e me sentei com meus pais. Vi que meu pai tinha preparado cuidadosamente o sacramento, com uma toalha branca sobre o pão e a água, e tinha aberto as escrituras nas orações sacramentais.

    Pouco depois, chegou a hora de cantar o hino sacramental. Quando meu pai começou a partir o pão, senti o Espírito muito forte. Parecia que Ele estava me dizendo que a Expiação de Jesus Cristo era especificamente para mim. Comecei a chorar, e quando olhei para minha mãe, vi que ela também estava chorando e sorrindo para mim — ela tinha sentido o Espírito também.

    Embora eu estivesse um pouco descrente a princípio, agora sei que tomar o sacramento em casa é uma oportunidade muito bela e pessoal. Nas últimas semanas, senti mais gratidão pelo sacerdócio e pelo evangelho restaurado, que nos dá consolo e paz nos momentos de provação. Também senti o amor que o Pai Celestial tem por todos os Seus filhos. E me senti particularmente grata pelo profeta, que nos ajuda a saber o que fazer mesmo quando não entendemos o motivo.

    Desde que recebemos as instruções iniciais de ter a Igreja em casa, a COVID-19 se espalhou para milhares de pessoas na Suécia e continua a afetar quase todos os países do mundo. Embora eu adore a oportunidade pessoal de realizar as reuniões da igreja em casa com uns poucos entes queridos, percebi que não é o mesmo que ir à igreja e adorar todos juntos na ala ou no ramo. A bênção de elevar-nos uns aos outros na reunião sacramental e em outras reuniões é insubstituível.

    Conforme ensinou o élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos: “Um dos principais propósitos do Senhor ao ter uma Igreja é o de criar uma comunidade de santos que apoiarão uns aos outros no ‘caminho estreito e apertado que conduz à vida eterna’ (2 Néfi 31:18)”.1

    Percebi que a Igreja é muito mais do que apenas nos reunirmos com amigos a cada semana. É tomar o sacramento, sentir que somos incluídos, apoiar uns aos outros e edificar uma comunidade de fé no reino de Deus. Sempre serei grata pela bênção de ter podido ter a igreja em casa durante a época da COVID-19 e pelas coisas novas que aprendi sobre a importância de nos reunirmos. A reunião sacramental será ainda mais especial quando pudermos nos reunir novamente.