Veja a Si Mesmo no Templo
    Notas de rodapé

    Veja a Si Mesmo no Templo

    Oro para que cada um de nós honre o Salvador e faça quaisquer mudanças necessárias para ver a nós mesmos em Seu templo sagrado.

    A propagação do Plano de Salvação do Senhor durante esta dispensação da plenitude dos tempos está quase além da compreensão.1 Isso é exemplificado no anúncio feito pelo Presidente Thomas S. Monson nesta sessão de conferência a respeito dos quatro novos templos. Quando o Presidente Monson foi chamado como apóstolo em 1963, havia 12 templos em funcionamento no mundo.2 Com a dedicação do Templo de Provo City Center, há agora 150, e haverá 177 quando todos os templos anunciados forem dedicados. Isso é motivo de humilde alegria para nós.

    Há 180 anos, neste mesmo dia, 3 de abril de 1836, uma magnífica visão foi dada a Joseph Smith e a Oliver Cowdery no Templo de Kirtland. Isso ocorreu apenas uma semana após a dedicação do templo. Nessa visão, eles contemplaram o Senhor, que estava de pé no parapeito do púlpito do templo. Entre outras coisas, o Salvador declarou:

    “Que se regozije o coração (…) de todo o meu povo, que com sua força construiu esta casa ao meu nome.

    Pois eis que aceitei esta casa, e meu nome aqui estará; e manifestar-me-ei a meu povo com misericórdia nesta casa”.3

    Naquela ocasião sagrada, antigos profetas apareceram, inclusive Elias, que conferiu as chaves essenciais para as ordenanças do templo.

    Temos uma ideia da alegria dos membros e dos missionários com o anúncio dos templos em Quito, Equador; Harare, Zimbábue; Belém, Brasil; e Lima, Peru; tendo por base o que aconteceu em Bangcoc, Tailândia, há um ano, quando o templo de lá foi anunciado. Na época, a Síster Shelly Senior, esposa do Presidente da Missão Tailândia, David Senior, enviou um e-mail para a família e para os amigos dizendo que, depois que ela e o marido ouviram o anúncio do templo pelo Presidente Monson, houve “12 horas de insônia e muitas lágrimas de felicidade”. Eles telefonaram para os assistentes da missão às 23 horas e 30 minutos para informá-los. Os assistentes ligaram para todos os missionários. A notícia que chegou de volta foi que “todos os missionários acordaram no meio da noite e começaram a pular de alegria na cama”. A Síster Senior, de maneira bem-humorada, pediu à família e aos amigos: “Por favor, não contem para o Departamento Missionário!”4

    A resposta profundamente espiritual dos membros na Tailândia foi igualmente forte. Estou certo de que houve uma preparação espiritual no coração e no lar dos santos onde serão localizados esses novos templos anunciados, e manifestações do céu os prepararam.

     Jovens tailandesas com um espelho onde se lê: “Veja a Si Mesma no Templo”.

    Na Tailândia, a irmã Senior tinha alguns espelhos de mão especiais que usava para dar instruções, especialmente às sísteres. Havia um templo gravado no espelho com a frase: “Veja a Si Mesma no Templo”. Quando as pessoas olhavam para o espelho, viam a si mesmas no templo. Os Senior ensinaram os pesquisadores e os membros a se imaginarem no templo e a fazerem as mudanças de vida e a preparação espiritual necessárias para atingir essa meta.

    Meu desafio esta manhã é que cada um de nós, onde quer que moremos, vejamos a nós mesmos no templo. O Presidente Monson declarou: “Até vocês terem entrado na casa do Senhor e recebido todas as bênçãos que os aguardam ali, não terão obtido tudo o que a Igreja tem a oferecer. As bênçãos mais importantes e sublimes de nossa condição de membros da Igreja são as que recebemos nos templos de Deus”.5

    Apesar da falta de retidão no mundo hoje, vivemos em uma época sagrada e santa. Ao longo dos séculos, os profetas, com amor e com anseio no coração, descreveram nossos dias.6

    O Profeta Joseph Smith, citando Obadias7 no Velho Testamento e 1 Pedro8 no Novo Testamento, reconheceu o grande propósito de Deus em proporcionar o batismo pelos mortos, permitindo-nos ser salvadores no Monte Sião.9

    O Senhor fez com que nosso povo prosperasse e forneceu os recursos e a orientação profética para que sejamos valentes no exercício de nossas responsabilidades no templo, tanto para com os vivos como para com os mortos.

    Por causa do evangelho restaurado de Jesus Cristo, compreendemos o propósito da vida, o Plano de Salvação estabelecido pelo Pai para Seus filhos, o sacrifício redentor do Salvador e o papel central da família na organização do céu.10

    A combinação do aumento no número de templos e a tecnologia para cumprir nossas responsabilidades sagradas relativas à história da família por nossos antepassados faz deste momento o mais abençoado de toda a história. Regozijo-me com a extraordinária fidelidade de nossos jovens que fazem indexação, que encontram seus antepassados e depois realizam o trabalho do batismo e da confirmação no templo. Vocês literalmente estão entre os salvadores do Monte Sião que foram profetizados.

    Como Nos Preparamos para o Templo?

    Sabemos que a retidão e a santificação são uma parte essencial da preparação para o templo.

    Em Doutrina e Convênios, seção 97, lemos: “E se meu povo me construir uma casa em nome do Senhor e não permitir que nela entre qualquer coisa impura, de modo que não seja profanada, minha glória descansará sobre ela”.11

    Até 1891, o Presidente da Igreja assinava todas as recomendações para o templo a fim de proteger a santidade do templo. Depois disso, essa responsabilidade foi delegada aos bispos e aos presidentes de estaca.

    É nosso grande desejo que os membros da Igreja vivam de modo a serem dignos de uma recomendação para o templo. Por favor, não vejam o templo como algo distante e talvez como um objetivo inatingível. Ao trabalharem em conjunto com o bispo, a maioria dos membros pode alcançar todos os requisitos de integridade em um período relativamente curto de tempo se tiver a determinação de se qualificar e de se arrepender das transgressões. Isso inclui estarmos dispostos a nos perdoar e a não nos concentrar em nossas imperfeições ou em nossos pecados como algo que sempre nos desqualifica de entrar no templo sagrado.

    A Expiação do Salvador foi realizada por todos os filhos de Deus. Seu sacrifício redentor satisfaz as exigências da justiça para todos os que verdadeiramente se arrependem. As escrituras descrevem isso de maneira muito bela:

    “Ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve”.12

    “E nunca mais me lembrarei [deles].”13

    Nós lhe asseguramos que viver princípios justos trará a você e à sua família felicidade, satisfação e paz.14 Membros, tanto adultos quanto jovens,15 atestam sua dignidade ao responderem às perguntas da recomendação para o templo. O requisito essencial é aumentar nosso testemunho de Deus, o Pai; de Seu Filho, Jesus Cristo; e da Restauração de Seu evangelho e sermos ministrados pelo Espírito Santo.

    As Bênçãos do Templo São Imensuráveis

    As principais bênçãos do templo são as ordenanças de exaltação. O plano do evangelho está relacionado à exaltação e inclui fazer e guardar convênios sagrados com Deus. Para os vivos, com exceção do batismo e da confirmação, essas ordenanças e esses convênios são realizados e recebidos no templo. Para os mortos, todas as ordenanças e todos os convênios de salvação são recebidos no templo.

    Brigham Young ensinou: “Não existe uma coisa sequer que o Senhor pudesse ter feito para a salvação da família humana, que tenha deixado de fazer (…). Tudo o que poderia ser feito para sua salvação, independentemente dos homens, já foi realizado por intermédio do Salvador”.16

    Os líderes da Igreja organizam estacas, alas, quóruns, auxiliares da Igreja, missões e, assim por diante, em nossas capelas e em outros edifícios. O Senhor organiza famílias eternas somente nos templos.

    É claro que as pessoas com um coração quebrantado e um espírito contrito que verdadeiramente se arrependeram de seus pecados são totalmente aceitas pelo Senhor em Sua casa santa.17 Sabemos que “Deus não faz acepção de pessoas”.18 Uma das coisas preciosas que amo sobre o templo é que entre aqueles que lá frequentam não há distinção de riqueza, de classe ou de qualquer outro tipo. Todos somos iguais perante Deus. Todos estão vestidos de branco para representar que somos um povo puro e justo.19 Todos se sentam lado a lado com o desejo no coração de serem dignos filhos e filhas de um amoroso Pai Celestial.

     Sala de selamento do templo

    Pensem, no mundo todo, mulheres e homens podem, por meio das “ordenanças e [dos] convênios sagrados dos templos santos, (…) [retornar] à presença de Deus e (…) [ser unidos] para sempre”.20 Eles fazem isso em uma bela sala sagrada de selamento que está disponível para todos os membros dignos de entrar no templo. Depois de fazerem esses convênios, eles podem “ver a si mesmos no templo” olhando no espelho que fica de frente para outro espelho. “Juntos esses espelhos no templo refletem uma sucessão de imagens que parecem prolongar-se pela eternidade.”21 Essas imagens refletidas nos ajudam a contemplar os pais, os avós e todas as gerações anteriores. Elas nos ajudam a reconhecer os convênios sagrados que nos unem a todas as gerações seguintes. Isso é muito significativo e começa quando você vê a si mesmo no templo.

     Espelhos em uma sala de selamento

    O Presidente Howard W. Hunter nos aconselhou que “meditemos sobre os ensinamentos grandiosos da grande oração dedicatória do Templo de Kirtland, oração que Joseph Smith disse ter-lhe sido dada por revelação. É uma oração que continua a ser respondida na vida de cada um de nós, tanto individualmente quanto como famílias e como povo, devido ao poder do sacerdócio que o Senhor nos deu para usarmos em Seu templo sagrado”.22 Faríamos bem em estudar a seção 109 de Doutrina e Convênios e em seguir a admoestação do Presidente Hunter de “[fazermos] do templo do Senhor o grande símbolo de [nossa] condição de membro”.23

    O templo é também um lugar de refúgio, de ação de graças, de instrução, de entendimento e, “para que [sejamos] aperfeiçoados (…) em todas as coisas”, refere-se “ao reino de Deus na Terra”.24 Durante toda a minha vida, ele foi um lugar de tranquilidade e de paz em um mundo literalmente tumultuado.25 É maravilhoso deixar para trás os cuidados do mundo naquele ambiente sagrado.

    Com frequência, no templo e no trabalho de pesquisa de história da família, sentimos os sussurros e as impressões do Espírito Santo.26 Às vezes no templo, o véu entre nós e aqueles que estão do outro lado se torna muito tênue. Recebemos ajuda adicional em nosso empenho de sermos salvadores no Monte Sião.

    Há vários anos, em um templo na América Central, a esposa de uma Autoridade Geral emérita ajudou um pai, uma mãe e os filhos a receberem os convênios eternos na sala de selamento onde estão os espelhos do templo. Quando terminaram e olharam no espelho, ela percebeu que havia um rosto no espelho que não estava na sala. Ela perguntou à mãe e descobriu que uma filha deles havia falecido e, por isso, não estava ali presente fisicamente. A filha falecida foi então incluída por procuração na ordenança.27 Jamais subestimem a ajuda que vem do outro lado do véu, nos templos.

    Quero que saibam o quanto sinceramente desejamos que todos façam as mudanças necessárias para que se qualifiquem para entrar no templo. Em espírito de oração, analisem a situação espiritual de sua vida, busquem a orientação do Espírito e conversem com seu bispo sobre preparar-se para o templo. O Presidente Thomas S. Monson disse: “Não há meta mais importante para alcançarem do que a de serem dignos de ir ao templo”.28

    O Salvador “É a Pedra Angular Principal e Inamovível de Nossa Fé e de Sua Igreja”

    Tive o privilégio de participar, com o Presidente Henry B. Eyring, da rededicação do Templo de Suva Fiji há dois meses. Foi uma ocasião especial e sagrada A coragem do Presidente Eyring e suas fortes impressões espirituais permitiram que a rededicação ocorresse em meio ao pior ciclone já registrado no Hemisfério Sul. Proteção física e espiritual foram proporcionadas aos jovens, aos missionários e aos membros.29 A mão do Senhor estava claramente evidente. A rededicação do Templo de Suva Fiji foi um refúgio contra a tempestade. Muitas vezes, quando enfrentamos as tempestades da vida, testemunhamos a mão do Senhor oferecendo proteção eterna.

    A primeira dedicação do Templo de Suva Fiji, no dia 18 de junho de 2000, também foi extraordinária. Às vésperas do término da construção do templo, os membros do parlamento foram sequestrados por um grupo de rebeldes O centro da cidade de Suva, Fiji, foi saqueado e queimado. Os militares declararam lei marcial.

    Como presidente da Área, fui acompanhado dos quatro presidentes de estaca de Fiji e nos reunimos com os líderes militares no quartel Rainha Elizabeth. Depois que explicamos a respeito da dedicação, eles nos deram apoio, mas estavam preocupados com a segurança do Presidente Gordon B. Hinckley. Recomendaram que fizéssemos uma pequena dedicação sem que houvesse eventos fora do templo, como a cerimônia de assentamento da pedra angular. Eles enfatizaram que qualquer pessoa que estivesse fora do templo poderia ser alvo de violência.

    O Presidente Hinckley aprovou uma pequena sessão dedicatória com apenas a nova presidência do templo e alguns líderes locais. Outras pessoas não foram convidadas devido ao risco que corriam. No entanto, declarou enfaticamente: “Se vamos dedicar o templo, teremos a cerimônia de assentamento da pedra angular, porque Jesus Cristo é a principal pedra de esquina e esta é Sua Igreja”.

    Quando saímos para a cerimônia de assentamento da pedra angular, não havia não membros, crianças, a mídia ou outras pessoas presentes. Mas um profeta fiel demonstrou sua coragem e seu resoluto comprometimento com o Salvador.

    Mais tarde, o Presidente Hinckley, falando sobre o Salvador, disse: “Não existe ninguém que se iguale a Ele. Jamais existiu. Jamais existirá. Graças a Deus pelo dom de Seu Filho Amado, que deu a Sua vida para que pudéssemos viver e que é a pedra angular principal e inamovível de nossa fé e de Sua Igreja”.30

    Irmãos e irmãs, oro para que cada um de nós honre o Salvador e faça quaisquer mudanças necessárias para ver a nós mesmos em Seu templo sagrado. Ao fazermos isso, que realizemos Seus propósitos sagrados e preparemos a nós e a nossa família para todas as bênçãos que o Senhor e Sua Igreja podem nos conceder nesta vida e na eternidade. Presto firme testemunho de que o Salvador vive. Em nome de Jesus Cristo. Amém.