1990–1999
    Chamados A Servir
    Notas de rodapé
    Tema

    Chamados A Servir

    “Encorajamo-vos, grandes e jovens portadores do sacerdócio, a começar agora a preparação material e espiritual para que sejais completamente dignos e preparados a… usar aquela plaqueta especial de missionário de tempo integral.”

    “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.

    Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

    Ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mateus 28:18–20).

    Mateus escolheu estas palavras para concluir o seu evangelho — o relato do Senhor ressuscitado desafiando aqueles designados a levar avante o seu ministério para os povos do mundo. O mandamento foi claro: eles deviam ensinar, batizar e continuar a ensinar após o batismo, a fim de se assegurarem de que os conversos permaneceriam na Igreja.

    No decorrer da história do evangelho, esse mandamento, dado especialmente aos portadores do santo sacerdócio, tem sido sempre o mesmo — ensinar, batizar, e continuar a ensinar a fim de edificar testemunhos duradouros no coração de todos os filhos do Pai Celestial que pudermos alcançar. Fomos chamados a servir!

    Costumo cumprimentar os jovens portadores do sacerdócio da Igreja ao encontrá-los em todas as partes do mundo, com a pergunta, “Futuro missionário?” Seus semblantes geralmente se iluminam com uma resposta positiva. Incentivo-os, então, a começarem agora a se preparar para essa grande experiência.

    Que preparação é necessária para esse trabalho emocionante? Primeiro, e mais importante, é que o Senhor o espera de nós. Ele quer que nos empenhemos na edificação de seu reino. Os profetas têm constantemente nos lembrado de que se espera que todo jovem apto e digno cumpra uma missão de tempo integral.

    Vossa preparação deve tornar-vos aptos a vos apresentardes ao bispo e assegurá-lo da dignidade pessoal para ser um missionário de tempo integral. Sentir-vos-eis mais à vontade na entrevista com o bispo se ele já for vosso amigo.

    Jamais esquecerei a entrevista que tive com o bispo, quando me preparava para a missão. Aconteceu que o bispo era meu pai. Passávamos juntos grande parte do tempo. Ele podia ter-me entrevistado em casa, no celeiro, no campo ou no carro, enfim em qualquer outra parte em que passávamos o tempo juntos. Meu pai queria fazer daquela uma ocasião especial, que eu sempre recordaria.

    Certo dia recebi um telefonema dele. Ele queria marcar uma entrevista comigo. Achei aquilo estranho pois ele jamais me telefonara para marcar um encontro para alguma coisa. Marcamos o horário para a reunião no escritório do bispo. Chegando lá encontrei seu escritório limpo e bem arrumado, sem papéis sobre a mesa, o que era inusitado, pois normalmente ela estaria coberta de papéis. Naquele momento tudo o que nela havia eram as escrituras. Á entrevista resultou em um pequeno estudo de escrituras entre mim e meu pai.

    Pelo que me lembro, aconteceu o seguinte: Ele empurrou as escrituras para meu lado da mesa e pediu-me que abrisse em Doutrina e Convênios 59:6 e lesse: “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não furtarás, nem cometerás adultério… nem farás coisa alguma semelhante.”

    Então falamos sobre o que significava ser moralmente limpo. A conversa centralizou-se na pureza de pensamentos. Se nossos pensamentos forem limpos e puros, jamais praticaremos atos que nos impedirão de servir no campo missionário. E comum os jovens de hoje terem a idéia de que podem pecar um pouquinho, viver como os outros rapazes, depois viver dignamente por um curto período de tempo antes de se prepararem para serem chamados, a fim de se qualificarem para a obra missionária. Que filosofia enganosa!

    A disciplina desenvolvida pela obediência diária e vida digna e sadia constrói uma armadura de proteção e segurança ao vosso redor, contra as tentações que vos cercam na mortalidade. Podeis partir de casa com uma consciência limpa. Agora, é possível que algum de vós tenha seguido os caminhos do mundo. O único meio de recuperar a auto-estima é o processo chamado de arrependimento. Lembrai-vos sempre de que com a ajuda do bispo há um meio de retornar. Não hesiteis em usá-lo!

    Em seguida lemos Doutrina e Convênios, seção 89, versículos 18 a 21:

    “E todos os santos que se lembrarem e guardarem e fizerem estas coisas, obedecendo aos mandamentos, receberão saúde para o seu umbigo e medulas para os seus ossos;

    E acharão sabedoria e grandes tesouros de conhecimento, até mesmo tesouros ocultos;

    E correrão e não se cansarão, caminharão e não desfalecerão.

    E eu, o Senhor, lhes faço a promessa de que o anjo destruidor os passará como aos filhos de Israel, e não os matará. Amém.”

    A conversa então girou em torno da importância de conservarmos nosso corpo físico saudável como um lar íntegro para nosso espírito eterno. As drogas e bebidas nocivas destroem a mente e o corpo, tornando-nos inadequados à orientação do Espírito do Senhor.

    Lemos outras escrituras concernentes ao apoio aos profetas e sobre obedecer e viver as leis do Senhor. Após cada leitura, ele me pedia que respondesse se minha vida estava em harmonia com aquele princípio.

    Finalmente lemos juntos Doutrina e Convênios 110, versículos 1 a 4:

    “O véu foi retirado de nossas mentes, e abertos os olhos do nosso entendimento.

    Vimos diante de nós o Senhor, de pé no parapeito do púlpito; e sob os seus pés um calçamento de ouro puro, da cor de âmbar.

    Seus olhos eram como a labareda de fogo; os cabelos de sua cabeça eram brancos como a pura neve; seu semblante resplandecia mais do que o sol; e a sua voz era como o som de muitas águas, mesmo a voz de Jeová, que dizia:

    ‘Sou o primeiro e o último; sou o que vive; sou o que foi morto; sou o vosso advogado junto ao Pai.”

    Falamos da esperança eterna que temos na expiação de nosso Senhor e Salvador, e da necessidade de participarmos das ordenanças sagradas exigidas de todos os filhos do Pai Celestial, para que possamos receber o maior dom que ele nos concedeu, o dom da vida eterna.

    Depois disso meu pai preencheu minha recomendação missionária e me fez assiná-la. Levantando-se, ele me deu um forte aperto de mão, congratulando-me calorosamente por ser digno de cumprir uma missão de tempo integral. Saí do escritório transbordando de alegria, pois passara em um dos testes mais importantes da minha vida. Fora considerado digno de ser um missionário de tempo integral, o que significava ter a aprovação de meu pai, do bispo e de meu Senhor e Salvador. Ao sair dali prometi a mim mesmo que sempre viveria dignamente para passar em uma entrevista com um dos líderes do sacerdócio.

    A entrevista com o bispo preparou-me para os três ingredientes básicos de que necessitava para cumprir missão. Primeiro, eu precisava conhecer o evangelho, conforme se acha nas escrituras e ter um testemunho da sua veracidade. A oração e o estudo diário eram essenciais à preparação para servir.

    Segundo, a retidão pessoal é um requisito fundamental.

    Terceiro, a entrevista com o bispo criou em mim um desejo maior de cumprir uma missão de tempo integral.

    Além da preparação espiritual necessária, há também a preparação material. O financiamento de uma missão é um ônus pesado para os recursos familiares. Isso não seria necessário se os jovens portadores do sacerdócio cedo na vida decidissem assumir toda ou parte dessa responsabilidade. O novo Programa de Equalização Missionária eliminou muitas conjeturas a respeito dos recursos financeiros requeridos para a obra missionária.

    Uma das maiores bênçãos desse programa é que os missionários e seus pais podem agora avaliar com bastante exatidão o custo de uma missão. Contas de poupança podem então ser planejadas com base nessa projeção. O planejamento próprio e antecipado pode ajudar os missionários a se tornarem mais auto-suficientes ao financiarem sua própria missão. Também proporciona o benefício de aprender cedo na vida as recompensas advindas do trabalho honesto.

    Para ajudar-vos na preparação para esta grande oportunidade, recentemente completamos uma fita de vídeo intitulada Chamados a Servir. Os líderes do sacerdócio das áreas de língua inglesa estão sendo notificados sobre a disponibilidade deste material. Esperamos que bispados e presidências de ramo organizem uma reunião especial para apresentá-la, a fim de que todo jovem e sua família possam vê-la muitas vezes, ao se prepararem para o serviço missionário. Embora tenha assistido a essa fita muitas vezes, ainda fico emocionado quando a vejo.

    Ao assistirdes às fitas de vídeo, vereis cenas desta produção. Elas retratam diversos futuros missionários recebendo aquela carta especial de chamado da Primeira Presidência para a missão. Esse será o grande momento se vos preparardes. Esperamos que o exibam a vossas famílias e amigos. Ao lerdes a carta de chamado, que vos designará a uma das grandes missões da Igreja, a emoção daquele momento permanecerá convosco pelo resto da vida.

    O tempo sempre parece passar depressa quando estais no campo missionário. Vossos dias são preenchidos pelo evangelho. Não quero dar a impressão de que não haverá tempos difíceis, pois não é assim. Deles é que vem o crescimento, mas vereis a mudança na vida das pessoas ao aceitarem o evangelho. Vosso coração se encherá da alegria advinda de ensinar as verdades de nosso Pai Celestial, estabelecidas por ele para vivermos aqui na terra.

    Nesta noite, portanto, encorajamo-vos grandes e jovens portadores do sacerdócio a começar agora a preparação material e espiritual para que sejais completamente dignos e preparados para aceitar o vosso chamado e usar aquela plaqueta especial de missionário de tempo integral. Sede como um daqueles grandes missionários que vistes na fita de vídeo. Posso prometer-vos sinceramente que será uma das maiores experiências da vossa vida. E impossível fazer o mesmo que o Senhor fez por nós. Quanto mais derdes a ele, mais ele abençoará vossa vida, sim, cem vezes mais. Saiamos, portanto, daqui esta noite, com um brado de batalha ecoando em nossos corações,

    Somos hoje conclamados a servir

    e a pregar o bom Jesus,

    Vamos a um mundo de pesares

    para proclamar a luz.

    Somos hoje conclamados às fileiras,

    das hostes do Redentor,

    Vamos pelas sendas e atalhos

    para demonstrar valor.

    (Cante Comigo, B-85.)

    Deus vive! Jesus é o Cristo. O testemunho que vos presto é que estamos empenhados em sua obra. Que Deus abençoe a todos nós com o espírito da obra missionária, é a minha oração, em nome de Jesus Cristo, amém.