Escrituras
    2 Pedro 2
    Notas de rodapé
    Tema

    Capítulo 2

    Os falsos mestres entre os santos são condenados — Os santos concupiscentes perecerão em sua própria corrupção.

    1 E também houve entre o povo afalsos profetas, como entre vós haverá também bfalsos mestres, que introduzirão encobertamente heresias destruidoras, e negarão o Senhor que os cresgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.

    2 E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da averdade.

    3 E por avareza farão de vós negócio com apalavras fingidas, sobre os quais já de largo tempo não está ocioso o juízo, e a sua bdestruição não dorme.

    4 Porque, se Deus não poupou os aanjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no binferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo;

    5 E não poupou o mundo antigo, mas preservou aNoé, o oitavo na arca, pregador da justiça, trazendo o bdilúvio sobre o mundo dos ímpios;

    6 E condenou à ruína as cidades de aSodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinzas, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente;

    7 E livrou o justo a, benfadado da cvida dissoluta dos homens abomináveis

    8 (Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, vendo e ouvindo suas obras iníquas);

    9 Assim, sabe o Senhor alivrar da tentação os bpiedosos, e creservar os injustos para o dia do djuízo, para serem castigados;

    10 E principalmente aos que segundo a carne andam em aconcupiscências de imundície, e desprezam a autoridade; atrevidos, agradando-se a si mesmos, não receando blasfemar das glórias celestes;

    11 Ao passo que os anjos, sendo maiores em força e poder, não pronunciam contra eles juízo blasfemo diante do Senhor.

    12 Mas esses, como aanimais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, bperecerão na sua corrupção,

    13 Recebendo o galardão da injustiça, tendo por prazer os adeleites quotidianos, sendo nódoas e máculas, deleitando-se em seus engodos, quando se banqueteiam convosco;

    14 Tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar, engodando as almas inconstantes, tendo o coração exercitado na avareza, filhos de maldição,

    15 Os quais, adeixando o caminho reto, berraram seguindo o caminho de cBalaão, filho de Beor, que amou o galardão da injustiça;

    16 Porém teve a repreensão da sua transgressão; o mudo aanimal do jugo, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta.

    17 Esses são afontes sem água, nuvens levadas pelo redemoinho do vento, para os quais a bescuridão das trevas eternamente se reserva.

    18 Porque, falando coisas muito arrogantes de avaidades, bengodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções, os que se estavam afastando daqueles que andam no erro,

    19 Prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos aservos da bcorrupção. Porque aquele que é vencido por alguém, do tal faz-se também servo.

    20 Porque se, depois de terem aescapado das bcorrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez cenvolvidos nelas e dvencidos, tornou-se-lhes o último estado epior do que o primeiro.

    21 Porque melhor lhes teria sido não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado;

    22 Deste modo, sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada, ao espojadouro de lama.