Manuais e chamados
27. Ordenanças do templo para os vivos


“27. Ordenanças do templo para os vivos”, Manual Geral: Servir em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 2020.

“27. Ordenanças do templo para os vivos”, Manual Geral.

Imagem

27.

Ordenanças do templo para os vivos

27.0

Introdução

Desde a antiguidade, sempre que há um povo fiel na Terra, Deus o abençoa com os convênios e as ordenanças do templo. Algumas vezes, quando não havia templos dedicados, Ele permitiu que Suas sagradas ordenanças fossem administradas fora dos templos (ver Gênesis 28:12–22; Êxodo 24; Êxodo 25:8–9; Éter 3). Mas, sempre que o Senhor estabeleceu Sua Igreja, Ele ordenou a Seu povo que construísse uma casa “em [Seu] nome”. Nela, Ele revela Suas ordenanças e as glórias de Seu reino, e ensina o caminho da salvação (ver 2 Crônicas 3–5; 2 Néfi 5:16; Doutrina e Convênios 97:10–16; 124:29–39).

O templo é a casa do Senhor. Ele nos remete a nosso Salvador, Jesus Cristo. Nos templos, participamos de ordenanças sagradas e fazemos convênios com o Pai Celestial que nos unem a Ele e a nosso Salvador. Esses convênios e essas ordenanças nos preparam para retornar à presença do Pai Celestial e ser selados como família para a eternidade.

No templo, também há grandes bênçãos para os filhos de Deus que são fiéis nesta vida. Nos convênios e nas ordenanças do templo, “manifesta-se o poder da divindade” (Doutrina e Convênios 84:20). O templo é um lugar sagrado, onde os membros podem adorar, aprender e receber orientação e consolo (ver Doutrina e Convênios 109:13–16). Os que frequentam o templo podem ter acesso ao poder de Deus para ajudar a realizar Sua obra (ver Doutrina e Convênios 109:22–23; ver também o item 3.5).

Os convênios e as ordenanças do templo são sagrados. Não se deve falar sobre os símbolos associados aos convênios do templo fora do templo. Nem devemos conversar sobre as informações sagradas que no templo prometemos não revelar. No entanto, podemos falar sobre os propósitos e a doutrina básica dos convênios e das ordenanças realizados no templo e os sentimentos espirituais que temos quando lá estamos.

Os líderes da ala e da estaca conversam sobre as informações descritas neste capítulo com os membros que estão se preparando para receber as ordenanças de investidura e selamento.

27.1

Receber as ordenanças do templo

27.1.1

Preparação para receber as ordenanças do templo

Os membros devem se preparar espiritualmente para receber as ordenanças, bem como para fazer e honrar os convênios do templo.

Os pais são os principais responsáveis por ajudar os filhos a se prepararem para receber as ordenanças do templo. Os líderes da estaca e da ala, os ministradores e as ministradoras, e os familiares membros da Igreja dão apoio aos pais nessa responsabilidade.

Os líderes da estaca e da ala incentivam regularmente os membros a se prepararem para receber as próprias ordenanças do templo. Os líderes também enfatizam a importância de honrar os convênios do templo e de se manter dignos de ter uma recomendação para o templo.

Os recursos para ajudar os membros a se prepararem para receber essas ordenanças estão disponíveis no endereço temples.ChurchofJesusChrist.org.

Os membros que estão se preparando para receber a investidura própria ou ser selados ao cônjuge são incentivados a participar do curso de preparação para o templo (ver o item 25.2.8).

Os membros se reúnem com seu bispo e presidente de estaca para receber uma recomendação para ordenanças próprias quando vão:

  • Receber a investidura própria.

  • Ser selados a um cônjuge.

Para informações sobre como emitir recomendações para o templo nessas circunstâncias, ver os itens 26.1 e 26.3.1.

27.1.2

Agendamento das ordenanças do templo

Os membros que planejam receber a investidura própria, ser selados ou se casar devem agendar a ordenança com antecedência com o templo onde desejam que ela seja realizada. Normalmente, eles fazem isso depois de receberem uma recomendação para as ordenanças próprias. Ver as informações de contato de cada templo em temples.ChurchofJesusChrist.org.

27.1.3

Membros com deficiências físicas

Os membros dignos com deficiências físicas podem receber todas as ordenanças do templo (ver o item 38.2.1.9). Esses membros são incentivados a frequentar o templo com familiares ou amigos com investidura própria que possam ajudá-los. As pessoas que os ajudam devem ter uma recomendação para o templo válida. Se não for possível comparecer com um familiar ou amigo, os membros podem ligar para o templo com antecedência para ver o que pode ser feito. Ver as informações de contato de cada templo em temples.ChurchofJesusChrist.org.

Os animais de serviço e de apoio emocional não são permitidos nos templos. Os presidentes de estaca podem entrar em contato com o Departamento de Templos em TempleDepartment@ChurchofJesusChrist.org se tiverem dúvidas.

27.1.4

Assistência para tradução ou interpretação

Se os membros precisarem de assistência para tradução ou interpretação, devem entrar em contato com o templo com antecedência para verificar se a assistência necessária está disponível. Ver as informações de contato de cada templo em temples.ChurchofJesusChrist.org.

27.1.5

Roupas a serem usadas quando se vai ao templo

Quando vão ao templo, os membros devem usar o mesmo tipo de roupas que usam para assistir à reunião sacramental. Devem evitar roupas informais ou que não cubram o garment do templo. Devem também evitar roupas excessivamente formais, como um fraque. Essa instrução é ensinada com mais eficácia pelos pais, pelos ministradores e pelas ministradoras, e pelos líderes da ala e da estaca à medida que os membros se preparam para adorar no templo.

Ver o item 27.3.2.6 para informações sobre as roupas a serem usadas em um casamento ou selamento no templo.

Ver o item 38.5 para informações sobre:

  • Roupas a serem usadas durante as ordenanças de investidura e selamento.

  • Como comprar e usar as roupas cerimoniais do templo e os garments e cuidar deles.

27.1.6

Supervisão de crianças

As crianças devem ficar sob a supervisão de um adulto em todos os lugares do templo. Os oficiantes do templo estão disponíveis para supervisionar crianças somente nas seguintes circunstâncias:

  • Quando forem seladas aos pais

  • Para assistir ao selamento de irmãos vivos, irmãos adotivos ou meios-irmãos a seus pais

Imagem

27.1.7

Reunião com os membros depois de receberem as ordenanças do templo

Os membros geralmente têm dúvidas depois de receber as ordenanças do templo. Os membros da família com investidura, o bispo, outros líderes da ala e os ministradores e as ministradoras podem se reunir com os membros para conversar sobre a experiência que tiveram no templo.

Os líderes também incentivam os membros a buscar respostas para suas perguntas por meio da inspiração do Espírito Santo. No templo, o Espírito pode prover respostas a muitas das perguntas que os membros têm sobre a experiência deles no templo.

Os recursos para ajudar a responder dúvidas estão disponíveis no endereço temples.ChurchofJesusChrist.org.

27.2

A investidura

A palavra investidura significa “dádiva”. A investidura no templo é literalmente uma dádiva de Deus, por meio da qual Ele abençoa Seus filhos. A investidura só pode ser recebida nos templos. Algumas das dádivas que os membros recebem por meio da investidura no templo incluem:

  • Mais conhecimento sobre os propósitos e os ensinamentos do Senhor.

  • Poder para fazer tudo o que o Pai Celestial quer que Seus filhos façam.

  • Orientação divina para servir ao Senhor, à família e ao próximo.

  • Mais esperança, consolo e paz.

Todas as bênçãos prometidas da investidura estão em vigor nesta vida e por toda a eternidade. O cumprimento dessas bênçãos depende da fidelidade ao evangelho de Jesus Cristo.

A investidura é recebida em duas etapas. Na primeira, a pessoa recebe uma ordenança preliminar, chamada de iniciatória. A iniciatória também é conhecida como ablução e unção (ver Êxodo 29:4–9). Ela inclui bênçãos especiais referentes à herança e ao potencial divino da pessoa.

Durante a iniciatória, o membro é autorizado a usar o garment do templo. O garment representa o relacionamento pessoal do membro com Deus e o compromisso de obedecer aos convênios feitos no templo. Quando os membros são fiéis a seus convênios e usam os garments de maneira adequada durante toda a vida, ele também serve como proteção. Para informações a respeito do uso e dos cuidados com o garment, ver o item 38.5.5.

Na segunda parte da investidura, o plano de salvação é ensinado, inclusive a Criação, a Queda de Adão e Eva, a Expiação de Jesus Cristo, a Apostasia e a Restauração. Os membros também recebem instruções sobre como retornar à presença do Senhor.

Na investidura, os membros são convidados a fazer os seguintes convênios sagrados:

  • Viver a lei da obediência e se esforçar para guardar os mandamentos do Pai Celestial.

  • Obedecer à lei de sacrifício, que significa fazer sacrifícios para apoiar a obra do Senhor e se arrepender com um coração quebrantado e um espírito contrito.

  • Obedecer à lei do evangelho de Jesus Cristo, que é a lei mais elevada que Ele ensinou enquanto estava na Terra.

  • Guardar a lei da castidade, o que significa que somente casais que são legal e legitimamente casados de acordo com a lei de Deus devem ter relações sexuais.

  • Guardar a lei da consagração, que significa dedicar seu tempo, seus talentos e tudo com que o Senhor os abençoar para edificar a Igreja de Jesus Cristo na Terra.

Em troca, o Pai Celestial promete que aqueles que permanecerem fiéis aos convênios do templo serão investidos “de poder do alto” (Doutrina e Convênios 38:32, 38; ver também Lucas 24:49; Doutrina e Convênios 43:16).

27.2.1

Quem pode receber a investidura

Todos os membros adultos responsáveis da Igreja são convidados a se preparar e a receber a investidura própria. Todas as ordenanças preliminares devem ser realizadas e registradas antes que os membros possam receber a investidura (ver o item 26.3.1). Ver o item 27.2.2 para informações sobre a decisão de quando receber a investidura.

27.2.1.1

Membros recém-batizados

Os membros adultos dignos podem receber a investidura própria no mínimo um ano após a data em que foram confirmados (ver o item 26.5.2).

27.2.1.2

Membros casados com um cônjuge sem investidura

Um membro digno casado com um cônjuge sem investidura pode receber a investidura própria quando as seguintes condições forem atendidas:

  • O cônjuge sem investidura der seu consentimento.

  • O membro, o bispo e o presidente da estaca se sentirem confiantes de que as responsabilidades assumidas com os convênios do templo não causarão dificuldades à harmonia no casamento.

Essas condições se aplicam quer o cônjuge seja membro da Igreja ou não.

27.2.1.3

Membros com deficiências mentais

Os membros com deficiências mentais podem receber a investidura própria se:

  • Receberem todas as ordenanças preliminares (ver o item 26.3.1).

  • Tiverem capacidade intelectual para compreender, fazer e guardar os convênios sagrados.

O bispo conversa com o membro e, quando aplicável, com os pais. Ele também busca a orientação do Espírito. pode se aconselhar com o presidente da estaca. Se necessário, o presidente da estaca pode encaminhar as dúvidas ao escritório da Primeira Presidência. Ver o item 38.2.1.8.

27.2.2

A decisão de quando receber a investidura

A decisão de receber a investidura é pessoal e deve ser feita em espírito de oração. A investidura é uma bênção de poder e revelação para todos os que se preparam para recebê-la. Os membros podem decidir receber a investidura própria quando estiverem cumprindo todos os critérios a seguir:

  • Ter pelo menos 18 anos de idade.

  • Ter concluído ou não estar mais frequentando o Ensino Médio ou equivalente.

  • Ter se passado um ano completo desde sua confirmação.

  • Sentir o desejo de receber e honrar os convênios sagrados do templo por toda a vida.

Os membros que foram chamados para a missão ou que estão se preparando para o selamento no templo devem receber a investidura. O bispo também pode aconselhar outros membros adultos que desejam receber a investidura.

Antes de emitir uma recomendação para o templo a fim de que um membro receba a investidura, o bispo e o presidente da estaca devem sentir que a pessoa está preparada para compreender e guardar os convênios sagrados do templo. Essa qualificação deve ser decidida individualmente para cada pessoa. Os líderes não usam critérios generalizados, como os listados a seguir, para decidir se uma pessoa está preparada para receber a investidura:

  • Atingir certa idade

  • Sair de casa para estudar, trabalhar ou ingressar no serviço militar

  • Desejar assistir ao selamento no templo de um membro da família ou de um amigo

27.2.3

Planejar e agendar a investidura

27.2.3.1

Receber uma recomendação para ordenanças próprias

O membro precisa receber uma recomendação para ordenanças próprias a fim de entrar no templo e receber a investidura. Para informações sobre essas recomendações, ver o item 26.5.1.

27.2.3.2

Contatar o templo

Os membros que planejam receber a investidura devem entrar em contato com o templo com antecedência para agendar a ordenança (ver o item 27.1.2). O templo fornecerá instruções, inclusive informações sobre as roupas do templo, quando o compromisso for agendado.

27.2.3.3

Acompanhantes de membros que receberão a investidura

Os membros que receberão a investidura própria podem convidar um membro com investidura do mesmo sexo para atuar como acompanhante e ajudá-los durante a sessão de investidura. O acompanhante deve ter uma recomendação para o templo válida. O templo pode providenciar um acompanhante se for necessário.

27.3

Selamento de marido e mulher

“A família foi ordenada por Deus. O casamento entre o homem e a mulher é essencial para Seu plano eterno” (“A Família: Proclamação ao Mundo”). O selamento no templo une marido e mulher para esta vida e para toda a eternidade se eles forem fiéis aos convênios que fizerem no templo. Casais selados no templo recebem a promessa de glória e alegria por toda a eternidade (ver Doutrina e Convênios 132:19–20). Por meio dessa ordenança, os filhos do casal podem também se tornar parte dessa família eterna.

Os líderes da Igreja incentivam os membros a se prepararem para o casamento e o selamento no templo. Quando os casamentos no templo não são reconhecidos pelas leis locais, os líderes autorizados da Igreja ou outras pessoas podem realizar o casamento civil, que será seguido por um selamento no templo (ver o item 38.3). Esse padrão também pode ser seguido quando um casamento no templo causar um sentimento de exclusão nos pais ou familiares por não poderem comparecer à cerimônia do templo.

Imagem

27.3.1

Quem pode ser selado no templo

Todos os membros solteiros e responsáveis da Igreja são convidados a se prepararem para o selamento no templo. Os casados civilmente são incentivados a ser selados para esta vida e para a eternidade no templo assim que estiverem preparados. Os membros devem receber a investidura antes de serem selados (ver o item 27.2).

Para ser selado no templo, o casal deve: (1) casar-se no civil antes do selamento ou (2) casar-se e ser selado na mesma cerimônia do templo. Ver o item 27.3.2.

27.3.1.1

Membros que já foram selados a outro cônjuge

Ver o item 38.4.1.

27.3.1.2

Membros com deficiências mentais

Os membros com deficiências mentais podem ser selados a seu cônjuge, noivo ou noiva, se:

  • Receberem todas as ordenanças preliminares, inclusive a investidura (ver o item 27.2.1.3).

  • Tiverem capacidade intelectual para compreender, fazer e guardar os convênios sagrados.

O bispo conversa com o membro e seu cônjuge, noivo ou noiva. Ele também busca a orientação do Espírito e pode se aconselhar com o presidente da estaca. Se necessário, o presidente da estaca pode encaminhar as dúvidas ao escritório da Primeira Presidência. Ver o item 38.2.1.8.

27.3.2

Planejar e agendar um casamento ou selamento no templo

27.3.2.1

Receber uma recomendação para ordenanças próprias

O membro precisa receber uma recomendação para ordenanças próprias a fim de ser selado a seu cônjuge. Para informações sobre essas recomendações, ver o item 26.3.

27.3.2.2

Contatar o templo

Os membros que planejam se casar ou se selar ao cônjuge devem entrar em contato com o templo com antecedência para agendar a ordenança (ver o item 27.1.2). O templo fornecerá instruções quando o compromisso for agendado.

27.3.2.3

Obter uma certidão de habilitação

Antes de se casar, o casal deve obter no cartório uma certidão de habilitação válida para o local onde o casamento será realizado. Se o casal planeja se casar e ser selado na mesma cerimônia, deve apresentar no templo uma certidão de habilitação válida.

Os casais que são selados após o casamento civil não precisam trazer a certidão de habilitação ao templo. Em vez disso, eles fornecem a data e o local do casamento civil como parte do processo de verificação de registro.

27.3.2.4

Acompanhantes para a noiva e o noivo

Uma irmã com investidura pode acompanhar a noiva para ajudá-la no vestiário. Um irmão com investidura pode fazer o mesmo pelo noivo. O acompanhante deve ter uma recomendação para o templo válida. O templo pode providenciar um acompanhante se for necessário.

27.3.2.5

Quem realiza o casamento ou o selamento no templo

O casamento ou o selamento no templo geralmente é realizado por um selador que foi designado a servir no templo onde o casal se casará ou será selado. Se um membro da família ou conhecido tiver a autoridade de selador e tiver sido designado a servir no templo no qual o casal vai se casar ou ser selado, o casal pode convidá-lo para realizar o casamento ou o selamento.

O selador também pode buscar a aprovação da Primeira Presidência para realizar o selamento de seus descendentes diretos (filhos, netos e bisnetos) em outro templo que não seja aquele para o qual ele foi designado. Ele precisa receber uma carta de autorização da Primeira Presidência para realizar esse selamento e apresentar a carta no templo.

Os membros são desencorajados a pedir às autoridades gerais que realizem o casamento ou o selamento no templo.

27.3.2.6

Roupas apropriadas para o casamento ou o selamento no templo

Vestido da noiva. O vestido de noiva usado no templo deve ser branco, o tecido e o modelo devem ser simples, sem enfeites exagerados. Deve também cobrir o garment do templo. Todo tecido transparente deve ser forrado.

Para ser condizente com outros vestidos usados no templo, o vestido de noiva deve ter manga comprida ou três quartos. Não pode ter cauda, a menos que possa ser removida para a cerimônia no templo.

O templo pode fornecer um vestido se for necessário ou desejável.

Roupa do noivo. O noivo usa as roupas normais do templo durante a cerimônia de casamento ou de selamento (ver os itens 38.5.1 e 38.5.2). Após a cerimônia, ele pode usar traje a rigor fora do templo para tirar fotografias.

Roupa dos convidados. Os que comparecem a uma cerimônia de casamento ou de selamento devem usar roupas semelhantes às que usariam na reunião sacramental. Os convidados não vestem roupas brancas a menos que o acesso à sala de selamento se dê por meio da sala celestial. Os membros que forem ao selamento logo após uma sessão de investidura podem usar as roupas cerimoniais do templo.

O casal deve compartilhar essas informações com os convidados bem antes do casamento ou do selamento.

Flores. O casal e os convidados não devem usar flores durante a cerimônia de casamento ou selamento. As flores podem ser usadas fora do templo para tirar fotografias após a cerimônia. O casal deve compartilhar essas informações com os convidados bem antes do casamento ou do selamento.

27.3.2.7

Troca de alianças após o casamento ou o selamento no templo

A troca de alianças não faz parte da cerimônia do selamento no templo. No entanto, o casal pode trocar alianças após a cerimônia, na sala de selamento. Os casais não devem trocar alianças em nenhum outro momento ou lugar dentro ou no terreno do templo. Isso pode diminuir a importância da cerimônia.

Os casais que se casam e são selados na mesma cerimônia podem trocar alianças posteriormente para que os parentes que não puderem comparecer ao casamento no templo tenham a oportunidade de participar da ocasião. A troca de alianças deve ser condizente com a dignidade de um casamento no templo. A troca de alianças não deve replicar nenhuma parte da cerimônia de casamento ou de selamento no templo. O casal não deve trocar votos de casamento depois de se casar ou de ser selado no templo.

Os casais que se casam civilmente antes do selamento no templo podem trocar alianças na cerimônia civil, no selamento no templo ou em ambas as cerimônias.

27.3.3

Casamentos realizados no templo somente para esta vida

O propósito do templo é administrar ordenanças para a eternidade. Por essa razão, casamentos somente para esta vida não são mais realizados nos templos.

Para a norma sobre o selamento de casais que se casam no templo somente para esta vida, ver o item 38.4.1.6.

27.3.4

Quem pode assistir ao casamento ou selamento no templo

Os casais devem convidar apenas familiares e amigos próximos para o casamento ou o selamento no templo. Para participar, os membros responsáveis devem ter recebido a investidura e ser portadores de uma recomendação para o templo válida.

O presidente da estaca pode autorizar uma pessoa que não foi batizada nem recebeu a investidura devido à deficiência mental a assistir ao casamento no templo ou ao selamento de seus irmãos vivos. A pessoa deve:

  • Ter pelo menos 18 anos de idade.

  • Ser capaz de permanecer reverente durante a cerimônia.

O presidente da estaca escreve uma carta declarando que a pessoa está autorizada a assistir ao selamento. Essa carta é apresentada no templo.

Para assistir ao selamento dos pais, os membros devem ter recebido a investidura e ser portadores de uma recomendação para o templo válida.

27.3.5

Recepções de casamento

Ver o item 35.4.22 para informações sobre recepções de casamento nos edifícios da Igreja.

27.4

Selamento de filhos vivos aos pais

Os filhos nascidos depois que a mãe tenha sido selada ao marido no templo nascem sob o convênio desse selamento. Eles não precisam receber a ordenança do selamento aos pais.

Os filhos que não nasceram sob convênio podem se tornar parte de uma família eterna sendo selados aos pais biológicos ou adotivos. Esses filhos têm direito às mesmas bênçãos que aqueles nascidos sob convênio.

Ver o item 38.4.2 para as normas a respeito de selamento de filhos aos pais.

27.4.1

Emissão de recomendação para selamento de filhos vivos aos pais

Membros responsáveis com 8 anos ou mais precisam de recomendação para serem selados aos pais. Também precisam de recomendação para assistir ao selamento de seus irmãos vivos, irmãos adotivos ou meios-irmãos a seus pais. Crianças com 8 anos ou mais devem ser batizadas e confirmadas para receber uma recomendação para o templo. Os rapazes de 11 anos de idade, que completam 12 anos no ano da ordenança, devem também ser portadores do sacerdócio.

O presidente da estaca pode autorizar pessoas que não foram batizadas nem receberam a investidura devido à deficiência mental a serem seladas aos pais. O presidente da estaca escreve uma carta declarando que a pessoa está autorizada a ser selada. Essa carta é apresentada no templo.

Ver o item 26.4.4 para informações a respeito da emissão de recomendação para filhos.

27.4.2

Contatar o templo

O casal que deseja fazer o selamento de seus filhos ou os filhos que desejam ser selados aos pais falecidos devem entrar em contato com o templo com antecedência para agendar a ordenança (ver o item 27.1.2). Em alguns casos, outras ordenanças do templo talvez precisem ser realizadas antes do selamento.

Imagem

27.4.3

Supervisão de crianças

Ver o item 27.1.6.

27.4.4

Quem pode assistir ao selamento de filhos vivos aos pais

Para assistir ao selamento de irmãos vivos, irmãos adotivos ou meios-irmãos aos pais, os filhos com menos de 21 anos de idade devem ter nascido no convênio ou já serem selados aos pais. Além disso, os filhos com 8 anos ou mais devem ser batizados e confirmados e devem ter uma recomendação para o templo (ver o item 26.4.4). Os rapazes de 11 anos de idade, que completam 12 anos no ano da ordenança, devem também ser portadores do sacerdócio.

Os membros casados ou com 21 anos ou mais devem ter investidura para assistir aos selamentos.

O presidente da estaca pode autorizar pessoas que não foram batizadas nem receberam a investidura devido à deficiência mental a assistir ao selamento de irmãos vivos, irmãos adotivos ou meios-irmãos a seus pais. Essas pessoas devem: (1) ter nascido sob convênio ou (2) ser seladas aos pais. O presidente da estaca escreve uma carta declarando que a pessoa está autorizada a assistir ao selamento. Essa carta é apresentada no templo.