Pegadas nas Areias do Tempo
anterior seguinte


Pegadas nas Areias do Tempo

Sinto-me grato por este convite para falar, e oro que o Espírito transmita meu testemunho e minhas palavras a seu coração.

Ao ponderar a vida de nosso amado profeta, o Presidente Gordon B. Hinckley, lembrei-me do seguinte verso do poeta Henry Wadsworth Longfellow:

A vida dos grandes homens nos lembra

Que podemos tornar nossa vida sublime,

E ao partir, deixar para trás

Pegadas na areia do tempo.1

Hoje, espero que, ao honrarmos seu legado, reflitamos sobre “as pegadas na areia do tempo” deixadas pelo Presidente Hinckley. Pensem no que lhes vem à mente quando falo da era do Presidente Gordon B. Hinckley. No curto período em que trabalhamos juntos, posso apenas mencionar algumas das muitas pegadas que deixaram uma forte impressão em minha vida.

Gordon B. Hinckley foi o grande comunicador. Ele abriu as portas para o mundo da mídia e definiu a imagem da Igreja para um público mundial. Começando como jovem missionário que retornou do campo, há mais de 70 anos, foi pioneiro na utilização de filmes estáticos, filmes, gravuras coloridas, folhetos e publicações missionárias para contar a história da Igreja. Essas mesmas técnicas, continuamente melhoradas, ainda são usadas hoje em dia.

A era Hinckley envolve a imagem do trabalho missionário para o mundo inteiro. Nos quase 13 anos da presidência de Gordon B. Hinckley, mais de 400.000 missionários foram chamados, representando mais de 40 por cento de todos os missionários chamados desde que a Igreja foi organizada. Quase um terço dos membros de hoje foram batizados desde que o Presidente Hinckley se tornou o nosso profeta. O desafio do Presidente Hinckley de aumentar nosso empenho missionário e nossa retenção de novos conversos continua sendo um encargo que nos esforçamos para cumprir.

Talvez a mais reconhecível e eterna de todas as “pegadas na areia” do Presidente Gordon B. Hinckley seja a construção de aproximadamente 75 novos templos desde que se tornou o nosso Presidente. Toda ordenança realizada nesses templos é um testemunho da visão profética e sabedoria do Presidente Hinckley em levar os templos para mais perto das pessoas. Quão gratos somos, individualmente e como Igreja, por esse extraordinário legado.

Outra maravilhosa e adorável “pegada na areia” do Presidente Hinckley é seu cálido senso de humor. Todos os que trabalharam com ele ou que o ouviram falar lembram-se de algum incidente no qual seu singular senso de humor ficou bem evidente.

Lembro-me de uma ocasião, há vários anos, depois que ele começou a usar uma bengala. Cheguei ao Escritório Administrativo da Igreja por volta das 7h da manhã e, quando me aproximei do elevador, vi o Presidente Hinckley e um oficial de segurança vindo em direção ao elevador. Apertei o botão, a porta do elevador se abriu, entrei e segurei a porta aberta. Ouvi o Presidente Hinckley se aproximando com sua bengala. Quando ele chegou até a porta aberta, olhou para mim, continuou andando e disse: “Earl, vá em frente e suba de elevador. Vou pegar as escadas”. A porta do elevador se fechou. Senti muito aquilo. Subi confortavelmente até o meu andar, enquanto o profeta do Senhor subia as escadas até seu escritório.

Em outra ocasião, quando as Autoridades Gerais — todos vestindo terno escuro, camisa branca e gravata discreta — entravam para uma reunião com a Primeira Presidência, o Presidente Hinckley piscou para mim e, com um sorriso, disse: “Vocês estão parecendo um bando de pingüins”.

Sentiremos falta de seu senso de humor.

O Presidente Hinckley foi realmente um homem da Renascença. Ele tinha interesses amplos e era perito em muitas áreas. Com a construção do Centro de Conferências, que por si só é um dos grandes legados do Presidente Hinckley, testemunhamos um maior desenvolvimento e expansão das apresentações musicais e teatrais na Igreja. Nossa vida é melhor graças às oportunidades culturais que estão agora à nossa disposição.

Um dos mais abrangentes legados do Presidente Hinckley e verdadeiramente uma de suas “pegadas na areia” é o ensino na Igreja. A magnificência da Universidade Brigham Young e o campus expandido da BYU–Idaho, a BYU–Havaí, o LDS Business College e os Seminários e Institutos de Religião são uma prova de seu amor pela educação e pelos alunos. A criação do Fundo Perpétuo de Educação, há sete anos, amplia esse legado. Quase 30.000 alunos, em todo o mundo, estão agora melhorando de vida por meio de extraordinárias oportunidades educacionais.

Menos compreendido, porém de importância significativa na administração da Igreja, foi o estabelecimento dos Quóruns dos Setenta como um dos quóruns presidentes da Igreja. A quadruplicação do número de quóruns e de membros dos Setenta assimila o crescimento e a administração da Igreja e cumpre o mandamento das escrituras de que os Doze devem “recorrer aos Setenta e não a outros, quando houver necessidade de auxílio no preenchimento dos diversos chamados para pregar e administrar o evangelho”.2

Talvez a mais pessoal e duradoura “pegada” do Presidente Hinckley seja seu amor pelas pessoas. Provavelmente cada um de nós nesta imensa congregação mundial tem uma lembrança especial do Presidente Hinckley. Espero que minhas palavras representem alguns de seus pensamentos, se vocês tivessem a oportunidade de expressar-se aqui hoje.

Em nome de cada criança da Primária, jovem, adulto solteiro, membro e amigo, gostaria de dizer: obrigado, Presidente Hinckley. Obrigado por sua valorosa vida de serviço ao Senhor. Obrigado por seu exemplo de integridade e firmeza. Obrigado por sua sabedoria e bom senso. Obrigado por seus discursos, escritos e conselhos inspirados.

Obrigado por seu testemunho inabalável do chamado do Profeta Joseph Smith. Obrigado por seu testemunho e ensinamentos a respeito de nosso Pai Celestial e de nosso relacionamento com Ele, como Seus filhos espirituais. Obrigado por seu testemunho de Jesus Cristo.

Obrigado pelas “pegadas na areia do tempo” que nos deixou. Obrigado por demonstrar que nos amava. Somos melhores graças a você. Agradeço ainda à família do Presidente Hinckley, a seus filhos e netos por deixarem que nós também o tivéssemos em nossa vida.

Querido Presidente Hinckley, nós o vimos envelhecer. Que agora possa desfrutar a eterna companhia de sua amada Marjorie, de outros membros da família e dos líderes da Igreja que se foram.

Presidente Hinckley, nós o amamos. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Notas

  1. “A Psalm of Life”, John Bartlett, ed., Familiar Quotations, 1968, p. 620, tradução livre.

  2. D&Amp;C 107:38