Marcos 13
    Notas de rodapé

    Capítulo 13

    Jesus prediz as calamidades e sinais que precederão a Segunda Vinda — Haverá falsos cristos e falsos profetas — Ele conta a parábola da figueira.

    1 aE saindo ele do templo, disse-lhe um dos seus discípulos: Mestre, olha que pedras, e que edifícios!

    2 E respondendo Jesus, disse-lhe: Vês estes grandes edifícios? Não ficará pedra sobre pedra que não seja derrubada.

    3 E assentando-se ele no Monte das Oliveiras, defronte do templo, Pedro, e Tiago, e João e André lhe perguntaram em particular:

    4 Dize-nos quando serão essas coisas, e que asinal haverá quando todas essas coisas se houverem de cumprir.

    5 E Jesus, respondendo-lhes, começou a dizer: Vede que ninguém vos engane;

    6 Porque muitos virão em meu nome, dizendo: aEu sou o Cristo; e enganarão muitos.

    7 E quando ouvirdes de guerras e de rumores de guerras, não vos perturbeis; porque assim deve acontecer; mas ainda não será o fim.

    8 Porque se levantará anação contra nação, e reino contra reino, e haverá terremotos em diversos lugares, e haverá fomes e alvoroços. Essas coisas serão o princípio das dores.

    9 Mas estai vós de sobreaviso, porque vos entregarão aos concílios e às sinagogas; sereis açoitados, e sereis apresentados ante governadores e reis, por causa de mim, para lhes servir de atestemunho.

    10 Mas é necessário primeiro que o aevangelho seja bpregado entre todas as nações.

    11 Quando, pois, vos conduzirem para vos entregarem, não estejais ansiosos de antemão pelo que haveis de dizer; mas, o que vos for dado naquela hora, isso afalai; porque não sois vós os que falais, mas o bEspírito Santo.

    12 E o irmão entregará à morte o irmão; e o pai, o filho; e levantar-se-ão os filhos contra os pais, e os matarão.

    13 E sereis aodiados por todos por causa do meu nome; mas quem bperseverar até o fim, esse será salvo.

    14 Ora, quando vós virdes a aabominação da desolação, que foi predita pelo profeta Daniel, estando onde não deve estar (quem lê, entenda), então os que estiverem na Judeia fujam para os montes.

    15 E o que estiver sobre o telhado não desça para casa, nem entre para pegar coisa alguma de sua casa;

    16 E o que estiver no campo não volte atrás, para pegar as suas vestes.

    17 Mas ai das grávidas, e das que amamentarem naqueles dias!

    18 Orai, pois, para que a vossa fuga não suceda no inverno;

    19 Porque naqueles dias haverá uma aaflição tal, qual nunca houve desde o princípio da criação, que Deus criou, até agora, nem tampouco haverá.

    20 E se o Senhor não abreviasse aqueles dias, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos aeleitos que escolheu, abreviou aqueles dias.

    21 E então, se alguém vos disser: Eis aqui o Cristo; ou: Ei-lo ali; não acrediteis nele.

    22 Porque se levantarão afalsos cristos, e falsos profetas, e farão bsinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os eleitos.

    23 Mas estai vós de sobreaviso; eis que eu vos predisse tudo.

    24 Ora, anaqueles dias, depois daquela aflição, o sol se escurecerá, e a lua não dará o seu resplendor,

    25 E as estrelas cairão do céu, e os poderes que estão nos céus serão abalados.

    26 E então verão o aFilho do Homem bvir nas nuvens, com grande poder e glória.

    27 E então enviará os seus anjos, e ajuntará os seus eleitos, desde os quatro ventos, da extremidade da terra até a extremidade do céu.

    28 Aprendei, pois, a parábola da afigueira: Quando já o seu ramo se torna tenro, e brota folhas, bem sabeis que está próximo o verão.

    29 Assim também vós, quando virdes sucederem essas coisas, sabei que está próximo, às portas.

    30 Na verdade vos digo que não passará esta ageração, até que todas essas coisas aconteçam.

    31 Passarão o céu e a terra, mas as minhas apalavras não passarão.

    32 Porém daquele adia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai.

    33 Olhai, avigiai e borai, porque não sabeis quando chegará o tempo.

    34 Como o homem que, partindo para fora da terra, deixou a sua casa, e deu aautoridade aos seus servos, e a cada um a sua obra, e mandou ao porteiro que vigiasse.

    35 Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã,

    36 Para que não venha inesperadamente, e vos ache adormindo.

    37 E as coisas que vos digo, digo-as a todos: Vigiai.