Néfi, Filho de Néfi, Filho de Helamã
    Notas de rodapé

    Néfi, Filho de Néfi, Filho de Helamã

    No Livro de Mórmon, um dos doze discípulos nefitas escolhidos por Jesus Cristo ressuscitado (3 Né. 1:2–3; 19:4). Esse profeta orou fervorosamente ao Senhor em favor de seu povo. Néfi ouviu a voz do Senhor (3 Né. 1:11–14) e também foi visitado por anjos; expulsou demônios, levantou seu irmão dentre os mortos e prestou um testemunho irrefutável (3 Né. 7:15–19; 19:4). Néfi manteve os registros de seu povo (3 Né. 1:2–3).

    Livro de 3 Néfi

    Livro escrito por Néfi, filho de Néfi, no Livro de Mórmon. Os capítulos 1–10 mostram o cumprimento das profecias sobre a vinda do Senhor. Foi dado o sinal do nascimento de Cristo; o povo arrependeu-se; porém depois voltou à iniquidade. Finalmente, furacões, terremotos, tempestades violentas e grande destruição assinalaram a morte de Cristo. Os capítulos 11–28 registram a vinda de Cristo às Américas. Essa é a parte central do livro de 3 Néfi. Muitas das palavras de Cristo são semelhantes aos Seus sermões registrados na Bíblia (por exemplo, Mt. 5–7 e 3 Né. 12–14). Os capítulos 29–30 são as palavras de Mórmon às nações dos últimos dias.

    Livro de 4 Néfi

    Este livro tem apenas 49 versículos, todos em um só capítulo; entretanto, abrangem quase 300 anos da história nefita (34–321 d.C.). Diversas gerações de autores, inclusive Néfi, contribuíram para os registros. Os versículos 1–19 esclarecem que após a visita do Senhor ressuscitado, todos os nefitas e lamanitas converteram-se ao evangelho. Reinaram a paz, o amor e a harmonia. Os três discípulos nefitas, aos quais o Senhor permitiu que permanecessem na Terra até a Sua Segunda Vinda (3 Né. 28:4–9), ministraram ao povo. Néfi transmitiu o registro ao seu filho Amós. Os versículos 19–47 são o registro do ministério de Amós (84 anos) e o de seu filho Amós (112 anos). Em 201 d.C. o orgulho começou a causar problemas entre o povo, que se dividiu em classes e começou a fundar igrejas para obter lucro (4 Né. 1:24–34).

    Os versículos finais de 4 Néfi mostram que o povo havia retornado à iniquidade (4 Né. 1:35–49). No ano 305 d.C. morreu Amós, filho de Amós, e seu irmão Amaron escondeu todos os registros sagrados, por motivo de segurança. Mais tarde Amaron confiou os anais a Mórmon, que registrou muitos eventos ocorridos durante o seu tempo de vida e depois os resumiu (Mórm. 1:2–4).