Reinos de Glória
    Notas de rodapé

    Reinos de Glória

    Por meio da Expiação de Jesus Cristo, todos ressuscitarão. (Ver Alma 11:42–45.) Depois de ressuscitarmos, vamos estar diante do Senhor para sermos julgados. (Ver Apocalipse 20:12; 3 Néfi 27:14.) Cada um de nós receberá uma morada eterna em um reino de glória específico. O Senhor ensinou este princípio quando disse: “Na casa de meu Pai há muitas moradas (…)”. (João 14:2)

    Existem três reinos de glória: o reino celestial, o terrestre e o telestial A glória que você herdar dependerá do seu grau de conversão, expresso na obediência aos mandamentos do Senhor. Tudo dependerá da maneira como você tiver recebido “o testemunho de Jesus”. (D&C 76:51; ver também os versículos 74, 79, 101.)

    Reino Celestial

    O reino celestial é o mais elevado dos três graus de glória. Os que herdarem esse reino viverão para sempre na presença de Deus, o Pai, e de Seu Filho Jesus Cristo. Este deve ser seu objetivo: herdar a glória celestial e ajudar outros a receberem também essa grande bênção. Tal objetivo não é atingido com apenas uma tentativa, mas é o resultado de uma vida inteira de retidão e de constância de propósito.

    O reino celestial é o lugar preparado para aqueles que “receberam o testemunho de Jesus” e foram “aperfeiçoados por meio de Jesus, o mediador do novo convênio, que efetuou esta expiação perfeita pelo derramamento de seu próprio sangue”. (D&C 76:51, 69) Para herdar esse dom, devemos receber as ordenanças de salvação, guardar os mandamentos e arrependermos de nossos pecados. Para uma explicação mais detalhada sobre quem herdará a glória celestial, veja Doutrina e Convênios 76:50–70, 92–96.

    Em janeiro de 1836, o Profeta Joseph Smith recebeu uma revelação que expandiu a compreensão que ele tinha dos requisitos para herdarmos a glória celestial. Os céus se abriram para ele, e ele viu o reino celestial. Ele maravilhou-se quando viu seu irmão mais velho, Alvin, lá, apesar de Alvin ter morrido antes de receber a ordenança do batismo. (Ver D&C 137:1–6.) Em seguida, a voz do Senhor veio até o Profeta Joseph:

    “(…) Todos os que morreram sem conhecimento deste evangelho, que o teriam recebido caso tivessem tido permissão de aqui permanecer, serão herdeiros do reino celestial de Deus;

    Também todos os que morrerem daqui em diante sem conhecimento dele, que o teriam recebido de todo o coração, serão herdeiros desse reino;

    Pois eu, o Senhor, julgarei todos os homens segundo suas obras, segundo o desejo de seu coração”. (D&C 137:7–9)

    Comentando sobre essa revelação, o Profeta Joseph disse: “E vi também que todas as crianças que morrem antes de chegar à idade da responsabilidade são salvas no reino celestial”. (D&C 137:10)

    Em outra revelação dada ao Profeta Joseph, aprendemos que há três graus dentro do reino celestial. Para ser exaltado no mais alto grau e continuar vivendo eternamente em relacionamentos familiares, devemos entrar no “novo e eterno convênio do casamento” e ser fiéis a esse convênio. Em outras palavras, o casamento no templo é um requisito para obtermos o mais alto grau da glória celestial. (Ver D&C 131:1–4.) Todos os que forem dignos de entrar no novo e eterno convênio do casamento terão essa oportunidade, seja nesta vida ou na próxima.

    Reino Terrestre

    Aqueles que herdarem a glória terrestre receberão “a presença do Filho, mas não da plenitude do Pai. Portanto, são corpos terrestres e não corpos celestiais; e diferem em glória, como a lua difere do sol”. (D&C 76:77–78) De modo geral, as pessoas do reino terrestre serão indivíduos honrados “que foram cegados pela astúcia dos homens”. (D&C 76:75) Esse grupo incluirá membros da Igreja que “não são valentes no testemunho de Jesus”. (D&C 76:79) Também nesse grupo estarão aqueles que rejeitaram a oportunidade de receber o evangelho na mortalidade, mas que mais tarde o receberam no mundo espiritual pós-mortal. (Ver D&C 76:73–74.) Para mais informações sobre quem herdará a glória terrestre, veja Doutrina e Convênios 76:71–80, 91, 97.

    Reino Telestial

    A glória telestial será reservada para os indivíduos que “não receberam o evangelho de Cristo nem o testemunho de Jesus”. (D&C 76:82) Tais indivíduos receberão sua glória após serem redimidos da prisão espiritual que é às vezes chamada de inferno. (Ver D&C 76:84, 106.) Há uma explicação detalhada sobre quem herdará a glória telestial em Doutrina e Convênios 76:81–90, 98–106, 109–112.

    Perdição

    Algumas pessoas não serão dignas de viver em nenhum reino de glória. Esses indivíduos serão chamados de “os filhos de perdição” e deverão “permanecer num reino que não seja um reino de glória”. (D&C 76:32; 88:24) Esse será o estado daqueles “que conhecem o [poder de Deus] e dele foram feitos participantes; e que se deixaram vencer pelo poder do diabo e negaram a verdade e desafiaram o [poder de Deus]”. (D&C 76:31; ver também os versículos 30, 32–49.)