Introdução
    Notas de rodapé

    Introdução

    Como Usar Este Manual

    Este manual contém 35 lições relacionadas aos princípios básicos do evangelho e às responsabilidades da mulher santo dos últimos dias. Conforme forem inspiradas, as líderes e professoras devem preparar e ensinar as lições que atendam às necessidades espirituais, emocionais e físicas dos membros do ramo ou da ala.

    Nas unidades da Igreja onde Ensinamentos dos Presidentes da Igreja e os manuais das Moças ainda não foram publicados, este livro deve ser usado como manual de instrução tanto na Sociedade de Socorro como nas Moças. Nessas unidades, todas as irmãs, líderes e professoras da Sociedade de Socorro e das Moças devem receber um exemplar. As líderes locais devem consultar Informações para os Líderes do Sacerdócio e das Auxiliares sobre Currículo para verificar na tabela dos anos em que o Manual da Mulher SUD parte A e B serão usados.

    Nas unidades da Igreja onde não estiver sendo utilizados os manuais Ensinamentos dos Presidentes da Igreja e os manuais das Moças, este manual deve ser usado (1) como recurso para instrução na Sociedade de Socorro no primeiro e quarto domingos e nas reuniões de aprimoramento pessoal, familiar e doméstico; (2) como recurso suplementar para instrução das Moças; e (3) nas aulas de “Ensinamentos para os Nossos Dias” da Sociedade de Socorro, no quarto domingo do mês, conforme designado. Nessas unidades, os líderes e professores da Sociedade de Socorro, das Moças e do Sacerdócio de Melquisedeque devem receber um exemplar deste manual. Os líderes podem também incentivar as irmãs da Sociedade de Socorro a adquirir um exemplar deste manual para seu estudo próprio e ensino familiar em casa.

    Auxílios Didáticos para a Professora

    Sob o título “Preparação da Professora” estão incluídas sugestões para a professora, perguntas para discussão, sugestões para participação da classe e orientação para uso dos auxílios visuais. Outros métodos e auxílios didáticos poderão ser utilizados para envolver os membros da classe e incentivar a participação e o aprendizado. Quase todas as lições sugerem o uso do quadro-negro; por isso, as professoras devem, se possível, providenciar um quadro-negro e giz para serem usados em todas as aulas. Muitos dos auxílios visuais sugeridos na lição como cartazes podem ser desenhados ou escritos no quadro-negro. Outras sugestões de técnicas de ensino encontram-se no Guia de Ensino (34595 059) e no manual Ensino, Não Há Maior Chamado (36123 059)

    Os membros da classe devem ser incentivados a preparar-se para a discussão em classe, estudando a lição designada durante a semana e trazendo suas escrituras para a aula.

    Como Envolver os Membros Portadores de Deficiência

    Durante Seu ministério mortal, Jesus subiu num monte perto do Mar da Galiléia.

    “E veio ter com ele grandes multidões, que traziam coxos, cegos, mudos, aleijados, e outros muitos, e os puseram aos pés de Jesus, e ele os sarou,

    De tal sorte, que a multidão se maravilhou vendo os mudos a falar, os aleijados sãos, os coxos a andar, e os cegos a ver; e glorificava o Deus de Israel.” (Mateus 15:30–31)

    O Salvador deixou-nos um exemplo da compaixão que devemos ter pelos deficientes físicos. Quando visitou os Nefitas após Sua Ressurreição, Jesus disse:

    “(…) Eis que minhas entranhas estão cheias de compaixão por vós.

    Tendes enfermos entre vós? Trazei-os aqui. Há entre vós coxos ou cegos ou aleijados ou mutilados ou leprosos ou atrofiados ou surdos ou pessoas que estejam aflitas de algum modo? Trazei-os aqui e eu os curarei, porque tenho compaixão de vós; minhas entranhas estão cheias de misericórdia”. (3 Néfi 17:6–7)

    Como professora na Igreja, você tem excelentes oportunidades de mostrar compaixão. Embora não sejam treinadas para dar assistência profissional aos membros portadores de alguma deficiência, as professoras devem procurar compreender a situação e incluir essas pessoas nas atividades de aprendizado. Os membros da classe com deficiências mentais, físicas, emocionais ou qualquer outro tipo de problema podem precisar de atenção especial. As diretrizes a seguir podem ser úteis:

    • Procure entender as necessidades de cada membro da classe e descubra quais são suas aptidões.

    • Antes de designar uma irmã para ler, orar ou participar de qualquer atividade, verifique se ela se sente à vontade para fazê-lo. Pergunte, por exemplo: “Você se incomodaria em ler uma escritura ou citação para nós durante a aula?”, “Posso chamá-la para fazer uma oração na classe?” Se achar conveniente, converse com os líderes do sacerdócio, com os pais e familiares da pessoa deficiente sobre suas necessidades especiais.

    • Tente aumentar e melhorar a participação e aprendizado da pessoa deficiente.

    • Faça com que todos os membros da classe se tratem com respeito.

    • Seja natural, simpática e afetuosa. Toda filha de Deus precisa de amor e compreensão.

    Como professora na Igreja, lembre-se de que não importa a capacidade física, mental, emocional ou social que a pessoa tenha, pois todo membro da Igreja possui um potencial a ser desenvolvido que o levará à exaltação. É seu dever ajudar cada indivíduo de sua classe a aprender os princípios do evangelho. Lembre-se das palavras do Salvador: “(…) quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes”. (Mateus 25:40)