A Definição do Evangelho
    Notas de rodapé

    Capítulo 2

    A Definição do Evangelho

    O mundo conhece o Presidente Brigham Young como um grande colonizador que dirigiu a transformação de uma área desértica numa bela região habitada. Mais importante do que isso é o fato de ele ter sido um excelente professor do evangelho restaurado de Jesus Cristo, que inspirou os primeiros santos a viverem a doutrina de uma religião que assegura a todos a oportunidade de retornarem à presença de Deus.

    Ensinamentos de Brigham Young.

    O evangelho de Jesus Cristo abrange um sistema de leis e ordenanças que conduz à salvação.

    Nossa religião nada mais é do que a verdadeira ordem dos céus—o sistema de leis pelo qual os deuses e os anjos são governados. São eles governados pela lei? Certamente. Não existe ser algum em todas as eternidades que não seja governado pela lei. (DBY, p.1)

    O evangelho do Filho de Deus que foi revelado é um plano ou sistema de leis e ordenanças, cuja estrita obediência proporcionará aos habitantes da Terra a certeza de que poderão voltar à presença do Pai e do Filho. As leis do evangelho nada mais são do que alguns princípios da eternidade revelados aos homens, pelos quais poderão voltar aos céus de onde vieram. (DBY, p. 1)

    Quando falamos da lei celestial que foi revelada dos céus, ou seja, o sacerdócio, estamos falando a respeito do princípio da salvação, um sistema perfeito de governo, de leis e ordenanças por meio das quais podemos preparar-nos para passar de um portão para outro, de uma sentinela para outra, até chegarmos à presença de nosso Pai e Deus. (DBY, p. 130)

    Podemos receber a verdade e saber, em cada partícula da alma, que o evangelho é o poder de Deus para a salvação; que ele é o caminho que conduz à vida eterna. (DBY, p. 90)

    Nossa religião, como tudo o que Deus criou, é um sistema de lei e ordem. Ele instituiu leis e ordenanças para o governo e benefício dos filhos dos homens, para ver se eles obedeceriam a elas e se provariam dignos de ganhar a vida eterna, de acordo com a lei dos mundos celestiais. (DBY, p. 1)

    O Senhor não estabeleceu leis que me obriguem a usar determinado tipo de botas. Ele nunca estabeleceu uma lei determinando se devo usar botas de bico quadrado ou de bico fino; se devo ter uma casaca com a cintura embaixo de meus braços e uma aba que desça até os tornozelos; ou se devo usar uma casaca como esta que estou vestindo no momento. A inteligência, até certo ponto, é conferida tanto ao santo quanto ao pecador, para que a usem de modo independente, sem levar em conta se possuem ou não a lei do sacerdócio, se ouviram falar dela ou não. (DBY, p. 63)

    Sabemos muito bem que existe uma peculiaridade em nossa fé e religião, que é a de jamais pedir ao Senhor que faça uma coisa se não estivermos dispostos a ajudá-Lo em tudo o que formos capazes, para então o Senhor fazer o resto. Jamais pedirei ao Senhor algo que eu não esteja disposto a fazer. (DBY, p. 43)

    Salt lake temple contruction, 1880's

    O Templo de Salt Lake na década de 1880. Os santos tiveram grande desejo de construir um templo para Deus.

    O Evangelho de Jesus Cristo inclui toda a verdade.

    Toda a verdade existe para a salvação dos filhos dos homens; para seu benefício e compreensão; para que se desenvolvam nos princípios do conhecimento divino; e o conhecimento divino consiste em todo e qualquer fato ou verdade; e toda a verdade refere-se à divindade. (DBY, p. 11)

    Estejam sempre dispostos a receber a verdade, venha de onde vier, não faz a menor diferença. Não importa se receberam o evangelho por intermédio de Joseph Smith ou de Pedro, que viveu no tempo de Jesus. Recebam-no prazerosamente, quer seja de um homem quer de outro. Se Deus chamou um indivíduo e o enviou a pregar o evangelho, isso é o que me basta saber. Não importa quem seja, tudo o que desejo é conhecer a verdade. (DBY, p. 11)

    O chamado “mormonismo” abrange todos os princípios concernentes à vida e a salvação, para o tempo e eternidade. Não importa quem possua a verdade. Se os pagãos têm alguma verdade, ela pertence ao “mormonismo”. A verdade e a sã doutrina que o mundo sectário possui—e eles as têm em grande medida—pertencem todas a esta Igreja. No que concerne à moralidade, muitas pessoas são tão boas quanto nós. Tudo o que é virtuoso, amável e louvável pertence a esta Igreja e reino. O “mormonismo” abrange toda a verdade. Não existe verdade que não pertença ao evangelho. Ele é vida, e vida eterna; é uma felicidade abençoada. É a plenitude de todas as coisas nos deuses e nas eternidades dos deuses. (DBY, p. 3)

    Em resumo, se o “mormonismo” não for minha vida, não tenho outra. Nada mais compreendo, pois ele abrange tudo o que está ao alcance do entendimento humano. Se ele não incluir tudo o que existe no céu e na Terra, então não é o que alega ser. (DBY, p. 2)

    Quero dizer a meus amigos que cremos em tudo o que é bom. Se puderem encontrar uma verdade nos céus, na Terra ou no inferno, ela pertence a nossa doutrina. Nela cremos; ela nos pertence; nós a reivindicamos. (DBY, p. 2)

    [O evangelho] abrange toda a moralidade, toda virtude, toda luz, toda inteligência, toda grandeza e toda boa qualidade. Ele nos apresenta um sistema de leis e ordenanças. (DBY, p. 3)

    Esse plano incorpora todo sistema de doutrina verdadeira existente na Terra, seja ela eclesiástica, moral, filosófica ou civil. Ele incorpora todas as leis justas que foram estabelecidas desde o tempo de Adão até a época atual; inclusive as leis das nações, pois a todas supera em conhecimento e pureza. Ele inclui as doutrinas atuais, coligidas da esquerda e da direita, reunindo toda a verdade num único sistema, deixando de lado a escória para que seja espalhada aos quatro ventos. (DBY, pp. 3–4)

    Temos o dever e chamado, como ministros dessa mesma salvação e evangelho, de reunir todos os princípios da verdade e rejeitar o erro. Não importa se essa verdade seja encontrada entre os pagãos, os universalistas, os da igreja católica, os metodistas, os anglicanos, os presbiterianos, os batistas, os quacres, os shakers ou em qualquer uma das diversas e numerosas seitas e partidos, todos os quais possuem, em maior ou menor grau, algo da verdade. Os élderes desta Igreja (liderados por Jesus, seu irmão mais velho) têm a obrigação de reunir todas as verdades que existem no mundo, concernentes à vida e à salvação, ao evangelho que pregamos (…) às ciências e à filosofia, onde quer que se encontrem em meio a toda nação, raça, língua ou povo, e trazê-las a Sião. (DBY, p. 248)

    Todo conhecimento e sabedoria e todo bem que o coração humano possa desejar encontram-se dentro do âmbito da fé que abraçamos. (DBY, p. 446)

    Ele abrange toda verdade que existe nos céus e no céu dos céus—todo conhecimento que existe na face da Terra, no seio da Terra e nos espaços estrelados; em resumo, abrange toda a verdade que existe em todas as eternidades dos Deuses. (DBY, p. 448)

    Nossa religião mede, avalia e circunscreve toda a sabedoria que existe no mundo—tudo o que Deus já revelou ao homem. Deus revelou toda a verdade que o mundo possui atualmente, seja ela científica ou religiosa. O mundo Lhe deve tudo o que conhece e usufrui; todas as pessoas Lhe são devedoras, e eu reconheço Sua mão em todas as coisas. (DBY, p. 2)

    Ela abrange toda a verdade científica que o homem, os anjos e os deuses conhecem. Existe apenas um sistema e ciência de vida verdadeiro; todos os demais conduzem à morte. Esse sistema emana da Fonte da Vida. (DBY, p. 2)

    A verdade continuará a existir depois que todos os erros tiverem desaparecido. A vida continuará a existir quando os que rejeitaram a palavra da vida eterna forem tragados pela morte. Eu amo a verdade, porque é real, bela e maravilhosa, porque sua natureza é tão gloriosa, tão digna da fé e consideração de todos os seres inteligentes que existem no céu ou na Terra. (DBY, p. 9)

    Deleito-me na verdade, porque ela pode suster-se a si própria. Baseiase em fatos eternos e permanecerá, ao passo que tudo o mais, cedo ou tarde, irá perecer. (DBY, p. 11)

    Todo indivíduo que vive de acordo com as leis que o Senhor deu a este povo e recebe as bênçãos que Ele reservou para os fiéis deve ser capaz de discernir entre as coisas de Deus e as que não são de Deus, entre a luz e as trevas, entre o que provém dos céus e o que emana de outra fonte. Essa é a satisfação e consolo que os santos dos últimos dias desfrutam ao viverem sua religião; esse é o conhecimento que possui toda pessoa que vive dessa maneira. (DBY, p. 35)

    É tão fácil viver pela verdade. Já ponderaram a esse respeito, meus amigos? Já pensaram nisso, meus irmãos e irmãs? Em todas as circunstâncias da vida, seja entre os humildes ou os orgulhosos, a verdade é sempre o guia mais seguro e o meio mais fácil pelo qual podemos moldar nossa vida. (DBY, p. 11)

    Nossa religião é simplesmente a verdade. Esta única expressão resume tudo: ela abrange toda a verdade, onde quer que se encontre, em todas as obras de Deus e do homem, sejam elas visíveis ou invisíveis aos olhos mortais. (DBY, p. 2)

    Pelo poder do sacerdócio, o evangelho é o meio de salvação para todos os filhos de Deus.

    O que pregamos é o evangelho da vida e salvação. A Igreja que representamos é a Igreja e reino de Deus, possuidora da única religião pela qual os filhos dos homens podem voltar à presença de nosso Pai e Deus. O Senhor estendeu a mão para restaurar todas as coisas como eram no princípio e, por meio da administração do santo sacerdócio, salvar todos os que podem ser salvos, purificar o mundo das conseqüências da queda e entregá-lo nas mãos dos santos. (DBY, p. 4)

    O sacerdócio (…) é uma ordem e sistema de governo perfeitos. Somente esse tipo de organização pode libertar a família humana de todos os males que afligem seus membros e assegurar-lhes a alegria e felicidade na vida futura. (DBY, p. 130)

    O evangelho e o sacerdócio são os meios usados por Deus para salvar e exaltar Seus filhos obedientes, a fim de que possuam junto com Ele a mesma glória e poder e sejam coroados com glória, imortalidade e vida eterna. (DBY, p. 5)

    Todos os atos que realizamos devem ser dirigidos pela orientação do sacerdócio. (DBY, p. 133)

    Não existe ordenança alguma que Deus tenha revelado por meio de Sua própria voz, por intermédio de Seu Filho Jesus Cristo ou pela boca de qualquer um de Seus profetas, apóstolos ou evangelistas, que seja inútil. Todas as ordenanças, mandamentos e requisitos são necessários para a salvação da família humana. (DBY, p. 152)

    Com respeito às ordenanças de Deus, podemos dizer que obedecemos a elas, porque Ele assim exige, e cada til de seus requisitos segue uma filosofia racional. (…) Essa filosofia abrange toda a eternidade, e é nela que os santos dos últimos dias crêem. Cada partícula de verdade que cada pessoa já recebeu é um dom de Deus. Nós recebemos essas verdades, progredimos de glória em glória, de vida eterna a vida eterna, ganhando conhecimento de todas as coisas e tornando-nos Deuses, mesmo Filhos de Deus. (DBY, p. 152)

    O evangelho de Jesus Cristo é a avenida—o portão aberto na estrada ou caminho que conduz da Terra aos céus, através do qual a revelação direta emana aos filhos dos homens em suas diversas atribuições, de acordo com os chamados e posições que ocupam na sociedade em que vivem. O evangelho da salvação é uma parte da lei pertencente ao reino em que Deus habita; as ordenanças correspondentes ao santo sacerdócio são o meio pelo qual os filhos dos homens têm acesso ao caminho da vida, pelo qual podem seguir até voltarem à presença de Seu Pai e Deus. (DBY, p. 6)

    As leis e ordenanças que o Senhor revelou nestes últimos dias têm o propósito de salvar todos os filhos e filhas de Adão e Eva. (DBY, p. 1)

    Proclamamos a todos os habitantes da Terra, desde os vales até os cumes das montanhas, que somos A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (…) e que possuímos a doutrina da vida e da salvação para todas as pessoas de coração sincero que existem no mundo. (DBY, p. 7)

    Sugestões para Estudo

    O Evangelho de Jesus Cristo abrange um sistema de leis e ordenanças que conduz à salvação.

    • De acordo com o Presidente Young, o evangelho de Jesus Cristo é o “poder de Deus para a salvação”. Como sua declaração se compara com a definição do evangelho dada pelo Senhor em 3 Néfi 27:13–14?

    • Qual é a função do evangelho de Jesus Cristo no trabalho de levar a efeito a imortalidade e a vida eterna ao homem? (Ver também Moisés 1:39; Abraão 3:25.) Por que precisamos de um sistema de leis e ordenanças para retornarmos à presença de Deus? De que forma as leis e as ordenanças de Deus são de benefício para os filhos dos homens? (Ver também 2 Néfi 2:13, 16.)

    • O Presidente Young ensinou que Deus é “governado pela lei”. Como o conhecimento de que Deus é governado pela lei pode ajudar-nos? (Ver também D&C 82:10.)

    • O Presidente Young descreveu o evangelho como um sistema bem organizado. Em que aspectos de nossa vida Deus espera que usemos nosso próprio arbítrio? (Ver também D&C 58:26–29.)

    O Evangelho de Jesus Cristo inclui toda a verdade.

    • O Presidente Young incentivou os santos dos últimos dias a procurarem a verdade. Por que precisamos compreender que o evangelho de Jesus Cristo inclui toda a verdade? Por que devemos aceitar a verdade independentemente de sua procedência? O que podemos aprender com a declaração do Presidente Young de que “toda a verdade se refere à deidade”?

    • O que as declarações do Presidente Young ensinam quanto a aceitar e amar as pessoas de outras religiões?

    • Como podemos distinguir a verdade do erro? (Ver também I Coríntios 2:11,14; Morôni 7:12–17.) Por que é tão importante nestes últimos dias que tenhamos a habilidade de “apegar-nos a toda a verdade e rejeitar todos os erros”?

    • De que forma o conhecimento das verdades do evangelho afeta nosso modo de vida? Por que a verdade é sempre o guia mais seguro e o modo mais fácil de moldar nossa vida? Como nossa vida é afetada quando vivemos com mentiras e dissimulação? (Ver também D&C 88:86.)

    Pelo poder do sacerdócio, o evangelho é o meio de salvação para todos os filhos de Deus.

    • Que relação existe entre o sacerdócio e o evangelho de Jesus Cristo? Por que as ordenanças do evangelho são essenciais no plano do evangelho?

    • Qual o papel dos quóruns do sacerdócio, grupos e comitês locais no fato de sermos ministros do evangelho? Qual é a função da Sociedade de Socorro no ensino da verdade e na edificação da fé no evangelho de Jesus Cristo? Alguém já lhe prestou serviço cristão? Como tal experiência influenciou sua vida?

    • O Presidente Young ensinou que o evangelho é “o portão aberto na estrada ou caminho que conduz da Terra ao céu”. Qual é a responsabilidade daqueles que aceitaram o evangelho restaurado em propagar seu testemunho pessoal das leis, ordenanças e verdade? (Ver também Mateus 28:19–20; Provérbios 22:6.)