Estudo Pessoal e Familiar
13 a 19 de setembro. Doutrina e Convênios 102–105: “Após muita tribulação (…) vem a bênção”
anterior próximo

“13 a 19 de setembro. Doutrina e Convênios 102–105: ‘Após muita tribulação (…) vem a bênção’”, Vem, e Segue-Me — Estudo Pessoal e Familiar: Doutrina e Convênios 2021

“13 a 19 de setembro. Doutrina e Convênios 102–105”, Vem, e Segue-Me — Estudo Pessoal e Familiar, 2021

C. C. A. Christensen (1831–1912), Zion’s Camp [O Acampamento de Sião], aprox. 1878, pintura em musselina, 1,98 x 2,90 metros. Museu de Arte da Universidade Brigham Young, doação dos netos de C. C. A. Christensen, 1970

13 a 19 de setembro

Doutrina e Convênios 102–105

“Após muita tribulação (…) vem a bênção”

Que princípios em Doutrina e Convênios 102–105 são significativos para você? Se desejar, anote suas ideias e impressões sobre esses princípios.

Registre suas impressões

Os santos em Kirtland ficaram desolados quando souberam que seus irmãos e irmãs no Condado de Jackson, Missouri, foram expulsos de suas casas. Deve ter sido animador para eles quando o Senhor declarou que “a redenção de Sião” viria “por poder” (Doutrina e Convênios 103:15). Com essa promessa no coração, mais de 200 homens e cerca de 25 mulheres e crianças se alistaram no que chamaram de Acampamento de Israel, depois conhecido como Acampamento de Sião. Sua missão era marchar até o Missouri e redimir Sião.

Para os integrantes do acampamento, redimir Sião significava reintegrar os santos às suas terras. No entanto, pouco antes de o acampamento chegar ao Condado de Jackson, o Senhor disse a Joseph Smith que parasse e dispersasse o Acampamento de Sião. Algumas pessoas ficaram confusas e aborrecidas com essa nova instrução; para eles, significava que a expedição tinha fracassado e que as promessas do Senhor não tinham sido cumpridas. Outros, contudo, viram isso de maneira diferente. Embora os santos exilados nunca tivessem voltado ao Condado de Jackson, sem dúvida, a experiência trouxe certo nível de “redenção” à Sião, e realmente veio “por poder”. Os membros fiéis do Acampamento de Sião — entre eles muitos que depois se tornaram líderes da Igreja — testificaram que a experiência aumentou sua fé no poder de Deus, no chamado divino de Joseph Smith e em Sião — não somente no local chamado Sião, mas em Sião como povo de Deus. Em vez de questionar os méritos da tarefa que parecia não ter tido sucesso, eles aprenderam que a verdadeira tarefa é seguir o Salvador mesmo quando não entendemos tudo. Será assim que Sião será redimida no final.

Ver Santos, Volume 1, pp. 194–206; “A oferta aceitável do Acampamento de Sião”, Revelações em Contexto, pp. 220–225.

O Acampamento de Sião ficou às margens do rio Little Fishing, que aparece nesta foto.

Ideias para o estudo pessoal das escrituras

Doutrina e Convênios 102:12–23

Qual é o propósito das instruções nesses versículos?

A seção 102 contém as atas da reunião em Kirtland, Ohio, onde foi organizado o primeiro sumo conselho da Igreja. Os versículos 12–23 descrevem os procedimentos dos sumos conselhos quando fizerem conselhos disciplinares para aqueles que cometeram transgressões sérias.

O presidente M. Russell Ballard ensinou: “Os membros às vezes perguntam por que são realizados conselhos disciplinares na Igreja. Existem três propósitos: salvar a alma do transgressor, proteger os inocentes e salvaguardar a pureza, a integridade e o bom nome da Igreja” (“A Chance to Start Over: Church Disciplinary Councils and the Restoration of Blessings”, Ensign, setembro de 1990, p. 15).

Ver também Tópicos do Evangelho, “Conselhos disciplinares da Igreja”, em topics.ChurchofJesusChrist.org.

Doutrina e Convênios 103:1–12, 36; 105:1–19

Sião só pode ser edificada sobre princípios de retidão.

Por que os santos perderam sua terra prometida no Missouri? Por que o Senhor não permitiu que o Acampamento de Sião reintegrasse os santos às suas terras? Com certeza, a violência das turbas no Missouri foi um fator importante, e o governador do estado tinha garantido que apoiaria os santos, mas isso nunca aconteceu. No entanto, o Senhor disse que “Se não fosse [pelas] transgressões [do Seu povo]”, Sião “já poderia ter sido [redimida]” (Doutrina e Convênios 105:2). Ao ler Doutrina e Convênios 103:1–12, 36; 105:1–19, talvez você observe algumas coisas que impediram o estabelecimento de Sião no Missouri e outras que poderiam ter ajudado. O que você aprendeu que pode ajudá-lo a estabelecer Sião em seu coração e em sua casa?

Doutrina e Convênios 103:12–13; 105:1–6, 13–19

Recebemos bênçãos depois de suportar aflições e provações com fé.

De muitas formas, participar do Acampamento de Sião foi uma prova de fé. A jornada foi longa, o tempo estava quente e a comida e a água às vezes eram escassas. Depois de tudo o que eles sofreram, os santos ainda não puderam voltar para sua terra. Reflita em como os princípios em Doutrina e Convênios 103:12–13 e 105:1–6, 13–19 devem ter ajudado os integrantes do Acampamento de Sião que questionaram se o mandamento de organizar o acampamento tinha realmente vindo de Deus. Como esses princípios podem ajudá-lo em seus próprios testes de fé?

Leia também sobre as experiências dos integrantes do Acampamento de Sião em “Vozes da Restauração” no final deste esboço. O que lhe chama atenção a respeito das atitudes deles? O que você pode aprender com o que aconteceu com eles?

Ver também David A. Bednar, “Quem segue ao Senhor: Lições do Acampamento de Sião”, A Liahona, julho de 2017, p. 14.

Doutrina e Convênios 104:11–18, 78–83

Sou um “mordomo de bênçãos terrenas”.

Além das provações no Missouri, em 1834, a Igreja enfrentou dificuldades financeiras, com dívidas enormes e muitas despesas. Na seção 104 o Senhor deu conselhos sobre a situação financeira da Igreja. Como você pode aplicar os princípios nos versículos 11–18 e 78–83 às suas próprias decisões financeiras?

Para saber mais sobre “o modo do Senhor” (versículo 16) de prover aos santos, estude a mensagem do presidente Dieter F. Uchtdorf “Prover à maneira do Senhor” (A Liahona, novembro de 2011, p. 53).

Ideias para o estudo das escrituras em família e para a noite familiar

Doutrina e Convênios 103:12, 36; 105:9–13.

Já foi pedido à sua família (ou a algum de seus antepassados) que fizesse algo que não saiu como vocês esperavam? O que vocês podem aprender com as reações dos integrantes do Acampamento de Sião quando a jornada deles não terminou como eles esperaram? (Ver “Vozes da Restauração” no final deste esboço.)

Doutrina e Convênios 104:13–18.

Quais foram as coisas que o Senhor nos deu? O que Ele espera que façamos com elas?

Doutrina e Convênios 104:23–46.

Sua família poderia pesquisar esses versículos para descobrir quantas vezes o Senhor prometeu “multiplicar as bênçãos” (ver o versículo 23) dos que forem fiéis. Talvez essa seja uma boa hora para “contar as bênçãos” (“Conta as bênçãos”, Hinos, nº 57) e debater sobre como fazer isso poderia nos ajudar em épocas difíceis. As crianças pequenas podem gostar de desenhar as bênçãos pelas quais são especialmente gratas.

Doutrina e Convênios 105:38–41.

Como podemos fazer “propostas de paz” (versículo 40) quando outros nos tratam com grosseria ou injustiça? Como podemos fazer para erguer um “estandarte de paz” (versículo 39) em nossa casa?

Para mais ideias sobre como ensinar crianças, ver o esboço desta semana em Vem, e Segue-Me — Primária.

Hino sugerido: “Conta as bênçãos”, Hinos, nº 57.

Vozes da Restauração

Acampamento de Sião

Como o Acampamento de Sião nunca reintegrou os santos às suas terras no Condado de Jackson, muitas pessoas acharam que a experiência tinha sido um fracasso. No entanto, muitos integrantes do Acampamento de Sião, ao avaliarem a experiência, viram como o Senhor cumpriu um propósito mais elevado na vida deles e em Seu reino. Veja aqui alguns de seus testemunhos.

Joseph Smith

Quarenta anos após o Acampamento de Sião, Joseph Young, que tinha sido um dos integrantes do grupo, contou que Joseph Smith disse o seguinte:

“Irmãos, alguns de vocês estão zangados comigo porque não lutaram no Missouri; mas quero dizer-lhes que Deus não queria que vocês lutassem. Ele não poderia organizar Seu reino com doze homens para abrir as portas do evangelho às nações da Terra e com setenta homens sob sua direção para lhes seguir os passos, a menos que os escolhesse entre um grupo que tivesse oferecido a própria vida e que tivesse feito um sacrifício tão grande quanto o de Abraão.

Agora o Senhor tem seus doze e seus setenta, e outros quóruns de setenta serão chamados, que farão o sacrifício; e aqueles que não fizeram seus sacrifícios e suas ofertas agora, o farão depois”.1

Brigham Young

“Quando chegamos ao Missouri, o Senhor falou a Seu servo Joseph e disse: ‘Aceitei tua oferta’, e tivemos o privilégio de voltar novamente para nossa casa. Assim que cheguei, alguns amigos me perguntaram de que adiantou ter tirado esses homens de seu trabalho diário para ir ao Missouri e voltar, aparentemente sem ter realizado nada. ‘Quem se beneficiou com isso?’, perguntaram. ‘Se o Senhor realmente deu essa ordem, que objetivo Ele tinha em mente?’ (…) Eu disse a esses irmãos que fui muito bem pago — até com juros — sim, minha recompensa foi tão boa que até transbordou, de tanto conhecimento que recebi por viajar com o profeta.”2

Wilford Woodruff

“Estive no Acampamento de Sião com o profeta de Deus. Testemunhei a interação do Senhor com ele. Vi o poder de Deus com ele. Vi que ele era um profeta. O que lhe era manifestado pelo poder de Deus no tocante a essa missão era de grande valor para mim e para todos os que receberam suas instruções.”3

“Quando os membros do Acampamento de Sião foram chamados, muitos de nós jamais tínhamos visto uns aos outros; éramos estranhos e muitos nunca haviam visto o profeta antes. Tínhamos sido espalhados, como grãos ao vento, por todo o país. Éramos jovens e fomos chamados naquela época para redimir Sião. E o que tínhamos que fazer tinha de ser feito pela fé. Fomos reunidos de vários estados diferentes em Kirtland e fomos defender Sião, cumprindo o mandamento de Deus para nós. Deus aceitou nossas obras como aceitara as de Abraão. Realizamos grandes coisas, embora apóstatas e descrentes muitas vezes perguntassem: ‘O que vocês fizeram?’. Ganhamos experiência que não poderíamos ter adquirido de nenhuma outra forma. Tivemos o privilégio de contemplar a face do profeta e de viajar mais de 1.500 quilômetros com ele e ver o Espírito de Deus agir por meio dele, e as revelações que ele recebeu de Jesus Cristo, bem como o cumprimento delas. Ele juntou cerca de 200 élderes de todas as partes do país naqueles primeiros anos da Igreja e nos mandou pelo mundo para pregar o evangelho de Jesus Cristo. Se eu não tivesse participado do Acampamento de Sião, não estaria aqui hoje [em Salt Lake City, servindo no Quórum dos Doze]. (…) Indo ao Missouri, fomos enviados à vinha para pregar o evangelho, e o Senhor aceitou nosso trabalho. Em todo o nosso trabalho e durante as perseguições, com nossa vida constantemente em perigo, tivemos que trabalhar e viver pela fé.”4

“A experiência que ganhamos ao viajar com o Acampamento de Sião foi mais preciosa do que o ouro.”5

Notas

  1. Citado em Joseph Young Sênior, History of the Organization of the Seventies, 1878, p. 14.

  2. “Discourse”, Deseret News, 3 de dezembro de 1862, p. 177.

  3. Conference Report, abril de 1898, pp. 29–30; ver também Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Wilford Woodruff, 2004, pp. 137–138.

  4. “Discourse”, Deseret News, 22 de dezembro de 1881, p. 543; ver também Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Wilford Woodruff, 2004, p. 140.

  5. Deseret News: Semi-Weekly, 27 de julho de 1880, p. 2; ver também Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Wilford Woodruff, 2004, p. 141.

O Acampamento de Sião (O Acampamento de Sião no Rio Fishing), de Judith A. Mehr