Estudo Pessoal e Familiar
22 a 28 de fevereiro. Doutrina e Convênios 18–19: “O valor das almas é grande”
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

“22 a 28 de fevereiro. Doutrina e Convênios 18–19: ‘O valor das almas é grande’”, Vem, e Segue-Me — Estudo Pessoal e Familiar: Doutrina e Convênios 2021

“22 a 28 de fevereiro. Doutrina e Convênios 18–19”, Vem, e Segue-Me — Estudo Pessoal e Familiar, 2021

Martin Harris Farm, de Al Rounds

22 a 28 de fevereiro

Doutrina e Convênios 18–19

“O valor das almas é grande”

As revelações em Doutrina e Convênios foram dadas em resposta a circunstâncias específicas há quase 200 anos, mas os princípios que elas ensinam são eternos. Procure esses princípios durante sua leitura e reflita sobre como eles se aplicam a você.

Registre suas impressões

Martin e Lucy Harris eram donos de uma das melhores fazendas em Palmyra, Nova York. Eles levaram dez anos para adquiri-la e, graças a essa propriedade, puderam criar os filhos e dar a eles um bom lugar na comunidade. Mas, em 1829, ficou claro que o Livro de Mórmon só poderia ser publicado se Martin hipotecasse sua fazenda para pagar o impressor. Martin tinha um testemunho do Livro de Mórmon, mas Lucy não. Se Martin fosse adiante com a hipoteca e o Livro de Mórmon não vendesse bem, ele perderia sua fazenda e colocaria seu casamento em risco. Em algum momento da vida, todos nos defrontamos com perguntas parecidas com aquelas que Martin pode ter feito: O que o evangelho de Jesus Cristo significa para mim? O que estou disposto a sacrificar pela edificação do reino de Deus? É bom lembrar que ninguém pagou um preço mais alto para abençoar os filhos de Deus do que Jesus Cristo, “o mais grandioso de todos” (Doutrina e Convênios 19:18).

Martin decidiu hipotecar sua fazenda. Seu sacrifício pagou pela impressão de 5 mil exemplares do Livro de Mórmon. E hoje, com mais de 190 milhões de exemplares publicados, milhões de almas no mundo inteiro têm sido abençoadas.

Para mais informações sobre a publicação do Livro de Mórmon, ver Santos, vol. 1, pp. 76–86.

Ideias para o estudo pessoal das escrituras

Doutrina e Convênios 18:10–16

O Senhor Se regozija quando nos arrependemos.

Observe quantas vezes as palavras arrepender (e suas variantes) e arrependimento são usadas em Doutrina e Convênios 18 e 19, e reflita sobre o que você pode aprender com essas palavras cada vez que foram usadas. Pondere principalmente sobre Doutrina e Convênios 18:10–16. Como esses versículos influenciam seus sentimentos sobre o arrependimento — sobre seu próprio arrependimento e seu dever de incentivar outras pessoas a se arrependerem?

Ver também Alma 36:18–21; Dale G. Renlund, “Arrependimento: Uma escolha feliz”, A Liahona, novembro de 2016, p. 121.

Doutrina e Convênios 18:34–36

Posso ouvir a voz do Senhor em Doutrina e Convênios.

Se alguém lhe perguntasse como é a voz do Senhor, o que você diria? Pense a respeito dessa pergunta enquanto lê Doutrina e Convênios 18:34–36. O que você aprendeu sobre a voz do Senhor com a leitura de Doutrina e Convênios? O que você pode fazer para ouvir Sua voz com mais clareza?

Doutrina e Convênios 19:15–20

Jesus Cristo sofreu para que eu pudesse me arrepender e vir a Ele.

O Novo Testamento descreve o sofrimento do Salvador no Getsêmani da perspectiva daqueles que o observaram. Em Doutrina e Convênios 19:15–20, Jesus Cristo fala de Seu sofrimento usando Suas próprias palavras. Ao ler esse relato sagrado e pessoal, procure palavras e frases que descrevem o sofrimento do Salvador. Pense no que ensina cada palavra ou frase. Por que o Salvador estava disposto a sofrer? Se desejar, escreva seus sentimentos a respeito de Jesus Cristo e o sacrifício que Ele fez por você.

Ver João 15:13; Mosias 3:7; Alma 7:11–12; Doutrina e Convênios 18:10–13.

Worth of a Soul, de Liz Lemon Swindle

Doutrina e Convênios 19:26–27, 34–41

As bênçãos de Deus são maiores do que os tesouros da Terra.

O Livro de Mórmon não vendeu muito bem em Palmyra e, por isso, Martin Harris acabou tendo que vender boa parte de sua fazenda para pagar a dívida (ver “As contribuições de Martin Harris”, Revelações em Contexto, pp. 8–9). Ao ler esses versículos, pondere sobre esse sacrifício e as bênçãos que você recebeu devido a ele. Reflita também sobre o que o Senhor tem pedido que você sacrifique. O que há nesses versículos que pode inspirar você a fazer esses sacrifícios com “regozijo” e “alegria”? (Ver também versículos 15–20.)

Doutrina e Convênios 19:23

Sentimos paz ao aprender sobre Jesus Cristo e ao segui-Lo.

Pense no convite do Salvador: “Aprende de mim”. O que você aprendeu sobre o Senhor em Doutrina e Convênios 19? Anote suas ideias e reflita sobre como essas verdades sobre o Salvador o ajudam a encontrar paz. O que significa para você “[andar] na mansidão de [Seu] Espírito”?

Ideias para o estudo das escrituras em família e para a noite familiar

Doutrina e Convênios 18:1–5.

Talvez as pessoas da família possam falar sobre as “muitas ocasiões” (versículo 2) em que o Espírito manifestou a elas que as escrituras são verdadeiras, assim como fez com Oliver Cowdery. Como sua família pode “[confiar] nas coisas que estão escritas” (versículo 3) nas escrituras? Como vocês podem aumentar a confiança de sua família na “rocha” (versículo 4) do evangelho?

Doutrina e Convênios 18:10–13; 19:16–19.

Cada pessoa da família poderia ler Doutrina e Convênios 18:10–13, colocando seu nome no lugar das palavras “alma”, “almas” e “todos os homens”. Depois vocês poderiam debater como esses versículos nos ajudam a entender nosso valor para o Pai Celestial e Seu Filho, Jesus Cristo (ver Doutrina e Convênios 19:16–19).

Doutrina e Convênios 18:21–25.

O nome das pessoas da família tem um significado especial? Talvez vocês possam conversar sobre por que o nome de cada um é importante e o que significa tomar sobre si o nome de Cristo (ver Mosias 5:7). Essa pode ser uma boa oportunidade de ajudar os membros da família a se prepararem para tomar o nome de Cristo sobre si mesmos quando forem batizados.

Doutrina e Convênios 19:15–20.

Para ajudar sua família a ter uma experiência significativa com esses versículos, talvez vocês possam ler esse trecho enquanto mostram uma gravura de Cristo (uma delas vem com este esboço). Os membros da família poderiam falar o que sentem sobre o Salvador. Um dos hinos preferidos da família sobre o Salvador também poderia ajudá-los a sentir o Espírito.

Para mais ideias sobre como ensinar crianças, ver o esboço desta semana em Vem, e Segue-Me — Primária.

Hino sugerido: “Assombro me causa”, Hinos, nº 112.

Aperfeiçoar seu estudo pessoal

Fazer perguntas. O livro de Doutrina e Convênios é uma evidência de que perguntas levam à revelação. Ao estudar as escrituras, anote as perguntas que lhe vierem à mente. Depois, pondere e ore para buscar respostas.

Christ Praying in the Garden of Gethsemane, de Hermann Clementz