23 a 29 de março. Enos–Palavras de Mórmon: Ele atua em mim, para que eu faça segundo a sua vontade
    Notas de rodapé
    Theme

    “23 a 29 de março. Enos–Palavras de Mórmon: ‘Ele atua em mim, para que eu faça segundo a sua vontade’”, Vem, e Segue-Me — Estudo Pessoal e Familiar: Livro de Mórmon 2020

    “23 a 29 de março. Enos–Palavras de Mórmon”, Vem, e Segue-Me — Estudo Pessoal e Familiar, 2020

    Enos quando era criança com seu pai, Jacó, e sua mãe

    Jacob and Enos [Jacó e Enos], de Scott Snow

    23 a 29 de março

    EnosPalavras de Mórmon

    Ele atua em mim, para que eu faça segundo a sua vontade

    Ao ler de Enos a Palavras de Mórmon, procure mensagens que serão valiosas para você e sua família.

    Registre suas impressões

    Enos foi a uma floresta para caçar, mas acabou ficando lá para orar “o dia inteiro (…) e [até] depois de ter anoitecido” (Enos 1:3–4). Como sua alma estava realmente faminta, ansiando receber a remissão de seus pecados, Enos estava disposto a orar o tempo que fosse necessário, até a travar uma “luta” perante Deus para conseguir seu objetivo (Enos 1:2). Isso é o que significa oração sincera: não tanto pedir por alguma coisa que queremos, mas fazer um esforço sincero de entrar em comunhão com Deus e alinhar nossa vontade à Dele. Quando você ora dessa maneira, quando sua voz “[chega] aos céus”, você descobre, como Enos descobriu, que Deus o ouve e que realmente Se importa com você, com seus entes queridos e até com seus inimigos (ver Enos 1:4–17). Nesses momentos, Deus pode lhe revelar Sua vontade e você estará mais desejoso de cumpri-la e será mais capaz de fazê-la porque está em harmonia com Ele. Como Mórmon, talvez você “não [saiba] todas as coisas, mas o Senhor sabe (…) [e] ele atua em [você] para que [você] faça segundo a sua vontade” (Palavras de Mórmon 1:7).

    ícone de estudo pessoal

    Ideias para o estudo pessoal das escrituras

    Enos 1:1–3

    As palavras do pai ou da mãe podem ter influência duradoura.

    Que mensagens esses versículos têm para pais e filhos?

    Enos 1:4–27

    Minhas orações sinceras serão respondidas.

    A experiência de Enos com a oração é uma das mais memoráveis nas escrituras. Talvez suas experiências não sejam assim tão extraordinárias, mas nem por isso são menos importantes. As experiências de Enos podem mostrar como você pode melhorar suas orações. Pondere a respeito destas perguntas:

    • Que palavras descrevem o empenho que Enos teve ao orar?

    • Sobre o que Enos orou no início? (Ver Enos 1:4.) O que você aprendeu com a forma como Enos agiu depois de ter recebido uma resposta? (Ver Enos 1:5–7.)

    • Como foi que Enos colocou em prática as respostas que recebeu?

    • O que você pode aprender com Enos sobre como ter uma fé “inabalável” no Senhor? (Enos 1:11.)

    JaromÔmni

    O Senhor vai me abençoar se eu guardar os mandamentos.

    Uma das promessas mais repetidas no Livro de Mórmon é que, se os nefitas guardassem os mandamentos, prosperariam na terra (ver 2 Néfi 1:20; Jarom 1:9–12; Ômni 1:6). Os livros de Jarom e Ômni mostram algumas das maneiras pelas quais essa promessa foi cumprida. O que você aprendeu com esses relatos que pode ajudá-lo a “[prosperar] na terra”?

    Ômni 1:14, 21

    Quem era o povo de Zaraenla?

    Depois que os nefitas fugiram da terra de Néfi, eles descobriram um povo numeroso que vivia num lugar chamado Zaraenla. O povo de Zaraenla era descendente de um grupo de israelitas que, assim como a família de Leí, havia saído de Jerusalém e fora guiado pelo Senhor para chegar à terra prometida. Entre esse grupo havia um homem chamado Muleque, um dos filhos de Zedequias, rei de Judá, que foi capturado pelos babilônios certa de 587 a.C. (ver Jeremias 52:1–11; Mosias 25:2; Helamã 8:21).

    Depois que o povo de Zaraenla chegou à terra prometida, eles ficaram conhecendo Coriântumr (ver Ômni 1:21), o último sobrevivente dos jareditas, cuja história é contada no livro de Éter.

    Palavras de Mórmon

    O que são as Palavras de Mórmon?

    As Palavras de Mórmon servem de ponte entre os dois conjuntos de placas que compõem o Livro de Mórmon. Nelas, Mórmon dá uma explicação sobre esses dois registros, e suas palavras ensinam uma importante lição sobre confiar no Senhor mesmo quando não entendemos Sua orientação.

    Quando Néfi estava escrevendo o registro de seu povo, Deus o instruiu a fazer dois conjuntos de placas, conhecidas como as placas menores e as placas maiores de Néfi. Néfi não sabia por que foi ordenado a fazer esses dois conjuntos de placas, mas ele acreditava que o Senhor tinha “um sábio propósito (…) o qual [lhe era] desconhecido” (1 Néfi 9:5; ver também “Breve explicação sobre o Livro de Mórmon”).

    Séculos depois, quando Mórmon estava resumindo as placas maiores de Néfi, ele descobriu as placas menores entre outros registros. As placas menores falavam de muitos dos mesmos acontecimentos descritos nas placas maiores que Mórmon já tinha resumido, mas as placas menores se concentravam mais em assuntos espirituais e no ministério e nos ensinamentos dos profetas. Deus inspirou Mórmon a incluir as placas menores de Néfi em seu registro, além das placas maiores. Como Néfi, Mórmon não entendia o propósito de Deus de ter aqueles dois conjuntos de placas, mas ele acreditava que era “para um sábio propósito” (Palavras de Mórmon 1:7).

    Hoje sabemos qual era o propósito de Deus. Em 1828, depois que Joseph Smith havia traduzido parte do resumo de Mórmon das placas maiores de Néfi (116 páginas manuscritas), Martin Harris perdeu essas páginas. Deus ordenou que Joseph não retraduzisse a parte perdida porque homens mal-intencionados iriam mudar as palavras e tentar desacreditar Joseph (ver D&C 10, cabeçalho da seção; D&C 10:14–19, 30–45). Felizmente, Deus já tinha visto que isso iria acontecer e providenciou as placas menores, que continham a mesma história perdida com as 116 páginas. As placas menores compõem os livros que vêm antes das Palavras de Mórmon, e o resumo de Mórmon das placas maiores começa depois das Palavras de Mórmon.

    Mórmon compilando as placas de ouro

    Mormon Compiling the Plates [Mórmon Compilando as Placas], de Jorge Cocco

    ícone de estudo familiar

    Ideias para o estudo das escrituras em família e para a noite familiar

    Ao ler as escrituras com sua família, o Espírito pode ajudá-lo a decidir quais princípios devem ser enfatizados e debatidos a fim de satisfazer as necessidades de sua família. Veja estas ideias.

    Enos 1:1–17

    Mostre uma gravura de Enos orando e procure frases em Enos 1:1–7 com sua família que poderiam ser usadas como título da gravura. Você também pode pedir que eles façam desenhos sobre as experiências de Enos. O que podemos aprender com Enos sobre procurar perdão?

    Jarom 1:2

    De que maneira o estudo do Livro de Mórmon “[revela] (…) o plano de salvação” para nós?

    Ômni 1:12–22

    O que esses versículos ensinam sobre a importância de ter a palavra de Deus em nossa vida?

    Palavras de Mórmon 1:3–9

    Como seremos abençoados fazendo registros pessoais e familiares? Como podemos tornar nossos registros mais centrados em Cristo?

    Para alguns exemplos de como ensinar as crianças, veja o esboço desta semana em Vem, e Segue-Me — Primária.

    Aperfeiçoar o ensino

    Reunir-se frequentemente. O presidente Henry B. Eyring ensinou: “Os pais sábios jamais perderiam uma oportunidade de reunir os filhos para aprenderem a doutrina de Jesus Cristo. Esses momentos são raríssimos quando comparados ao trabalho do inimigo” (“A força da doutrina”, A Liahona, julho de 1999, p. 87).

    Enos orando

    Enos Praying [Enos Orando], de Robert T. Barrett