Histórias das Escrituras
Capítulo 49: Os Ensinamentos de Mórmon
anterior próximo

Capítulo 49

Muitos anos depois da visita de Jesus Cristo aos nefitas, um pequeno grupo de pessoas abandonou a Igreja e autodenominou-se lamanitas.

Quase todo o povo acabou tornando-se iníquo, tanto os nefitas quanto os lamanitas.

Um homem justo chamado Amaron guardava os registros sagrados. O Espírito Santo disse a eles de que os escondesse em um lugar seguro.

Amaron contou a Mórmon, um garoto de dez anos de idade, onde havia escondido os registros. Amaron sabia que podia confiar em Mórmon.

Quando completasse 24 anos de idade, Mórmon deveria buscar as placas de Néfi e escrever nelas a história de seu povo.

Quando Mórmon tinha onze anos de idade, deu-se início a uma guerra entre nefitas e lamanitas. Os nefitas venceram, e houve paz mais uma vez.

Mas os nefitas eram tão iníquos que o Senhor retirou os três discípulos dentre eles, assim cessaram-se os milagres e as curas. O Espírito Santo não orientou mais o povo.

Quando Mórmon tinha quinze anos de idade, Jesus Cristo visitou-o. Mórmon aprendeu mais a respeito do Salvador e de Sua bondade.

Mórmon queria pregar ao povo, mas Jesus disse-lhe que não fizesse isso, pois o povo era muito perverso. O coração deles estava voltado contra Deus.

Pouco tempo depois, começou uma outra guerra. Mórmon estava grande e era forte. Os nefitas escolheram Mórmon para liderar o exército.

Os nefitas lutaram contra os lamanitas por muitos anos. Mórmon incentivava seu povo a lutar pela família e pelo lar.

Entretanto, os nefitas tornaram-se tão iníquos que o Senhor não os ajudou mais.

Mórmon disse aos nefitas que se eles se arrependessem e fossem batizados, a vida deles seria poupada; mas eles recusaram-se.

Eles orgulhavam de sua força e diziam que matariam todos os lamanitas. Mórmon não quis mais liderá-los por causa da iniqüidade dos nefitas.

Os nefitas começaram a perder todas as batalhas contra os lamanitas. Mórmon decidiu liderar o exército nefita mais uma vez.

Ele sabia que os nefitas peversos não venceriam a guerra. Eles não se haviam arrependido nem orado pedindo a ajuda de que precisavam.

Mórmon foi buscar os registros no monte onde Amaron os havia escondido e escreveu para as pessoas que um dia leriam os registros.

Ele queria que todos, inclusive os judeus, aprendessem a respeito de Jesus Cristo, se arrependessem, fossem batizados, vivessem o evangelho e recebessem suas bênçãos.

O Espírito inspirou Mórmon a guardar as placas menores de Néfi, que continham as profecias da vinda de Cristo, juntamente com as placas de Mórmon.

Mórmon conduziu os nefitas à uma terra chamada Cumora, onde se prepararam para lutar novamente contra os lamanitas.

Mórmon estava envelhecendo. Ele sabia que aquela seria a última batalha. Ele não queria que os lamanitas encontrassem os registros sagrados e os destruíssem.

Então ele entregou as placas de Mórmon a seu filho, Morôni, e escondeu o restante delas no monte Cumora.

Os lamanitas atacaram e mataram todos os nefitas, restando apenas 24 deles. Mórmon ficou ferido.

Mórmon ficou triste ao ver tantos nefitas mortos; mas ele sabia que haviam morrido por terem rejeitado Jesus.

Mórmon havia tentado ensinar a verdade aos nefitas. Ele havia-lhes falado o quanto era importante ter fé em Jesus Cristo.

Ele havia tentado ensinar-lhes a ter esperança no Sacrifício Expiatório e caridade, que é o puro amor de Cristo.

E Mórmon havia escrito cartas a seu filho, Morôni, que também havia ensinado o evangelho aos nefitas.

Mórmon escreveu sobre a grande iniqüidade dos nefitas. Pediu a Morôni que permanecesse fiel a Jesus Cristo.

Os lamanitas mataram Mórmon e todos os nefitas, menos Morôni, que terminou de escrever os registros.