2016
Praticar a Religião Pura

Praticar a Religião Pura

Extraído do discurso “Pure Religion” [Religião Pura], proferido na Universidade Brigham Young–Idaho, em 13 de janeiro de 2015. Para o discurso integral em inglês, acesse o site speeches.byu.edu.

Se quiser ser feliz, sentir o Espírito Santo e achegar-se mais ao Salvador, pratique a religião pura.

Pure Religion

Pure Religion [Religião Pura], de Annie Henrie

Há alguns anos, um rapaz que vou chamar de John procurou-me em meu escritório pouco depois de ter voltado de missão.

“Élder Clarke, preciso de ajuda”, disse ele muito preocupado. “Adorei minha missão. Ela mudou minha vida. Contudo, estou perdendo parte daqueles sentimentos sagrados e especiais que tive no campo missionário. O que posso fazer para sentir o que senti no campo?”

Já vi isso acontecer muitas vezes. O que ele estava me perguntando era: “O que posso fazer para ser feliz, sentir o Espírito Santo e estar próximo do Salvador?” Essa é a pergunta que todos devemos fazer a nós mesmos todos os dias.

Naquela tarde no meu escritório, abrimos em Tiago 1:27 e lemos: “A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se imaculado do mundo”.

Em seguida lemos Alma 34:28: “Se negardes ajuda aos necessitados e aos nus e não visitardes os doentes e aflitos nem repartirdes o vosso sustento, se o tendes, com os que necessitam — digo-vos, se não fizerdes qualquer destas coisas, eis que vossa oração é vã e de nada vos vale e sois como os hipócritas que negam a fé”.

Depois analisamos o relato encontrado no evangelho de João, no qual Pedro e outros discípulos tinham ido pescar e não conseguiram pegar nada, quando então o Salvador lhes disse que lançassem a rede do outro lado do barco, e eles apanharam 153 peixes. Depois de terem se alimentado, Pedro e o Salvador conversaram. O Salvador sabia que aquela seria uma das últimas vezes em que instruiria o futuro profeta e presidente da Igreja.

“Amas-me?” perguntou Jesus.

Pedro respondeu: “Sim, Senhor; tu sabes que te amo”.

Então o Salvador disse: “Apascenta os meus cordeiros”.

O Salvador fez a mesma pergunta mais duas vezes e depois instruiu: “Apascenta as minhas ovelhas” (ver João 21:3–17).

Pedro estava realmente sendo instruído a praticar a religião pura, ou seja, cuidar das pessoas. O profeta de Deus hoje também cuida das pessoas e as ama. O Presidente Thomas S. Monson é um grande exemplo de alguém que pratica a religião pura. Ele passou toda a sua vida amando as pessoas e cuidando delas.

Vi muitos ex-missionários como meu amigo John. Se perguntarmos por que adoraram sua missão, quase sempre dirão que foi por causa de seu amor pelas pessoas. No dia em que os missionários começam a preocupar-se mais com os outros do que com eles mesmos, tornam-se felizes. Isso se aplica a todos nós. Nossa vida sempre será mais feliz se cuidarmos dos outros e os amarmos.

O oposto de cuidar dos outros é pensar em nós mesmos: meu carro, meus estudos, meu emprego, meus problemas. Quando tudo tem a ver conosco, nossa conexão com o céu não é tão forte quanto poderia ser.

Eu disse a John que, se ele praticasse a religião pura, seria mais feliz e se sentiria como se sentia na missão. Da mesma forma, se você quiser ser feliz, sentir o Espírito Santo e achegar-se mais ao Salvador, deve praticar a religião pura. Nas escrituras citadas, aprendemos quatro práticas importantes que podem ser definidas como religião pura.

1. Visitar as Viúvas e Cuidar Delas

Sacrament. Passing and partaking

John voltou para a faculdade e colocou em prática o que havíamos discutido. Mais tarde, enviou-me um e-mail contando a experiência que teve ao ler histórias inspiradoras das revistas da Igreja para pessoas idosas num asilo.

“Muitas pessoas sentiram grande amor e alento do Salvador quando o Espírito confirmava verdades simples e testemunhos”, escreveu ele. “Não imaginei que eu fosse capaz de sentir tanto amor por pessoas desconhecidas com quem eu tinha pouco contato e de sentir o amor delas por mim. Mas senti o amor que o Salvador tinha por elas, por aquelas almas bondosas. Pareceu-me bem claro que eu encontraria aquelas pessoas — hoje assoladas pela demência e por enfermidades físicas — no mundo vindouro. Eu veria seus maridos e suas esposas, que zelavam por elas do outro lado do véu. Senti muito forte a presença de meu avô — que nunca conheci — ao sentar-me com minha avó, e o espírito dele me deu força e alento. Eu sabia que ele estava grato por minha simples visita.”

Ele prosseguiu, dizendo: “Quem diria que eu poderia encontrar tantas ternas misericórdias? Pareceu-me sem sentido voltar para casa depois de algo assim e simplesmente ligar a televisão ou desligar-me de alguma outra forma. Aquilo mudou minha vida e me fez reconhecer que essas ternas experiências estão a nosso alcance em todos os momentos do dia se nós, santos, nos esforçarmos em nos concentrar e ajudarmos as pessoas de alguma maneira”.

Você também pode fazer isso, e o Senhor vai abençoá-lo como abençoou John.

2. Ajudar os Órfãos

Há muitas oportunidades em todo o mundo. Não seria maravilhoso se pudéssemos conectar-nos uns com os outros ou escrever uns para os outros com regularidade?

Quando nosso filho, Nate, retornou da missão, tinha os mesmos sentimentos que meu amigo John. Nate decidiu tornar-se mentor voluntário num programa que combina adultos com crianças que necessitam de um relacionamento de apoio individual. Esse serviço mudou sua experiência de vida na universidade. Agora que está casado, Nate e a esposa, Carla, “adotaram” alguém novamente por intermédio desse programa. Tem sido uma grande bênção para eles em seu casamento poderem compartilhar o que têm com os necessitados.

Quando minha mulher, Mary Anne, e eu servimos na Missão Bolívia Santa Cruz, tínhamos um missionário que era órfão. Ele não tinha família. O Senhor o designou a ser o treinador do Élder Hawkins. Não creio que ele tenha sido o melhor treinador, mas o Élder Hawkins foi o melhor companheiro daquele menino órfão que se tornara um dos missionários do Senhor.

Os pais do Élder Hawkins escreveram para aquele missionário durante toda a missão dele e continuaram a fazê-lo nos últimos 15 anos. Graças ao Élder Hawkins e a família dele, aquele menino órfão foi amado e recebeu carinho e hoje está bem casado, empregado e ativo no evangelho de Jesus Cristo. Todos podemos ajudar a mudar a vida de crianças órfãs.

3. Cuidar dos Pobres e Necessitados

Service

As escrituras constantemente nos relembram a importância de ajudar os pobres e necessitados. Todos temos essa responsabilidade.1 Um modo pelo qual podemos ampliar a ajuda que damos aos pobres e necessitados é fazer uma generosa oferta de jejum. O Presidente Brigham Young (1801–1877) disse:

“No primeiro ano em que vim para este vale, não tinha farinha suficiente para prover minha família até a colheita (…), e vinham pessoas todos os dias à minha casa em busca de pão. Senti-me deprimido com [isso] um dia. Desci até o velho forte e quando voltei para casa estava totalmente curado. Disse à minha mulher: ‘Não deixe que ninguém venha aqui em busca de alimento e vá embora de mãos vazias, porque se fizer isso vamos sofrer antes da colheita. Mas se der algo a toda pessoa que nos procurar teremos o suficiente para suster-nos até lá. (…)

Pretendo continuar a fazer isso para que meu pão dure, porque se não o fizer ficarei sem’.

Vocês acreditam nesse princípio? Sei que é verdade, porque o pus à prova muitas vezes”.2

A seguinte experiência pessoal foi publicada num site cristão por um médico do Colorado, EUA, que havia empurrado o carro até um posto de gasolina após o motor ter rateado e morrido. Ao preparar-se para chamar um guincho, viu uma mulher que estava com o carro parado ao lado de uma bomba de gasolina escorregar e cair.

“Fui ver se ela estava bem. Quando me aproximei, parecia mais que ela tinha se deixado dominar pelos soluços do que caído. Era uma jovem de fisionomia muito abatida, com grandes olheiras. Deixou cair algo quando eu a ajudava a erguer-se, e apanhei para entregar-lhe. Era uma moedinha.

Naquele momento, a situação ficou clara para mim: a mulher chorando, o [carro] velho abarrotado de coisas, com três crianças no banco traseiro (uma delas numa cadeirinha), e a bomba de gasolina marcando [US$] 4,95 dólares. Perguntei se ela estava bem e se precisava de ajuda, mas ela só ficava dizendo: ‘Não quero que meus filhos me vejam chorando’.”

Entendendo a situação dela, o médico pegou seu cartão de crédito, encheu o tanque do carro dela e depois comprou duas grandes sacolas de comida e alguns vales-brindes para ela e os filhos numa lanchonete que havia ao lado do posto.

“Ela me disse o nome dela e contou que morava em Kansas City [Missouri, EUA]”, relatou ele. “O namorado a deixara dois meses antes, e ela não estava conseguindo sustentar-se. (…) Em desespero, [ela] por fim havia telefonado aos pais, com quem não falava havia cinco anos. Eles moravam na Califórnia, e ela disse que poderia ir morar com eles e tentar reerguer-se ali. Por isso tinha amontoado todas as suas coisas no carro.”

O médico deu-lhe um abraço e fez uma oração pela segurança dela na estrada. Ao dirigir-se a seu carro, a mulher perguntou: “Você é um anjo ou algo assim?”

O médico respondeu: “Às vezes Deus usa pessoas comuns”.

Depois, comentou: “Foi incrível fazer parte do milagre de outra pessoa. E, é claro, (…) quando entrei no meu carro, ele pegou de imediato, e fui para casa sem problemas. Vou levá-lo à oficina amanhã para uma revisão, mas suspeito que o mecânico não vá encontrar nada de errado”.3

Será que o Senhor confia em nós para que sejamos a resposta da oração de outra pessoa? Será que Ele pode contar que seguiremos os sussurros do Espírito Santo? Quanto mais seguimos os sussurros do Espírito, mais oportunidades o Senhor nos dará para que sejamos a resposta da oração de alguém.

4. Apascentar Suas Ovelhas e Seus Cordeiros

Compassionate Service

Quando Jesus teve aquela conversa com Pedro, Seu primeiro conselho foi: “Apascenta os meus cordeiros”. O Salvador sabia que, se apascentarmos os cordeiros, não teremos que procurar ovelhas perdidas. Alguns de nós podemos ter irmãos ou irmãs mais novos, sobrinhos ou sobrinhas, ou outras pessoas que conhecemos que precisam de ajuda. Sejamos bons exemplos para eles e talvez encontremos os cordeiros que precisam de nossa ajuda.

Você vai procurar e ajudar um cordeiro? Você, como pastor, vai ser suficientemente digno de confiança para cuidar dos cordeiros e das ovelhas como o Salvador pediu que fizéssemos?

A pergunta que o Salvador fez a Pedro poderia ser feita a cada um de nós: “Amas-me?” Ao praticarmos a religião pura visitando as viúvas e cuidando delas, ajudando os órfãos, cuidando dos pobres e necessitados, e apascentando Suas ovelhas e Seus cordeiros, vamos mostrar ao Salvador que O amamos! Ao fazermos isso, seremos felizes, sentiremos o Espírito Santo e nos achegaremos mais a Ele.