2016
Sermos Pais É um Dever Sagrado

Mensagem das Professoras Visitantes

Sermos Pais É um Dever Sagrado

Em espírito de oração, estude este material e busque inspiração para saber o que compartilhar. De que maneira a compreensão de “A Família: Proclamação ao Mundo” aumenta sua fé em Deus e abençoa as pessoas sob sua responsabilidade como professora visitante? Acesse reliefsociety.LDS.org para mais informações.

Fé, Família, Auxílio

Relief Society Logo
Scripture Study and Teaching. Family

Nosso Pai Celestial estabeleceu as famílias para nos ajudar a ensinar princípios corretos em um ambiente de amor. O Presidente Thomas S. Monson disse: “Elogiem os filhos e abracem-nos, externem seu amor com mais frequência, sempre expressem gratidão. Nunca permitam que um problema a ser resolvido se torne mais importante do que uma pessoa a ser amada”.1

Susan W. Tanner, ex-presidente geral das Moças, ensinou: “Nosso Pai Celestial exemplifica o padrão que devemos seguir. Ele ama-nos, ensina-nos, tem paciência conosco e confia-nos o arbítrio. (…) Às vezes, a disciplina (que significa ‘ensinar’) é confundida com a crítica. As crianças, assim como pessoas de todas as idades, melhoram seu comportamento muito mais pelo amor e incentivo do que pela identificação de suas falhas”.2

“Se realizarmos fervorosamente a oração em família, o estudo das escrituras, a noite familiar e guardarmos o Dia do Senhor”, disse o Élder Quentin L. Cook, do Quórum dos Doze Apóstolos, “nossos filhos (…) estarão preparados para um lar eterno no céu, independente do que lhes acontecer neste mundo difícil”.3

Escrituras Adicionais

1 Néfi 8:37; 3 Néfi 22:13; Doutrina e Convênios 93:40; 121:41

Histórias Vivas

“Eu lia o jornal quando um de meus netos foi sentar-se a meu lado”, disse o Élder Robert D. Hales, do Quórum dos Doze Apóstolos. “Enquanto eu lia, fiquei feliz em ouvir sua doce voz tagarelando ao fundo. Imaginem minha surpresa quando, de repente, ele se interpôs entre o jornal e eu. Segurou meu rosto com as mãos, encostou o nariz no meu e perguntou: ‘Vovô! Você está aí?’

(…) Estar significa compreender o coração de nossos jovens e conectar-nos com eles. E conectar-nos com eles significa não apenas conversar com eles, mas também realizar atividades com eles. (…)

Precisamos planejar e aproveitar momentos de ensino. (…)

Quanto mais eu vivo, mais me dou conta de que os momentos de ensino da minha juventude, especialmente os que meus pais me proporcionaram, moldaram minha vida e me tornaram quem sou hoje.”4