2016
Abençoado por Meu Serviço

Servir na Igreja

Abençoado por Meu Serviço

O autor mora na Austrália Ocidental.

O Senhor Se deleita em abençoar-nos, e descobri que, por mais que eu sirva, continuo em dívida com Ele.

Blessed for My Service

Recentemente, quando eu estava sendo apresentado como orador, a pessoa que dirigia mencionou gentilmente alguns dos chamados de destaque que ocupei na Igreja, como bispo, presidente de missão e membro da presidência da estaca. Aquele irmão estava sendo gentil, mas me veio à mente a pergunta: Por que não me apresentar como líder de missão da ala (meu chamado atual) ou algum de meus chamados menos públicos?

Posso honestamente dizer que senti o mesmo espírito orientador em cada chamado, e cada um deles foi muito recompensador. Sempre procurei a orientação do Senhor em meus chamados e nunca me senti abandonado. Concluí que o Senhor Se deleita em abençoar-nos — independentemente de onde sirvamos.

Creio que receberemos “uma coroa de imortalidade e vida eterna” (D&C 81:6) não por causa dos chamados de destaque, mas porque servimos humildemente em quaisquer chamados que tenhamos recebido. O Salvador disse:

“E que a cabeça não diga aos pés não ter deles necessidade; porque, sem os pés, como se sustentaria o corpo?

Também o corpo tem necessidade de todos os membros, para que todos sejam juntos edificados, a fim de que o sistema se mantenha perfeito” (D&C 84:109–110).

Tive medo de alguns chamados da Igreja em minha vida. Sempre que tive esses pensamentos em relação a um chamado em potencial, era certeza que em breve o receberia. Foi preciso fé e confiança nas promessas encontradas nas escrituras para aceitar esses chamados.

Néfi disse: “Eu irei e cumprirei as ordens do Senhor, porque sei que o Senhor nunca dá ordens aos filhos dos homens sem antes preparar um caminho pelo qual suas ordens possam ser cumpridas” (1 Néfi 3:7). Paulo declarou: “Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação” (2 Timóteo 1:7).

Às vezes, podemos sentir que temos o direito de recusar um chamado caso o temamos. Mas precisamos lembrar que os líderes da Igreja oram sobre os chamados e as pessoas que vão recebê-los.

Quando recusamos um chamado, o cargo passa a outro, que terá a oportunidade de crescer e de ser abençoado por servir (ver D&C 58:32).

O Senhor Se deleita em nos abençoar, e descobri que, por mais que sirva, continuo em dívida com Ele. Verdadeiramente Ele abençoou a mim e a minha família muito além do que eu poderia sonhar pelo fato de termos servido em Seu reino.