Um Dízimo Honesto, uma Grande Bênção
    Notas de rodapé

    Um Dízimo Honesto, uma Grande Bênção

    Quando eu tinha quase dezessete anos, fui batizado na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e senti o desejo de servir ao Senhor numa missão. Quando recebi o chamado missionário, alguns anos depois, fui chamado para sair do Peru e pregar o evangelho restaurado em Salt Lake City.

    Mesmo ao pensar na grande bênção de servir como missionário, muitas coisas de que eu precisaria me causavam preocupação: documentos, passaporte, visto, roupas e, é claro, dinheiro. Eu estava trabalhando, mas não ganhava o bastante. Fiquei desesperado! A um mês e meio da data de partida, vi que tinha apenas uma pequena parte dos fundos necessários. Só me restava buscar ao Senhor em oração.

    Como meu salário não era grande, o dízimo que eu pagava mensalmente era modesto. Mas logo percebi que o Senhor não se importa com o fato de a quantia ser pequena: importa-Lhe que paguemos os dez por cento que Ele pediu. Senti a convicção e a certeza de que, se continuasse a pagar o dízimo, o Senhor atenderia a minhas necessidades.

    Tudo começou a entrar nos eixos. Consegui dois empregos adicionais e tirei os documentos necessários. Muitos membros da ala, principalmente as irmãs da Sociedade de Socorro, ajudaram a suprir outras carências. E os membros de minha estaca também ofereceram ajuda. Fui para o campo missionário com tudo o que tinha sido pedido.

    Como missionário de tempo integral, ensinei a lei do dízimo e suas promessas (ver Malaquias 3:10) com gratidão e testemunho.

    Ilustração: Scott Greer