2011
    Medo de Mudar
    Notas de rodapé
    Tema

    Medo de Mudar

    Depois de fazer uma pergunta a Deus, achei a coragem de que precisava.

    Fui criada num lar cristão. Embora minha família nunca tenha sido religiosa, meu pai sempre me ensinou a agir de acordo com o que eu sabia ser verdade.

    No início da adolescência passei por muitas provações: uma cirurgia na coluna, o divórcio de meus pais, uma enfermidade sofrida por minha mãe e a responsabilidade de cuidar de minha irmã mais nova. Esses desafios me deixaram amarga e desiludida. Então, pouco antes de completar quinze anos de idade, conheci os missionários. O Élder Johnson e o Élder Chadwick me ensinaram o evangelho.

    Li o Livro de Mórmon, mas não estava disposta a fazer as mudanças solicitadas pelos élderes. Disse-lhes que as transformações eram grandes demais e praticamente pedi que me deixassem em paz. Ergui a cabeça ao dizer isso e dei de frente com o olhar do Élder Chadwick. Uma lágrima solitária escorreu-lhe pelo rosto e nunca senti tanta vergonha. Prometi telefonar-lhes no dia seguinte.

    Saí da Igreja, fui para casa e terminei de ler o Livro de Mórmon pela primeira vez. Em seguida, ajoelhei-me como nunca fizera antes e perguntei a Deus se o livro era verdadeiro. Eu jamais fizera uma pergunta a Deus antes. Tinha muito medo de mudar. Depois de dizer “amém”, senti muita paz e tranquilidade. Sabia que tinha um Pai Celestial que me amava, sabia que o Livro de Mórmon era verdadeiro e sabia que poderia mudar.

    Dez dias depois fui batizada. Meu pai e minha mãe assistiram ao batismo. Embora eu ainda seja o único membro da Igreja na família, tenho fé em que um dia eles também se ajoelharão e perguntarão a Deus. Atualmente, estou lendo o Livro de Mórmon pela oitava vez, e é tão maravilhoso quanto na primeira. Sei que o Livro de Mórmon é verdadeiro. Ele tem o poder de transformar as pessoas.