História da Igreja
A família de Joseph Sr. e Lucy Mack Smith
anterior próximo

“A família de Joseph Sr. e Lucy Mack Smith”, Tópicos da História da Igreja

“A família de Joseph Sr. e Lucy Mack Smith”

A família de Joseph Sr. e Lucy Mack Smith

A vida familiar e o carinho recebido dos pais e irmãos de Joseph Smith foram muito importantes no início da obra profética de Joseph. Sua atenção à oração e ao estudo da Bíblia se devia muito ao envolvimento religioso dos pais. Quando Joseph relatou as visões de anjos, a notícia alegrou muito os membros da família, que, como o pai e a mãe de Joseph, já haviam passado por suas próprias experiências espirituais profundas.1 Mais tarde, Joseph escreveu de maneira comovente sobre seu desejo de que tanto os nomes quanto as ações de seus pais e irmãos fossem sempre lembrados. “Palavras”, ele escreveu, são “inadequadas para expressar a gratidão que devo a Deus por ter me dado familiares tão honrados”.2

Desde o princípio do casamento de Joseph Sr. e Lucy, a família enfrentou colheitas fracassadas e dificuldades financeiras. Mudaram-se várias vezes entre os lugarejos de Vermont e New Hampshire, antes de encontrarem perspectivas mais favoráveis na região de Finger Lakes em Nova York. Em 1816, a família Smith se mudou para Palmyra, Nova York, e logo se estabeleceu em uma fazenda nas proximidades de Manchester. Nessa área, ao longo dos 15 anos seguintes, Joseph Jr. teve suas primeiras visões, traduziu e publicou o Livro de Mórmon e organizou a Igreja de Cristo.3

A família Smith acompanhou a Igreja até Kirtland, Ohio, em 1831; ao Missouri em 1838; e a Nauvoo, Illinois, no início da década de 1840. Joseph Sr. e Lucy moraram com seus filhos adultos pelo resto da vida. Tragicamente, dentro de um período de quatro anos entre 1840 e 1844, Joseph Sr. e quatro de seus filhos (Don Carlos, Hyrum, Joseph e Samuel) morreram devido à doença ou ao assassinato. A maioria dos membros restantes da família decidiu não ir para a Grande Bacia após a morte de Joseph Smith.

Joseph Smith Sr. (1771–1840)

(Ver “Joseph Smith Sr.”, Tópicos da História da Igreja.)

Lucy Mack Smith (1775–1856)

(Ver “Lucy Mack Smith”, Tópicos da História da Igreja.)

Filho sem nome (aproximadamente 1797)

O primeiro filho de Joseph Sr. e Lucy, nascido cerca de um ano depois do casamento, morreu ainda bebê. A família Smith não tinha dado nome à criança.4

Alvin Smith (1798–1823)

O primeiro filho da família Smith a sobreviver à infância, Alvin, nasceu em 11 de fevereiro de 1798, na casa da família em Tunbridge, Vermont. A mãe de Alvin o descreveu como um “jovem de (…) índole especialmente bondosa”, de “comportamento gentil e amigável”.5 Depois que a família Smith se mudou para Palmyra, o trabalho de Alvin se tornou essencial para o sustento da família, e ele liderou a construção de uma casa de madeira na fazenda dos Smith.

Alvin acreditou no relato de Joseph sobre o aparecimento do anjo Morôni e o incentivou a seguir as instruções do anjo. De acordo com um amigo da família, Morôni até instruiu Joseph a levar Alvin com ele quando chegou o momento de obter as placas do Livro de Mórmon.6 Mas, poucos meses antes de seu 26º aniversário, Alvin morreu com o que sua mãe descreveu como “pedras na vesícula”.7 O médico que atendia Alvin administrou uma combinação de mercúrio e cloro chamada de “calomelano”, um remédio considerado tóxico por muitos médicos na época, mas comumente usado por médicos autônomos.8 O tratamento agravou a condição de Alvin e ele morreu em poucos dias. Historiadores sugeriram que a principal razão de sua morte pode ter sido a apendicite.9

Lucy mencionou em seu esboço biográfico que a noiva de Alvin assistiu ao funeral, mas não há informações sobre o noivado de Alvin.10

A morte de Alvin devastou a família Smith. Em seu funeral, um ministro religioso local entristeceu mais a família ao insinuar que Alvin seria condenado ao inferno por não ter sido batizado.11 Em 1836, Joseph teve uma visão do reino celestial e se maravilhou quando viu Alvin ali. O Senhor revelou que aqueles como Alvin, “que morreram sem conhecimento deste evangelho, que o teriam recebido caso tivessem tido permissão de aqui permanecer, serão herdeiros do reino celestial de Deus”.12 Quando Joseph anunciou a doutrina do batismo vicário pelos mortos, em 1840, seu irmão Hyrum foi batizado em favor de Alvin no rio Mississippi.

Hyrum Smith (1800–1844)

(Ver “Hyrum Smith”, Tópicos da História da Igreja.)

Sophronia Smith Stoddard McCleary (1803–1876)

A primeira filha da família Smith, Sophronia, nasceu em 16 de maio de 1803, enquanto a família morava em Tunbridge, Vermont. Alguns anos mais tarde, a área foi afligida por uma epidemia de febre tifoide e Sophronia e seu irmão mais novo, Joseph, foram os casos mais graves na família. Sophronia, de 9 anos de idade, lutou contra a febre tifoide por três meses antes de subitamente parar de respirar e ficar inerte. Sua mãe a embrulhou em um cobertor, pegou-a nos braços e começou a niná-la. Os vizinhos pediram a Lucy que aceitasse a morte de Sophronia, mas, finalmente ela acordou, ofegou tentando respirar e soluçou. Ela se recuperou e viveu até a idade de 73 anos.13

Sophronia acreditava nas visões de seu irmão Joseph. Ela sofreu quando a comunidade local tratou sua família com dureza. Alguns meses depois que Joseph recebeu as placas do anjo Morôni, Sophronia se casou com Calvin Stoddard, que acabou se filiando à Igreja. Sophronia, Calvin e sua filha de 14 meses de idade, Eunice, viajaram para Kirtland, Ohio, em companhia de Lucy, mas, cerca de dois meses depois de chegarem em Kirtland, Eunice morreu de causas desconhecidas. Sophronia teve um segundo bebê, Mariah, um ano mais tarde, mas, antes de os santos saírem de Ohio, Calvin morreu em Nova York, deixando Sophronia viúva aos 34 anos de idade.14

Sophronia se casou com William McCleary em 1838, e os dois se mudaram para o Missouri e depois para Illinois.15 Sophronia e William parecem ter planejado se mudar para Winter Quarters, mas William morreu antes de partir, então Sophronia, em vez disso, escolheu permanecer em Illinois, onde poderia estar perto de sua família. Pelos 30 anos seguintes, morou perto de suas irmãs, Katharine e Lucy, até sua morte em 1876.16

Joseph Smith Jr. (1805–1844)

(Ver “A família de Joseph e Emma Hale Smith”, Tópicos da História da Igreja.)

Samuel Harrison Smith (1808–1844)

Supondo que o Livro de Mórmon provocaria apenas uma reforma nas igrejas existentes, Samuel Smith expressou preocupação ao saber que seu irmão mais velho, Joseph, pretendia fundar uma nova igreja. Ele se retirou para um bosque próximo e orou para saber se o Senhor guiara Joseph. Quando voltou, imediatamente pediu para ser batizado, tornando-se a primeira pessoa depois de Joseph e Oliver a receber o batismo. Samuel permaneceu fiel pelo resto de sua vida.17

Samuel foi uma das oito testemunhas do Livro de Mórmon e serviu uma das primeiras missões de proselitismo da história da Igreja.18 Durante sua breve missão em 1830, entregou um Livro de Mórmon para a família Young, que apresentou o evangelho restaurado para o futuro presidente da Igreja, Brigham Young, e o futuro apóstolo Heber C. Kimball.19

Mais tarde, enquanto servia outra missão de dois anos, Samuel ajudou a estabelecer vários ramos no nordeste dos Estados Unidos.20 Durante essa missão, Samuel conheceu sua futura esposa, Mary Bailey. Samuel e Mary tiveram quatro filhos.21 Samuel era membro da Escola dos Profetas em Kirtland e serviu como membro do sumo conselho. Em Nauvoo, ajudou o bispo Vinson Knight como conselheiro e serviu também como vereador da cidade, guarda da Legião de Nauvoo, diretor da Universidade de Nauvoo e membro do Conselho Municipal de Nauvoo.22

Samuel se casou com Levira Clark depois que Mary morreu em 1841, durante o parto.23 Eles se mudaram para Plymouth, Illinois, e moravam lá quando Samuel soube que seus irmãos Joseph e Hyrum estavam presos na cadeia de Carthage. Samuel saiu a cavalo para ajudá-los e, de acordo com relatos posteriores, encontrou dois homens em um bosque, que imediatamente começaram a persegui-lo. Ele escapou por pouco de seus agressores, só para descobrir, ao chegar em Carthage, que seus irmãos tinham sido assassinados. Abalado e triste, Samuel tomou as providências necessárias para a proteção dos corpos, em um hotel próximo, até que pudesse levá-los para Nauvoo.24 Tragicamente, menos de um mês depois, o próprio Samuel morreu. Um jornal local noticiou a morte devido à “febre biliosa” embora os amigos e familiares culpassem a situação traumática que passou como causa da doença.25

Ephraim Smith (1810)

Ephraim Smith, a sétima criança e o sexto filho de Joseph Sr. e Lucy, viveu apenas alguns dias. Ele nasceu em 13 de março e morreu em 24 de março de 1810. A família Smith vivia em Royalton, Vermont, durante a curta vida de Ephraim.26

William B. Smith (1811–1893)

William Smith aceitou o chamado profético do irmão mais velho Joseph e foi batizado. Teve vários chamados na Igreja durante toda a vida e foi um dos primeiros membros do Quórum dos Doze Apóstolos. Também serviu várias missões, marchou para o Missouri com o Acampamento de Israel e foi ordenado patriarca da Igreja.27

William Smith

Fotografia de William Smith.

Em 1833, William se casou com Caroline Amanda Grant, membro de uma família que conheceu durante uma de suas missões. Antes da morte de Caroline, em 1845, William começou a praticar o casamento plural, tendo casado uma segunda vez alguns meses antes do martírio de seus irmãos Joseph e Hyrum.28 Entre 1844 e 1889, William se casou mais quatro vezes, porém dois dos casamentos terminaram em divórcio. William teve sete filhos.29

Além de seu serviço na Igreja, William era ativo nos assuntos cívicos. Em Nauvoo, ele serviu como membro do conselho da cidade. Foi editor do jornal Nauvoo Wasp por algum tempo, mas foi substituído depois de uma discussão com Thomas C. Sharp, outro editor de um jornal local. William representou o condado de Hancock na Câmara Legislativa do estado de Illinois, na qual defendeu a municipalização de Nauvoo contra pedidos para revogá-la.30

O único filho de Joseph Sr. e Lucy a viver além do verão de 1844, William inicialmente apoiou Brigham Young como sucessor de Joseph. No entanto, contendas com outros membros dos Doze levaram William a mudar de opinião. Ele foi excomungado em 1845, após uma breve e fracassada proposta para liderar a Igreja. Mais tarde, filiou-se a várias outras igrejas antes de encontrar um lugar permanente na Igreja Reorganizada de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, liderada por seu sobrinho, Joseph Smith III.31

Quando a Guerra Civil Americana começou em 1861, William mentiu sobre sua idade a fim de parecer jovem o suficiente para se alistar no Exército da União. No serviço militar, William adotou a inicial “B” de seu nome do meio a fim de se distinguir dos muitos soldados chamados William Smith. Faleceu em 13 de novembro de 1893, com 82 anos de idade.32

Katharine Smith Salisbury Younger (1813–1900)

A segunda filha da família Smith, Katharine, filiou-se à Igreja quando era adolescente. Uma tradição da família fala da ocasião em que Joseph pediu a Sophronia e Katharine que escondessem as placas de ouro de uma multidão enfurecida, o que as irmãs fizeram, cobrindo as placas com seus lençóis e deitando-se em cima, fingindo dormir.33 Katharine se mudou para Kirtland, Ohio, com a mãe, Lucy, e no mesmo ano se casou com um recém-converso chamado Wilkins Jenkins Salisbury.34

A vida de casada de Katharine foi difícil. Wilkins tinha dificuldades para encontrar emprego e pode ter sido alcoólatra. Ele passou pelo menos dez anos fora da irmandade da Igreja e morreu ainda em conflito com os líderes, em Utah. Muitas vezes, Katharine e os filhos ficavam em situação precária. Um visitante ao lar dos Salisbury, em 1843, lamentou que os filhos de Katharine não tivessem sapatos apesar do inverno rigoroso. A família Smith apoiou Katharine nas dificuldades e os líderes da Igreja também ajudaram, enviando mais tarde o dinheiro para a construção de uma casa para ela em Illinois.35

Assim como a mãe e os outros irmãos e as outras irmãs, Katharine permaneceu em Illinois após a morte de Joseph e Hyrum Smith. Após a morte de Wilkins em 1853, Katharine se estabeleceu perto da mãe e das irmãs, onde permaneceu pelo resto da vida. Quando seu filho, Don Carlos, fez 14 anos de idade, ela o enviou para viver com sua irmã mais velha, Sophronia, possivelmente devido às más condições financeiras de sua própria família. Embora Katharine nunca tenha viajado para o oeste, manteve ativa correspondência com os membros da família Smith, em Utah. Esses parentes visitaram Katharine muitas vezes enquanto estavam em missão. Ela morreu em 1900, aos 86 anos de idade.36

Don Carlos Smith (1816–1841)

Os membros da família descreviam Don Carlos Smith como amável, bondoso e afetuoso. Com somente 14 anos de idade quando Joseph publicou o Livro de Mórmon, Don Carlos apoiou seu irmão mais velho desde o início. Ele foi “um dos primeiros”, disse Joseph, “a receber meu testemunho”.37 Mais tarde no mesmo ano, Don Carlos acompanhou o pai em uma viagem a Estocolmo, Nova York, onde os dois compartilharam a mensagem da Igreja com os parentes. Logo depois, Don Carlos se mudou para Kirtland, Ohio, com a mãe e as irmãs.38

Enquanto morava em Kirtland, Don Carlos aprendeu o ofício de tipógrafo com Oliver Cowdery. Don Carlos ajudou a publicar grande parte da literatura inicial da Igreja, inclusive a primeira edição de Doutrina e Convênios. Em 30 de julho de 1835, ele se casou com Agnes Moulton Coolbrith, uma conversa de Boston, que se hospedou com os pais de Don Carlos.39 Don Carlos e Agnes tiveram três filhas.

Depois de se mudar para Nauvoo, Don Carlos continuou a trabalhar como tipógrafo. Editou e publicou o jornal Times and Seasons e arrecadou dinheiro para uma terceira edição do Livro de Mórmon.40 Também serviu como missionário em breves missões na Pensilvânia, em Nova York, na Virgínia, em Ohio, no Kentucky e no Tennessee e foi presidente do quórum dos sumos sacerdotes.41 Morreu de malária, em agosto de 1841, com 26 anos de idade; seu sobrinho de mesmo nome, filho recém-nascido de Joseph e Emma Smith, morreu da mesma doença apenas oito dias mais tarde.42

Lucy Smith Millikin (1821–1882)

Na época do nascimento de Lucy Smith, em 18 de julho de 1821, seu irmão, Joseph, já tivera a Primeira Visão. Lucy cresceu com grande parte do ministério religioso de Joseph já em curso e morou com seus pais durante os períodos de Kirtland e Missouri no início da Igreja. Pouco depois de chegarem a Commerce (posteriormente Nauvoo), Illinois, Lucy se casou com Arthur Millikin, um converso de Maine. Ela se filiou à Sociedade de Socorro de Nauvoo e, em 1843, acompanhou o marido em missão a Maine. Lucy ficou em Illinois após a morte de seus irmãos Joseph e Hyrum. Entre 1846 e 1852, levou a mãe idosa para viver em sua casa. Cerca de quatro anos após a morte da mãe, Lucy se estabeleceu perto de Colchester, Illinois, onde ela e o marido desenvolveram uma reputação respeitável entre os vizinhos. Por volta de 1880, Lucy começou a cuidar de sua nora, que havia contraído uma doença respiratória. Ela mesma contraiu a doença e morreu em 9 de dezembro de 1882.43

Fotografia de Lucy Smith Millikin.

Tópicos relacionados: Joseph Smith Sr., Lucy Mack Smith, Joseph Smith Jr., Hyrum Smith