Restauração e história da Igreja
    Companhias de carrinhos de mão
    Notas de rodapé
    Tema

    “Companhias de carrinhos de mão”, Tópicos da história da Igreja

    “Companhias de carrinhos de mão”

    Companhias de carrinhos de mão

    Os pioneiros santos dos últimos dias viajavam para o Vale do Lago Salgado em companhias de carroções até meados da década de 1850, quando a necessidade de um meio de transporte mais barato e eficiente fez com que Brigham Young orientasse os líderes a organizarem companhias de carrinhos de mão. Em vez de usar carroções, que costumavam ser puxados por bois, os pioneiros puxavam seus próprios carrinhos de mão feitos de madeira. Os carrinhos de mão eram mais baratos, e as companhias podiam viajar mais rápido do que em carroções.

    Handcart pioneers

    Representação dos pioneiros com carrinhos de mão, de Minerva Teichert.

    As viagens em carrinhos de mão começaram em 1856 e se estenderam até 1860. O Fundo Perpétuo de Emigração (FPE) fornecia empréstimos para ajudar aqueles que não conseguiam custear a jornada. Apenas dez das mais de 350 companhias de emigrantes santos dos últimos dias viajaram em carrinhos de mão.1

    A maior parte das companhias de carrinhos de mão realizou a jornada sem maiores incidentes. Contudo, as duas companhias lideradas por James G. Willie e Edward Martin são lembradas entre os santos dos últimos dias por causa de sua trágica viagem que iniciou tardiamente. Em 1856, as companhias Willie e Martin foram encurraladas pelas tempestades de inverno, com as companhias Hunt e Hodgetts de carroções, nas planilhas do que hoje é o Wyoming. Cerca de 1.500 pessoas se perderam ao longo da trilha, e aproximadamente 250 morreram após a exposição ao frio, por queimaduras ou por fome. Uma força de resgate reuniu milhares de membros da Igreja em Utah, os quais forneceram alimento e primeiros socorros, assim como 300 socorristas, que arriscaram a vida para ir ao encontro das companhias e ajudá-las a chegar ao Vale do Lago Salgado, o que salvou mais de 1.200 pessoas. Embora alguns relatos do resgate e de suas repercussões tenham sido exagerados,2 essa operação inspirou gerações de santos dos últimos dias devido à prontidão dos membros, à disposição heroica dos socorristas de arriscar a vida e ao apoio e cuidado que a comunidade teve para com os sobreviventes.

    Contrastando com as provações enfrentadas pelas companhias Willie e Martin, a taxa de fatalidades das demais companhias de carrinhos de mão se igualou à das companhias de carroções, e os administradores do FPE continuaram dando assistência às viagens com carrinhos de mão. Em 1860, cerca de 3 mil pioneiros haviam completado com sucesso a viagem usando carrinhos de mão.