Restauração e história da Igreja
    Adão-ondi-Amã
    Notas de rodapé
    Tema

    “Adão-ondi-Amã”, Tópicos da história da Igreja

    “Adão-ondi-Amã”

    Adão-ondi-Amã

    Quando os santos dos últimos dias se reuniram para dedicar o Templo de Kirtland, em 1836, eles cantaram “Adão-ondi-Amã”, um hino composto por William W. Phelps e incluído no então recém-publicado hinário dos santos dos últimos dias. A letra comemorava os ensinamentos das revelações de Joseph Smith sobre um lugar chamado Adão-ondi-Amã, onde Adão concedeu sua última bênção à sua posteridade. O hino também predizia a Segunda Vinda do Salvador, quando Adão-ondi-Amã seria restaurada à sua antiga beleza e glória.1

    Adam-Omni-Ahman

    Fotografia moderna de Adão-ondi-Amã.

    Dois anos depois, enquanto procuravam terras para os santos se estabelecerem no condado de Daviess, Missouri, Joseph Smith e um grupo de líderes da Igreja encontraram um belo local próximo do rio Grand, com água abundante, animais selvagens para caça e pradarias cobertas de grama. Falando do alto de uma proeminente colina da região, denominada Spring Hill, o Senhor explicou em revelação que dera ao lugar o nome de “Adão-ondi-Amã” porque “é o lugar onde Adão virá para visitar seu povo”.2

    Os santos se regozijaram com essa notícia, e logo algumas famílias começaram a se mudar para a região. O assentamento seguiu o modelo da planta de Sião (a planta urbana de Joseph Smith para Independence, Missouri), e identificaram o local para a construção de um templo.3 Os líderes organizaram a Estaca Adão-ondi-Amã em 1838, uma das primeiras da Igreja.4 Cerca de 200 casas foram construídas, mas o assentamento de Adão-ondi-Amã durou apenas alguns meses. Em breve irrompeu a violência entre os santos dos últimos dias e outros missourianos, no outono de 1838, e os santos de Adão-ondi-Amã foram obrigados a abandonar seu lar.

    Tópicos relacionados: A guerra mórmon no Missouri em 1838, Sião/Nova Jerusalém, Far West.