História da Igreja
“Não foi necessário coragem; foi necessário fé”
anterior seguinte


“Não foi necessário coragem; foi necessário fé”

Em 1960, Milton e Irene Soares procuravam uma igreja. Nenhum dos dois fora criado em um lar religioso, mas ambos sentiam que eles e seus cinco filhos precisavam de uma base espiritual. Incentivados pela persistência de Irene, o casal estudou a Bíblia e tentou frequentar muitas igrejas locais.

Quando Irene conheceu os missionários, com entusiasmo marcou um compromisso para que eles se encontrassem com seu marido. Já cansado da busca, Milton havia desenvolvido uma atitude cética em relação à religião e rejeitou os ensinamentos dos missionários. Finalmente, num ataque de raiva, disse a eles que não voltassem mais. Os missionários pediram que ele orasse mais uma vez e perguntasse a Deus se a mensagem deles era verdadeira. Ele concordou, mas, após orar, não sentiu diferença.

Naquela noite, Milton estava lendo Como Evitar Preocupações e Começar a Viver, de Dale Carnegie. Ele abriu uma passagem no meio do livro que explicava como muitas coisas, tais como nosso corpo ou a eletricidade, beneficiam-nos mesmo que não compreendamos completamente como funcionam. “O fato de eu não compreender os mistérios da oração e da religião”, Carnegie escreveu, “já não me impede de desfrutar uma vida mais rica e feliz, que é o que a religião me proporciona”.

O Espírito Santo testificou a Milton que, mesmo que ele não compreendesse totalmente a mensagem dos missionários, ela era verdadeira. No dia seguinte, ele disse aos missionários que queria ser batizado.

Milton, Irene e os filhos foram a primeira família a ser batizada em Recife. Determinados a compartilhar sua nova fé, convidaram muitas pessoas a se juntarem a eles na pequena sala sem janelas onde os missionários faziam as reuniões. “Disse a meus amigos que a verdadeira Igreja de Cristo estava aqui”, Milton se lembra. Em poucos anos, a sala se tornou pequena demais para acomodar o ramo em crescimento. Eles abriram seu lar para as reuniões, até que um lugar maior fosse encontrado. Em 27 de outubro de 1961, Milton Soares foi chamado para ser presidente do Ramo Recife.

Em 1967, Milton foi chamado para ser presidente do Distrito Recife, e Irene, presidente da Sociedade de Socorro do distrito. Juntos, eles viajaram pelo nordeste do Brasil organizando ramos, ensinando os membros novos e ajudando os missionários a pregar o evangelho. Milhares de pessoas foram batizadas em Recife e, em 1980, foi criada uma estaca, cujo presidente era o filho de Milton e Irene, Irajá. Ao refletir sobre sua vida de trabalho pioneiro, ele concluiu: “Para ser o primeiro membro aqui, não foi necessário coragem; foi necessário fé”.