Conferência Geral
“Porque eis que (…) sou um Deus de milagres”
anterior próximo

“Porque eis que (…) sou um Deus de milagres”

Milagres, sinais e maravilhas são numerosos entre os seguidores de Jesus Cristo hoje, na vida de vocês e na minha.

Meus queridos irmãos e irmãs, é um privilégio estar diante de vocês hoje. Junto-me aos oradores que já falaram nesta conferência e lhes testifico que Jesus Cristo vive. Ele dirige Sua Igreja; Ele fala com Seu profeta, o presidente Russell M. Nelson, e Ele ama todos os filhos do Pai Celestial.

Neste Domingo de Páscoa, comemoramos a Ressurreição de Jesus Cristo, nosso Salvador e Redentor,1 o Deus Forte, o Príncipe da Paz.2 Sua Expiação, que culminou com Sua Ressurreição após três dias em uma tumba emprestada, permanece como o maior milagre da história humana. “Porque eis que”, Ele pronunciou, “eu sou Deus; e sou um Deus de milagres”.3

“Cessaram os milagres porque Cristo subiu aos céus e sentou-se à mão direita de Deus[?]”,4 o profeta Mórmon faz essa pergunta, relatada no Livro de Mórmon. Ele responde: “Não; tampouco os anjos cessaram de ministrar entre os filhos dos homens”.5

Após a Crucificação, um anjo do Senhor apareceu a Maria e a algumas outras mulheres que tinham ido ao sepulcro para ungir o corpo de Jesus. O anjo lhe disse:

“Por que buscais o vivente entre os mortos?”6

“Não está aqui, porque já ressuscitou”.7

O profeta Abinádi, do Livro de Mórmon, proclamou esse milagre:

“E se Cristo não houvesse ressuscitado dos mortos (…), não poderia ter havido ressurreição.

Há, porém, uma ressurreição; portanto, a sepultura não tem vitória e o aguilhão da morte é desfeito em Cristo”.8

Os atos milagrosos de Jesus Cristo fizeram os primeiros discípulos exclamarem: “Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?”9

Quando os primeiros apóstolos seguiram Jesus Cristo e O ouviram ensinar o evangelho, eles testemunharam muitos milagres. Eles observaram que “os cegos veem, e os coxos andam; os leprosos são purificados, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e o evangelho é anunciado aos pobres”.10

Milagres, sinais e maravilhas são numerosos entre os seguidores de Jesus Cristo hoje, na vida de vocês e na minha. Milagres são atos, manifestações e expressões divinos do poder ilimitado de Deus e uma afirmação de que Ele é “o mesmo ontem, hoje e para sempre”.11 Jesus Cristo, que criou os mares, pode acalmá-los; Ele, que deu vista aos cegos, pode elevar nossa visão em direção ao céu; Ele, que purificou os leprosos, pode curar nossas enfermidades; Ele, que curou o homem coxo, pode nos convidar a nos levantar, dizendo: “Vem, segue-me”.12

Muitos de vocês já testemunharam milagres, mais do que imaginam. Eles podem parecer pequenos em comparação ao milagre que Jesus realizou de reviver os mortos. Mas a magnitude não caracteriza o milagre, apenas o fato de ele ter vindo de Deus. Alguns afirmam que os milagres são apenas coincidências ou pura sorte. Mas o profeta Néfi condenou aqueles que “menosprezam o poder e os milagres de Deus e pregam a si mesmos sua própria sabedoria e seu próprio conhecimento, a fim de obter lucro e oprimir os pobres”.13

Os milagres são realizados por poder divino, por Aquele que tem “poder para salvar”.14 Os milagres são uma extensão do plano eterno de Deus; são um socorro enviado do céu para a Terra.

No semestre passado, a irmã Rasband e eu estávamos a caminho de Goshen, Utah, para um evento Cara a Cara mundial que seria transmitido para mais de 600 mil pessoas em 16 idiomas diferentes.15 O programa destacaria os acontecimentos da Restauração do evangelho de Jesus Cristo, com perguntas enviadas por jovens adultos de todo o mundo. A irmã Rasband e eu examinamos pessoalmente as perguntas, que nos deram a oportunidade de testificar de Joseph Smith como um profeta de Deus, do poder da revelação em nossa vida, da restauração contínua do evangelho de Jesus Cristo e das verdades e dos mandamentos que tanto apreciamos. Muitos que estão ouvindo a conferência hoje fizeram parte daquele evento milagroso.

Inicialmente, o evento seria transmitido do Bosque Sagrado, no interior do estado de Nova York, local em que Joseph Smith testificou: “Vi dois Personagens cujo esplendor e glória desafiam qualquer descrição, pairando no ar, acima de mim. Um deles falou-me, chamando-me pelo nome, e disse, apontando para o outro: Este é Meu Filho Amado. Ouve-O!16 Isso, irmãos e irmãs, foi um milagre.

A pandemia mundial nos forçou a transferir o evento para Goshen, Utah, onde A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias recriou, para filmagem, uma parte da Jerusalém antiga. A irmã Rasband e eu estávamos a poucos quilômetros de Goshen naquela noite de domingo quando vimos uma densa fumaça vindo da direção de nosso destino. Incêndios florestais estavam ocorrendo na área e ficamos receosos de que a transmissão estivesse em risco. Como temíamos, faltando 20 minutos para as 6 horas — horário de nossa transmissão —, todo o complexo ficou sem energia. Não havia energia elétrica! Não haveria transmissão. Havia um gerador e algumas pessoas pensaram que poderíamos ligá-lo, mas não tínhamos garantia de que ele pudesse sustentar o sofisticado equipamento que tínhamos a nosso dispor.

Todos nós que participávamos do evento, incluindo narradores, músicos e técnicos — até mesmo 20 jovens adultos de minha própria família — estávamos totalmente envolvidos no que estava para acontecer. Evitei as lágrimas, afastei-me da confusão e implorei ao Senhor por um milagre. “Pai Celestial”, orei, “pouquíssimas vezes pedi por um milagre, mas estou pedindo um agora. Essa reunião precisa ser realizada para todos os nossos jovens adultos do mundo. Precisamos de energia elétrica para prosseguir se for da Tua vontade”.

Sete minutos depois das 6 horas, tão rapidamente quanto a energia havia acabado, ela voltou. Tudo começou a funcionar, desde os aparelhos musicais e os microfones até os vídeos e todos os equipamentos de transmissão. Estávamos prontos para começar. Havíamos presenciado um milagre.

Quando a irmã Rasband e eu estávamos no carro voltando para casa mais tarde naquela noite, o presidente e a irmã Nelson nos enviaram uma mensagem dizendo: “Ron, queremos que vocês saibam que, assim que soubemos que a energia havia acabado, oramos por um milagre”.

Na escritura moderna, lemos: “Pois eu, o Senhor, estendi minha mão para exercer os poderes do céu; não podeis vê-lo agora, mas em pouco o vereis e sabereis que eu sou e que virei e reinarei com meu povo”.17

E foi exatamente isso o que aconteceu. O Senhor estendeu Sua mão, e a energia elétrica voltou.

Milagres são realizados pelo poder da fé, conforme nos ensinou o presidente Nelson de modo tão poderoso na última sessão. O profeta Morôni exortou o povo: “Pois, se não houver fé entre os filhos dos homens, Deus não pode fazer milagres entre eles; portanto, ele não apareceu senão depois que tiveram fé”.

Ele prosseguiu:

“Eis que foi a fé exercida por Alma e Amuleque que fez a prisão ruir por terra.

Eis que foi a fé exercida por Néfi e Leí que operou a transformação dos lamanitas, de modo que foram batizados com fogo e com o Espírito Santo.

Eis que foi a fé exercida por Amon e seus irmãos que operou tão grande milagre entre os lamanitas. (…)

Ninguém, em tempo algum, fez milagres antes de exercer fé; portanto, primeiro creram no Filho de Deus.”18

Eu poderia acrescentar as seguintes palavras a essa sequência de escrituras: “Foi pela fé de sinceros jovens adultos, de profissionais de telecomunicações, de líderes e membros da Igreja, de um apóstolo e de um profeta de Deus que buscaram um milagre tão grande que a energia foi restaurada em um remoto estúdio de filmagem em Goshen, Utah”.

Os milagres podem vir como respostas a orações. Nem sempre são os milagres que pedimos ou que esperamos, mas, quando confiamos no Senhor, Ele estará disponível para nós e Ele estará certo. Ele adequará o milagre ao momento em que precisarmos dele.

O Senhor realiza milagres para nos lembrar de Seu poder, de Seu amor por nós, de Sua abrangência desde os céus até nossa experiência mortal e de Seu desejo de ensinar o que é de maior valor. “Aquele que tiver fé em mim para ser curado”, disse Ele aos santos em 1831 — e tal promessa continua até hoje — “e não estiver designado para morrer, será curado”.19 Há leis decretadas nos céus, e estamos sempre sujeitos a elas.

Há ocasiões em que esperamos um milagre de cura para um ente querido, o milagre de se reverter um ato injusto ou de se abrandar o coração de uma alma amargurada ou desiludida. Olhando as coisas com olhos mortais, queremos que o Senhor intervenha para consertar o que está quebrado. Por meio da fé, o milagre virá, embora não venha necessariamente no tempo que queremos ou com a solução que desejamos. Será que isso significa que somos menos fiéis ou que não merecemos Sua intervenção? Não. O Senhor nos ama. Ele deu Sua vida por nós, e Sua Expiação continua a nos libertar dos fardos e do pecado à medida que nos arrependemos e nos achegamos a Ele.

O Senhor tem nos lembrado: “Os meus pensamentos não são os vossos pensamentos”.20 Ele nos convida: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”21 — alívio das preocupações, das decepções, do medo, da desobediência e de preocupações por nossos entes queridos e pelos sonhos perdidos ou desfeitos. A paz em meio à confusão ou à tristeza é um milagre. Lembrem-se destas palavras do Senhor: “Não dei paz a tua mente quanto ao assunto? Que maior testemunho podes ter que o de Deus?”22 O milagre é que Jesus Cristo, o Grande Jeová, o Filho do Altíssimo, está retribuindo com paz.

Assim como Ele apareceu a Maria no jardim, chamando-a pelo nome, Ele nos convida a exercer nossa fé. Maria estava buscando servi-Lo e cuidar Dele. A Ressurreição Dele não era o que ela esperava, mas ela ocorreu de acordo com o grande plano de felicidade.

“Desce da cruz”,23 zombava Dele a multidão de descrentes no Calvário. Ele poderia ter realizado tal milagre. Mas Ele conhecia o fim desde o princípio e pretendia ser fiel ao plano de Seu Pai. Não devemos nos esquecer desse exemplo.

Para nós, em tempos de provação, Ele disse: “Vede as feridas que me perfuraram o lado e também as marcas dos cravos em minhas mãos e pés; sede fiéis, guardai meus mandamentos e herdareis o reino do céu”.24 Esse, irmãos e irmãs, é o milagre prometido a todos nós.

Neste Domingo de Páscoa, ao comemorarmos o milagre da Ressurreição de nosso Senhor, como apóstolo de Jesus Cristo, oro humildemente para que sintam o poder do Redentor em sua vida, para que seus apelos ao Pai Celestial sejam atendidos com o amor e com o compromisso que Jesus Cristo demonstrou ao longo de Seu ministério. Oro para que vocês permaneçam firmes e fiéis em tudo o que está por vir. E eu os abençoo para que milagres aconteçam com vocês, assim como aquele que vivenciamos em Goshen — se for da vontade do Senhor. Procurem essas bênçãos enviadas dos céus em sua vida à medida que “[buscarem] esse Jesus sobre quem os profetas e apóstolos escreveram, a fim de que a graça de Deus, o Pai, e também do Senhor Jesus Cristo e do Espírito Santo, que dá testemunho deles, esteja e permaneça [com vocês] eternamente”.25 Em nome de Jesus Cristo. Amém.