Conferência Geral
Bispos: Os pastores do rebanho do Senhor
anterior próximo

Bispos: Os pastores do rebanho do Senhor

O bispo tem a primordial função de servir como pastor para guiar a nova geração a Jesus Cristo.

Meus queridos irmãos no sacerdócio, um dos versos mais memoráveis de um hino muito querido pergunta: “Deve [a juventude de] Sião fugir à luta?”1 Minha sincera e retumbante resposta a essa pergunta é: “Não!”

Para garantir que essa resposta seja verdadeira, testifico hoje que apoiar a nova geração em uma época de dificuldades e tentações incomuns é uma responsabilidade essencial dada pelo Pai Celestial aos pais e bispados.2 Gostaria de ilustrar a importância de um bispado por meio de uma experiência pessoal.

Quando eu era diácono, minha família se mudou para uma casa nova em outra ala. Eu estava terminando o Ensino Fundamental, por isso também fui para uma nova escola. Havia um grupo maravilhoso de rapazes no quórum dos diáconos. A maioria tinha pais que eram membros ativos. Minha mãe era completamente ativa. Meu pai era excelente em todos os sentidos, mas não era um membro ativo.

O segundo conselheiro no bispado,3 o irmão Dean Eyre, era um líder dedicado. Quando eu ainda estava me adaptando à nova ala, foi anunciada uma atividade para pais e filhos em Bear Lake, que ficava cerca de 65 quilômetros de distância. Eu não queria participar sem que meu pai fosse comigo. Mas o irmão Eyre me fez um convite especial para que eu fosse com ele. Ele elogiou meu pai com muito respeito e salientou a importância da oportunidade que eu teria de estar com outros membros do quórum dos diáconos. Então, decidi ir com o irmão Eyre e tive uma experiência maravilhosa.

O irmão Eyre era um maravilhoso exemplo de amor cristão no cumprimento da responsabilidade do bispado de apoiar os pais na tarefa de zelar pelos filhos e cuidar deles. Ele me ajudou de modo excelente a me adaptar à ala nova e foi meu mentor.

Poucos meses antes de eu partir para a missão, em 1960, o irmão Eyre faleceu de câncer, aos 39 anos de idade. Deixou a esposa e cinco filhos, todos com menos de 16 anos de idade. Seus filhos mais velhos, Richard e Chris Eyre, asseguraram-me de que, na ausência do pai, o bispado os apoiou e cuidou deles e de seus irmãos e sua irmã menores com amor cristão. Sou muito grato por isso.

Os pais sempre terão a principal responsabilidade de cuidar da família.4 As presidências de quórum também oferecem orientação e apoio essenciais para os membros do quórum, ajudando-os a elevar os deveres e o poder do Sacerdócio Aarônico de modo que se tornem o ponto central da vida deles.5

Meu propósito hoje é concentrar-me nos bispos e em seus conselheiros, os quais podemos muito apropriadamente chamar de “os pastores do rebanho do Senhor”, com ênfase no fato de serem pastores para a nova geração.6 É interessante notar que o apóstolo Pedro se referiu a Jesus Cristo como “o Pastor e Bispo da vossa alma”.7

O bispo tem cinco responsabilidades primordiais ao presidir a ala:

  1. Ele é o sumo sacerdote presidente da ala.8

  2. É o presidente do Sacerdócio Aarônico.9

  3. É um juiz comum.10

  4. Ele coordena o trabalho de salvação e exaltação, inclusive cuidando dos necessitados.11

  5. Supervisiona os registros, as finanças e o uso da capela.12

Em seu papel como sumo sacerdote presidente, o bispo é o “líder espiritual” da ala.13 Ele é um “discípulo fiel de Jesus Cristo”.14

Além disso, “o bispo coordena o trabalho de salvação e exaltação na ala”.15 O bispo deve atribuir responsabilidades cotidianas para a presidência do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro referentes ao compartilhamento do evangelho, ao fortalecimento de membros novos e daqueles que retornam à Igreja, referentes à ministração e ao trabalho de templo e história da família.16 O bispo coordena esse trabalho no conselho da ala e no conselho de jovens da ala.

O bispo tem a primordial função de servir como pastor para guiar a nova geração, inclusive os jovens adultos solteiros, a Jesus Cristo.17 O presidente Russell M. Nelson salientou o papel fundamental do bispo e de seus conselheiros. Ele ensinou que “sua primeira e mais importante responsabilidade é cuidar dos rapazes e das moças de sua ala”.18 O bispado apoia os pais na tarefa de zelar pelas crianças e jovens da ala e cuidar deles. O bispo e a presidente das Moças da ala devem aconselhar-se mutuamente. Eles se esforçam para ajudar os jovens a viver os padrões do livreto Para o Vigor da Juventude, a qualificar-se para receber as ordenanças e a fazer e cumprir convênios sagrados.

Vocês podem perguntar: “Por que o bispo deve passar tanto tempo com os jovens?” O Senhor organizou Sua Igreja para cumprir prioridades essenciais. Consequentemente, a organização de Sua Igreja tem uma estrutura na qual o bispo tem uma responsabilidade dupla. Ele tem a responsabilidade doutrinária pela ala como um todo, mas também tem uma responsabilidade doutrinária específica pelo quórum dos sacerdotes.19

Os rapazes que são sacerdotes e as moças da mesma idade estão em uma etapa muito importante de sua vida e de seu desenvolvimento. Durante um breve período de tempo, eles tomam decisões que têm implicações importantes por toda a vida. Eles determinam se vão se qualificar para o templo, servir missão,20 esforçar-se para se casar no templo e preparar-se para o trabalho que farão na vida. Essas decisões, depois de tomadas, terão profundas implicações espirituais e práticas por toda a vida deles. Bispos, saibam que o tempo relativamente breve que vocês passarem com um jovem sacerdote, com uma moça ou com um jovem adulto pode ajudá-los a entender o poder que está ao alcance deles por meio da Expiação de Jesus Cristo. Pode dar a eles uma visão que terá profunda influência por toda a vida deles.

Um dos melhores exemplos que vi de um bispo que proporcionou esse tipo de visão para seus jovens foi o bispo Moa Mahe. Ele foi chamado para ser o primeiro bispo da ala de falantes de tonganês de São Francisco.21 Ele era um imigrante de Vava‘u, Tonga. Sua ala ficava próxima ao aeroporto de São Francisco, Califórnia, onde ele trabalhava.22

A ala tinha um grande número de jovens, a maioria deles de famílias que tinham imigrado recentemente para os Estados Unidos. O bispo Mahe não apenas os ensinava por palavra e exemplo a serem discípulos íntegros de Jesus Cristo, mas também os ajudava a adquirirem uma visão de quem eles poderiam se tornar e os auxiliava a se prepararem para o templo, para a missão, para os estudos e para a carreira profissional. Ele serviu por quase oito anos, e seus sonhos e desejos em relação aos jovens se realizaram.

Quase 90 por cento dos rapazes dos quóruns do Sacerdócio Aarônico serviram missão. Quinze rapazes e moças foram os primeiros membros de sua família a irem para a faculdade.23 Ele se reuniu com o diretor da escola local de Ensino Médio (que não era membro da Igreja) e juntos firmaram uma amizade e colaboraram mutuamente para auxiliar cada jovem a atingir metas dignas e superar problemas. O diretor me disse que o bispo Mahe o ajudou a trabalhar com imigrantes de todas as religiões que passavam por dificuldades. Os jovens sabiam que o bispo os amava.

Infelizmente, o bispo Mahe faleceu enquanto servia em seu chamado. Jamais esquecerei seu tocante e inspirador funeral. Havia uma grande multidão presente. O coro era composto por mais de 35 jovens membros fiéis que tinham servido missão ou feito faculdade e que haviam sido jovens durante o serviço dele como bispo. Um dos oradores expressou o imenso sentimento de gratidão dos jovens e jovens adultos da ala. Prestou homenagem ao bispo Mahe pela visão que ele lhes dera na preparação para a vida e para um serviço justo. Mas o mais importante, o bispo Mahe os ajudou a edificar a fé no Senhor Jesus Cristo como o alicerce da vida deles.

Bispos, onde quer que vocês estejam servindo, em suas entrevistas e em outras interações, você podem proporcionar esse tipo de visão e edificar a fé em Jesus Cristo. Vocês podem fazer vigorosos convites para uma mudança de comportamento, podem preparar os jovens para a vida e inspirá-los a permanecer no caminho do convênio.

Além disso, vocês podem ajudar jovens que estejam em conflito com os pais em relação a coisas que são relativamente de pouca importância.24 Numa época em que os jovens parecem estar em conflito extremo com os pais, a pessoa que os preside em seu quórum e a quem eles prestam contas na Igreja também é a pessoa a quem os pais recorrem para obter uma recomendação para o templo. Isso coloca o bispo em uma posição especial para aconselhar tanto os jovens quanto os pais quando as contendas criam desunião. Os bispos podem ajudar os dois lados a ver as coisas de uma perspectiva eterna e resolver problemas de maior ou menor importância. Recomendamos que os bispos não tenham famílias designadas para ministrar, de modo a poder concentrar seu tempo e energia na ministração aos jovens e à família deles nesse tipo de situação.25

Conheço um bispo que conseguiu resolver contendas extremas entre um filho e seus pais, trazendo harmonia ao lar e maior comprometimento para com o evangelho. O bispo ajudou os pais a entender que o esforço para ser um discípulo de Jesus Cristo era mais importante do que a maneira exata como as tarefas domésticas familiares eram cumpridas.

Para que possam passar mais tempo com os jovens, onde quer que eles estejam, inclusive em eventos ou atividades escolares, os bispos foram aconselhados a delegar as devidas reuniões e entrevistas de aconselhamento com adultos. Embora os bispos possam aconselhar nas questões urgentes e iminentes, recomendamos que a delegação do aconselhamento contínuo para questões crônicas e menos urgentes que não envolvam julgamento de dignidade sejam atribuídas a membros do quórum de élderes ou da Sociedade de Socorro — geralmente as presidências ou os irmãos e irmãs ministradores. O Espírito vai guiar os líderes26 para que escolham os membros certos para assumir esse aconselhamento. Aqueles que recebem essa designação de aconselhamento delegada têm direito à revelação. Evidentemente, precisam sempre manter o mais estrito sigilo.

Sempre houve líderes atenciosos que se sacrificaram pela nova geração. Os membros do bispado passam a maior parte de seu tempo de serviço na Igreja fazendo isso.

Quero dizer algumas coisas diretamente aos jovens e depois a nossos bispos.

Talvez muitos de vocês, jovens valorosos, não tenham uma visão clara de quem são e quem podem se tornar. Vocês estão no limiar das mais importantes decisões que tomarão na vida. Peço que se aconselhem tanto com seus pais quanto com seu bispo em relação às importantes escolhas que terão pela frente. Permitam que o bispo seja seu amigo e conselheiro.

Sabemos que vocês têm provações e tentações que vêm de todas as direções. Todos precisamos nos arrepender diariamente, como ensinou o presidente Nelson. Conversem com seu bispo sobre todo assunto em que um juiz comum pode ajudá-los ao colocar sua vida em ordem com o Senhor, em preparação para a “grande obra” que Ele tem reservada para vocês nesta dispensação final.27 Conforme o convite do presidente Nelson, qualifiquem-se para fazer parte do exército de jovens do Senhor!28

Agora dirijo algumas palavras aos preciosos bispos, em nome da liderança e dos membros da Igreja. Expressamos a vocês nossa profunda gratidão. Queridos bispos, com os ajustes que vocês tiveram de fazer nos últimos anos, saibam o quanto os amamos e somos gratos a vocês. Sua contribuição para o reino quase ultrapassa qualquer descrição. A Igreja tem 30.900 bispos e presidentes de ramo que servem no mundo inteiro.29 Honramos cada um de vocês.

Algumas palavras e o sagrado chamado que elas descrevem estão imbuídas de uma importância quase espiritual e extraordinária. O chamado de bispo sem dúvida está entre as mais elevadas dessas palavras. Em muitos aspectos, é algo extraordinário servir ao Senhor nesse chamado. O chamado, apoio e designação de um bispo é uma experiência inesquecível. Para mim, ela se inclui em um pequeno número de acontecimentos sublimes, pela ampla gama de profundos sentimentos que evoca. Não hesito em colocá-la na hierarquia de acontecimentos especiais como o casamento e a paternidade, cuja importância é difícil de explicar em poucas palavras.30

Bispos, apoiamos vocês! Bispos, amamos vocês. Vocês realmente são os pastores do rebanho do Senhor. O Salvador não os deixará sozinhos no cumprimento desse chamado sagrado. Disso presto testemunho, neste fim de semana de Páscoa, em nome de Jesus Cristo. Amém.

Notas

  1. “Deve Sião fugir à luta?”, Hinos, nº 183.

  2. Os líderes dos jovens, as presidências de classes e quóruns e outros líderes da Igreja compartilham dessa responsabilidade.

  3. O bispo é o presidente do quórum de sacerdotes. O primeiro conselheiro no bispado é responsável pelo quórum de mestres e o segundo conselheiro pelo quórum de diáconos. (Ver Manual Geral: Servir em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, item 10.3, ChurchofJesusChrist.org.)

  4. Ver Doutrina e Convênios 68:25–28.

  5. Ver Quentin L. Cook, “Ajustes para fortalecer os jovens”, Liahona, novembro de 2019, p. 40.

  6. O uso da palavra bispo se aplica com igual força a nossos fiéis presidentes de ramo.

  7. 1 Pedro 2:25.

  8. Ver Manual Geral, item 6.1.1.

  9. Ver Manual Geral, item 6.1.2.

  10. Ver Manual Geral, item 6.1.3.

  11. Ver Manual Geral, item 6.1.4.

  12. Ver Manual Geral, item 6.1.5.

  13. Manual Geral, item 6.1.1; ver também Manual Geral, item 6.1.1.1-6.1.1.4.

  14. Manual Geral, item 6.1.1.

  15. Manual Geral, item 6.1.4.

  16. Ver Manual Geral, item 21.2; item 23.5; item 25.2.

  17. Ver Manual Geral, item 6.1; item 14.3.3.1; ver também Quentin L. Cook, “Ajustes para fortalecer os jovens”, Liahona, p. 40. O bispo também é incentivado a passar mais tempo com a esposa e a família. Tal esforço é possível à medida que consultores adultos e especialistas capacitados são chamados para auxiliar as presidências do quorum do Sacerdócio Aarônico e o bispado em seus deveres.

  18. Russell M. Nelson, “Testemunhas, quóruns do Sacerdócio Aarônico e classes das Moças”, Liahona, novembro de 2019, p. 39.

  19. Ver Doutrina e Convênios 107:87–88.

  20. “O Senhor espera que todo jovem em boas condições se prepare (…) para [servir uma missão] (ver Doutrina e Convênios 36:1, 4–7). Moças e casais que tiverem o desejo de servir também devem se preparar. Uma parte primordial da preparação é o esforço para ser convertido a Jesus Cristo e ao Seu evangelho restaurado. Aqueles que desejam servir devem também se preparar física, mental, emocional e financeiramente” (Manual Geral, item 24.0).

  21. A ala foi organizada em 17 de dezembro de 1980. O élder John H. Groberg, do primeiro quórum dos setenta, ajudou a organizar essa ala de idioma tonganês. (Ver Gordon Ashby, encarregado, e Donna Osgood, ed., The San Francisco California Stake: The First 60 Years, 1927–1987, 1987, pp. 49–52.)

  22. O bispo Mahe tinha sido promovido para um cargo de gerência na Pan American Airways no aeroporto internacional de São Francisco, Califórnia.

  23. Ver The San Francisco California Stake, p. 49.

  24. Eles também podem estar se rebelando contra coisas de importância eterna.

  25. Ver Manual Geral, item 21.2.1.

  26. O bispo deve coordenar com a presidência do quórum de élderes e a da Sociedade de Socorro no tocante a quem deve ser designado e como deve ser realizado o acompanhamento amoroso e atencioso.

  27. Doutrina e Convênios 64:33.

  28. Ver Russell M. Nelson, “Juventude da Promessa”, (Devocional mundial para os jovens, 3 de junho de 2018), HopeofIsrael.ChurchofJesusChrist.org.

  29. Em 19 de fevereiro de 2021, havia 24.035 bispos e 6.865 presidentes de ramo servindo no mundo inteiro.

  30. Fui chamado para o cargo de bispo da Ala Burlingame, na Califórnia, em 1974, pelo presidente David B. Barlow, e designado por imposição de mãos em 15 de setembro de 1974, pelo élder Neal A. Maxwell, que pouco antes havia sido chamado como assistente do Quórum dos Doze Apóstolos.