2010–2019
Onde Estão as Chaves e a Autoridade do Sacerdócio?
anterior próximo

Onde Estão as Chaves e a Autoridade do Sacerdócio?

A autoridade e as chaves do sacerdócio têm poder, abrem os portões do céu, permitem o uso do poder celestial e fornecem os convênios de que precisamos para voltarmos ao nosso Pai Celestial.

Enquanto o sol da tarde de inverno se escondia por trás do extenso monte coberto de neve, o vento frio da montanha ardia em nosso rosto, impulsionando-nos a encontrar o nosso carro o mais rápido possível no estacionamento da estação de esqui. No conforto de nosso carro, os aquecedores logo esquentariam nossos dedos frios. O som da neve rachando no solo a cada passo confirmava que o frio era extremo.

Nossa família havia desfrutado um dia cheio de diversão nas pistas de esqui, que agora se encerrava com um frio congelante. Ao encontrar o carro, pus a mão no bolso do casaco para pegar as chaves, não as encontrando em lugar algum. “Onde estão as chaves?” Todos estavam esperando ansiosamente por elas! A bateria do carro estava carregada e todos os sistemas — inclusive o aquecedor — estavam em ordem. Mas, sem as chaves, as portas trancadas negariam acesso; sem as chaves, o motor não forneceria energia para o veículo.

Naquele momento, nosso foco era como entrar no carro para nos aquecer, mas não pude evitar pensar que havia uma lição por trás disso tudo. Sem as chaves, aquele maravilhoso milagre da engenharia não era mais do que plástico e metal. Embora o carro tivesse grande potencial, sem as chaves, ele não poderia executar a função para a qual fora criado.

Quanto mais reflito sobre essa experiência, mais essa analogia se torna profunda para mim. Fico maravilhado com o amor do Pai Celestial por Seus filhos. Causam-me assombro as visitações celestiais e as grandes visões da eternidade que Deus concedeu a Joseph Smith. E, especialmente, meu coração transborda de gratidão pela restauração da autoridade e das chaves do sacerdócio. Sem a Restauração, não teríamos acesso aos meios necessários a fim de voltar para casa, para nossos amorosos pais celestiais. A realização de todas as ordenanças de salvação relativas aos convênios que nos levam de volta à presença do Pai Celestial exige administração adequada pelas chaves do sacerdócio.

Em maio de 1829, João Batista apareceu a Joseph Smith e a Oliver Cowdery, conferiu-lhes o Sacerdócio Aarônico e deu-lhes as chaves pertencentes a esse sacerdócio. Pouco depois, Pedro, Tiago e João conferiram a eles as chaves do Sacerdócio de Melquisedeque.1

Quase sete anos depois, em um domingo, no Templo de Kirtland, apenas uma semana após sua dedicação, “o Senhor Jeová [apareceu] em glória” a Joseph e a Oliver, uma manifestação seguida da visita de Moisés, de Elias e de Elias, o profeta, que entregaram “suas chaves e dispensações”.2 A autoridade e as chaves que foram restauradas estavam perdidas há séculos. Do mesmo modo que nossa família ficou trancada para fora do carro por causa das chaves perdidas, assim também todos os filhos do Pai Celestial foram privados das ordenanças de salvação do evangelho de Jesus Cristo — até a restauração divina ser realizada por esses mensageiros celestiais. Nunca mais teremos de fazer a pergunta: “Onde estão as chaves?”

Em um belo dia de outono do ano passado, visitei a serena floresta localizada no nordeste da Pensilvânia, conhecida nas escrituras como Harmony, onde João Batista apareceu a Joseph Smith e a Oliver Cowdery e restaurou o Sacerdócio Aarônico. Fui também às margens do Rio Susquehanna, onde Joseph e Oliver, investidos com autoridade e chaves, foram batizados. Perto desse mesmo rio, Pedro, Tiago e João conferiram a eles o Sacerdócio de Melquisedeque e suas respectivas chaves.3

Esses locais, assim como a primeira casa de Joseph e Emma, que foi reconstruída e onde a maior parte do Livro de Mórmon foi traduzida; a casa dos pais de Emma perto dali; e o centro de visitantes, incorporados a uma nova capela, formam o Local da Restauração do Sacerdócio, dedicado pelo Presidente Russell M. Nelson em setembro do ano passado. Nesse lugar, senti o poder e a realidade dos eventos celestiais que ocorreram naquele solo sagrado. Aquela experiência me fez refletir, estudar e orar a respeito da autoridade e das chaves do sacerdócio, despertando em mim o desejo de falar aos rapazes e às moças da Igreja sobre como a autoridade do sacerdócio e as chaves restauradas podem abençoá-los.

Primeiro, seria útil entender esses termos. O sacerdócio, ou a autoridade do sacerdócio, foi definido como “o poder e a autoridade de Deus”4 e “o maior poder que existe nesta Terra”5. Há também uma definição para as chaves do sacerdócio: “As chaves do sacerdócio são a autoridade que Deus concedeu aos líderes do sacerdócio para dirigir, controlar e governar a utilização de Seu sacerdócio na Terra”.6 As chaves do sacerdócio controlam o exercício da autoridade do sacerdócio. As ordenanças que criam um registro na Igreja exigem chaves e não podem ser feitas sem autorização. O Élder Dallin H. Oaks ensinou que, “no final, é o Senhor Jesus Cristo quem possui todas as chaves do sacerdócio, porque Dele é o sacerdócio. Ele é quem determina quais chaves são delegadas aos seres mortais e como essas chaves devem ser usadas”.7

Agora, dirigindo-me aos rapazes e às moças, ponderei três maneiras pelas quais vocês podem “encontrar as chaves” ou usar as chaves e a autoridade do sacerdócio para abençoar sua vida e a de outras pessoas.

A Primeira É Preparar-se para o Serviço Missionário

Meus jovens irmãos e irmãs, talvez vocês não percebam, mas as chaves da coligação de Israel, restauradas por Moisés, permitem que façamos a obra missionária nesta dispensação. Pensem no exército de aproximadamente 75 mil missionários de tempo integral trabalhando no campo sob a direção dessas chaves. Com isso em mente, lembrem-se de que nunca é cedo demais para se prepararem para o serviço missionário. No livreto Para o Vigor da Juventude, lemos: “Os rapazes do Sacerdócio Aarônico devem (…) [esforçar-se] diligentemente para preparar-se para representar o Senhor como missionários”.8 As moças também podem se preparar, mas “não estão sob a mesma obrigação de servir que os rapazes”.9 Toda preparação que fizerem, servindo ou não como missionários de tempo integral, trará benefícios a vocês ao servirem como membros missionários.

A Segunda Forma de “Encontrar as Chaves” É Frequentar o Templo

As chaves seladoras restauradas pelo Profeta Elias, do Velho Testamento, permitem a realização de ordenanças nos templos sagrados. As ordenanças feitas nesses templos permitem que indivíduos e famílias retornem à presença dos nossos pais celestiais.

Incentivamos vocês, rapazes e moças, a pesquisarem os nomes de seus antepassados e a realizarem batismos vicários por eles no templo. Percebemos que isso já está sendo feito em número significativo e sem precedentes no mundo inteiro! Os batistérios de muitos templos ficam lotados de rapazes e moças de manhã até a noite. As chaves do sacerdócio são usadas para unir as famílias para sempre à medida que as ordenanças sagradas são realizadas nesses templos.

Vocês conseguem ver a relação entre as chaves do sacerdócio e as bênçãos? Ao se envolverem nessa obra, vocês vão perceber que o Senhor participa de todos os detalhes desse trabalho. Vou compartilhar uma experiência que ilustra isso. Há pouco tempo, soube de uma mãe que leva os filhos regularmente ao templo para realizar batismos vicários. Certo dia, quando a família terminara de fazer os batismos e estava saindo do templo, um homem entrou na área do batistério com um lote enorme de nomes de seus próprios familiares. Percebendo que não havia mais ninguém no batistério para ajudá-lo com esses nomes, um oficiante do templo foi falar com a família que já estava de saída e perguntou aos jovens se eles poderiam voltar, trocar de roupa mais uma vez e ajudar nesses batismos. Eles concordaram de boa vontade. À medida que os filhos eram batizados, a mãe começou a reconhecer os nomes dos falecidos e, para espanto de todos, percebeu que o lote de nomes que aquele homem trouxera também era de antepassados de sua família. Uma doce e terna misericórdia para eles.

Há duas semanas, o Templo de Provo City Center foi dedicado, tornando-se o 150º templo da Igreja em funcionamento no mundo. Observamos que, quando o Presidente Thomas S. Monson foi apoiado como apóstolo em 1963, havia 12 templos em funcionamento na Igreja. Os templos estão cada vez mais próximos de vocês. No entanto, para os que moram longe ou cujas circunstâncias não permitam uma frequência assídua ao templo, mantenham-se sempre dignos de frequentá-lo. Vocês podem realizar um trabalho importante fora dos templos ao pesquisar e enviar os nomes de seus familiares.

Finalmente, Número Três: Prossigam com Fé

O Profeta Abraão, do Velho Testamento, recebeu uma grande bênção do Senhor em sua dispensação, às vezes chamada de convênio abraâmico. Milhares de anos depois, as bênçãos do evangelho dadas a Abraão em sua dispensação foram restauradas. Isso ocorreu quando o Profeta Elias apareceu a Joseph Smith e a Oliver Cowdery no Templo de Kirtland.

Por meio dessa restauração, cada um de vocês tem acesso às grandes bênçãos prometidas a Abraão. Essas bênçãos podem ser suas se permanecerem fiéis e viverem de maneira digna. No livreto Para o Vigor da Juventude, vocês encontram algumas instruções bastante práticas sobre como “prosseguir com fé”. Vou resumir alguns conselhos: “Para ajudar você a tornar-se tudo o que o Senhor deseja que se torne, ajoelhe-se toda manhã e toda noite em oração a seu Pai Celestial. (…) Estude as escrituras todos os dias e aplique em sua vida o que leu. (…) Esforce-se todos os dias para ser obediente. (…) Em todas as circunstâncias, siga os ensinamentos dos profetas (…). Seja humilde e disposto a ouvir o Espírito Santo”.

Após esses conselhos, há uma promessa que leva àquelas que recebemos por intermédio das bênçãos de Abraão: “Se fizer essas coisas, o Senhor fará muito mais por sua vida do que você poderia fazer por si. Ele vai aumentar suas oportunidades, expandir sua visão e fortalecê-lo. Ele lhe dará a ajuda de que necessita para enfrentar suas provações e seus desafios. Você vai adquirir um testemunho mais forte e sentir a verdadeira alegria que advém de conhecer seu Pai Celestial e Seu Filho Jesus Cristo e de sentir Seu amor por você”.10

Resumindo: frequentem o templo, preparem-se para o serviço missionário e prossigam com fé.

Conclusão

Vamos agora concluir por onde começamos — presos no estacionamento gelado e perguntando: “Onde estão as chaves?” A propósito, mais tarde, eu milagrosamente encontrei as chaves que haviam caído do meu bolso na montanha. O Senhor nos mostrou que Ele não nos deixará desamparados no frio congelante, sem as chaves ou a autoridade para guiar-nos em segurança de volta a Ele.

Se vocês forem como eu, vão muitas vezes perguntar a si mesmos na vida diária: “Onde estão as chaves” do carro, do escritório, da casa ou do apartamento? Quando isso acontece comigo, não consigo evitar um sorriso, pois, enquanto procuro pelas chaves, acabo refletindo sobre as chaves restauradas do sacerdócio e sobre o Presidente Thomas S. Monson, a quem apoiamos como “profeta, vidente e revelador”11 e a única pessoa na Terra que possui e está autorizado a exercer todas as chaves. Sim, as chaves estão em segurança na mão de profetas, videntes e reveladores. Elas foram conferidas, delegadas e designadas a outros, de acordo com a vontade do Senhor, sob a direção do Presidente da Igreja.

Testifico que a autoridade e as chaves do sacerdócio têm poder, abrem os portões do céu, permitem o uso do poder celestial e fornecem os convênios de que precisamos para voltarmos ao nosso amoroso Pai Celestial.

Oro para que vocês, a nova geração de rapazes e moças, “[prossigam] com firmeza em Cristo”12 e entendam que é seu privilégio sagrado agir sob a direção daqueles que possuem as chaves do sacerdócio, as quais vão permitir que vocês recebam as bênçãos, os dons e os poderes do céu.

Presto testemunho de Deus, o Pai; de nosso Salvador e Redentor, Jesus Cristo; do Espírito Santo e da Restauração do evangelho nestes últimos dias. Em nome de Jesus Cristo. Amém.