2010–2019
Frutificai, Multiplicai-vos e Sujeitai a Terra
anterior seguinte

Frutificai, Multiplicai-vos e Sujeitai a Terra

O Pai Celestial nos incumbiu e nos abençoou para frutificar, multiplicar e sujeitar a Terra para que possamos nos tornar como Ele.

Obrigado, Coro do Tabernáculo, por esse doce tributo ao Salvador do mundo.

No dia em que Deus, o Pai, chamou Seu Filho Unigênito para fazer o homem à Sua imagem e conforme a Sua semelhança, Ele abençoou Seus filhos, dizendo: “Frutificai e multiplicai-vos e enchei a Terra; e sujeitai-a e dominai (…) sobre todo ser vivente que se move na Terra”.1 Assim, nossa jornada mortal começou tanto com uma incumbência quanto com uma bênção divina. Um Pai amoroso nos deu a incumbência e a bênção de frutificar e multiplicar-nos, e de exercer domínio para que possamos nos desenvolver e nos tornar como Ele é.

Irmãos e irmãs, nesta tarde rogo por sua fé e suas orações enquanto compartilho com vocês algumas reflexões a respeito de três atributos fundamentais da nossa natureza divina. Minha oração é que todos nós reconheçamos e cumpramos mais plenamente nossa responsabilidade sagrada — a incumbência de nosso Pai — de desenvolver nossa natureza divina para que naveguemos por nossa jornada com mais sucesso e cheguemos ao nosso destino eterno.

Primeiro, Deus Nos Incumbiu de Frutificar-nos

Uma parte importante de frutificar-nos, que às vezes é negligenciada, é a de levar adiante o reino de Deus sobre a Terra. O Salvador ensinou:

“Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. (…)

Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.

Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos”.2

Tornamo-nos frutíferos à medida que estamos em Cristo, que tomamos sobre nós o Seu nome e (…) O servimos até o fim3 ao ajudar outros a virem a Ele.

Em nossos dias, profetas e apóstolos vivos continuam a erguer a voz para convidar cada um de nós a estar plenamente engajado no trabalho de salvação, de acordo com nossas habilidades e oportunidades.

O ponto de partida de uma atitude que produz muitos frutos é sermos “humildes e brandos de coração”.4 Podemos, então, vir a Cristo mais plenamente à medida que cedermos aos sussurros do Espírito Santo e guardarmos todos os convênios que fizemos.5 Podemos buscar e receber o dom da caridade e ter o poder para convidar nossa própria família, nossos antepassados, nossos vizinhos e amigos membros e não membros para receber o evangelho de Jesus Cristo.

Trabalhar repleto do espírito de caridade não é um dever, e sim uma alegria. Desafios se tornam oportunidades de edificar a fé. Tornamo-nos “testemunhas [da bondade] de Deus em todos os momentos e em todas as coisas e em todos os lugares em que [nos encontrarmos], mesmo até a morte”.6

Todos nós podemos e devemos estar plenamente engajados no trabalho de salvação. O Salvador nos deu a seguinte responsabilidade com uma promessa: “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda”.7

Segundo, Deus Nos Incumbiu de Multiplicar-nos

Nosso corpo físico é uma bênção de Deus. Recebemos este corpo com o propósito de cumprir o trabalho do Pai Celestial de “levar a efeito a imortalidade e vida eterna do homem”.8 O corpo é o meio pelo qual podemos atingir nosso potencial divino.

O corpo possibilita aos filhos espirituais obedientes do Pai Celestial ter uma vida na Terra.9 Ter filhos dá a outros filhos espirituais de Deus a oportunidade de também desfrutar a vida na Terra. Todos os que nascem na mortalidade têm a oportunidade de progredir e de ser exaltados se obedecerem aos mandamentos de Deus.

O casamento entre homem e mulher é a instituição que Deus ordenou para o cumprimento da incumbência de multiplicar-nos. Um relacionamento entre pessoas do mesmo sexo não multiplica.

Um casamento legal e legitimamente selado no templo e em que os convênios do selamento são honrados dá aos pais e aos filhos a oportunidade de desfrutar a melhor experiência de amor e de preparação para uma vida frutífera. Ele providencia o ambiente ideal no qual os pais e os filhos podem viver os convênios que fizeram com Deus.

Por causa de Seu amor por nós, o Pai Celestial providenciou que todos os Seus filhos fiéis que não desfrutam ou que não podem desfrutar das bênçãos de um casamento e de filhos no convênio, ou da plenitude das bênçãos por motivos contrários a sua vontade, no momento determinado pelo Senhor, desfrutem dessas bênçãos.10

Os profetas e apóstolos vivos têm aconselhado a todos os que têm a oportunidade de entrar no convênio do casamento eterno a prosseguir com sabedoria e com fé. Não devemos adiar o momento desse dia sagrado por causa de interesses mundanos ou manter nossa expectativa de um companheiro ideal em um nível que desqualifique todos os possíveis candidatos.

A promessa a todos os que são selados pelo convênio do casamento eterno e que são frutíferos por meio da observância aos mandamentos é que o adversário nunca terá poder para enfraquecer o alicerce do seu companheirismo eterno.

Terceiro, Deus Nos Incumbiu de Sujeitar a Terra

Sujeitar a Terra e exercer domínio sobre todo ser vivente é ter controle sobre essas coisas para que cumpram a vontade de Deus11 ao servir aos propósitos de Seus filhos. Sujeitar inclui adquirir domínio sobre nosso próprio corpo.12Não inclui ser vítima indefesa dessas coisas ou usá-las de modo contrário à vontade de Deus.13

Desenvolver a habilidade de sujeitar as coisas da Terra começa com a humildade de reconhecer nossa fraqueza humana e o poder disponível para nós por meio de Cristo e de Sua Expiação. Pois “Cristo disse: Se tiverdes fé em mim, tereis poder para fazer tudo quanto me parecer conveniente”.14 Esse poder é disponibilizado a nós à medida que escolhemos agir em obediência aos Seus mandamentos. Aumentamos nossa habilidade buscando os dons do Espírito e desenvolvendo nossos talentos.

Nasci e fui criado em circunstâncias humildes típicas de muitas famílias na África. Adquiri a habilidade de erguer-me acima dessas circunstâncias por meio de buscar e obter uma boa educação, com a ajuda amorosa de meus pais. Adquirir uma visão do que eu poderia tornar-me foi essencial para meu progresso. Posteriormente, como jovem casal, minha esposa, Gladys, e eu encontramos o evangelho restaurado, que continua a abençoar nossa vida com orientação espiritual. Como todas as famílias, temos nossas provações e nossos desafios. Mas, ao buscarmos o Senhor por ajuda, encontramos respostas que nos trazem paz e consolo, e não nos sentimos sobrecarregados com essas coisas.

Os desafios que a sociedade humana enfrenta atualmente, incluindo a imoralidade, a pornografia, os conflitos armados, a poluição, o abuso de substâncias nocivas e a pobreza, florescem porque muitos no mundo se desviaram por escolha própria para a “vontade do diabo e da carne”15 em vez de escolher a vontade de Deus. “Não buscam o Senhor para estabelecer sua justiça, mas todo homem anda em seu próprio caminho e segundo a imagem de seu próprio deus, cuja imagem é à semelhança do mundo.”16

No entanto, Deus convida todos os Seus filhos a receber Sua ajuda para vencer os desafios desta vida e perseverar neles com estas palavras:

“Eu sou Deus; eu fiz o mundo e os homens antes que existissem na carne.

(…) Se te voltares para mim e deres ouvidos a minha voz e creres e te arrependeres de todas as tuas transgressões e fores batizado, sim, na água, em nome de meu Filho Unigênito (…), receberás o dom do Espírito Santo, pedindo todas as coisas em seu nome; e tudo o que pedires te será dado”.17

Os santos dos últimos dias fiéis que compreendem seu potencial divino e confiam de todo o coração no poder acessível por meio da Expiação do Senhor Jesus Cristo são fortalecidos em sua fraqueza natural e podem “fazer todas as coisas”.18 Eles se tornam capazes de vencer as tentações do mal que sujeitaram muitos à servidão do adversário. Paulo ensinou que:

“Fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar”.19

“Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.”20

O Pai Celestial nos incumbiu e nos abençoou para frutificar, multiplicar e sujeitar a Terra para que possamos nos tornar como Ele. Ele disponibilizou ajuda para que cada um de nós possa crescer e se tornar como Ele é, de acordo com nossas escolhas individuais. Oro para que vivamos nossa vida de tal maneira que sejamos guiados pela visão da nossa natureza divina, clamemos por todos os nossos privilégios divinos e cumpramos nosso destino divino.

Testifico da viva realidade de Deus, o Pai, e de Seu Filho Amado, nosso Salvador Jesus Cristo; do Seu glorioso plano de felicidade; e das chaves que Ele fez com que fossem conferidas sobre um profeta vivo na Terra hoje, sim, Thomas S. Monson, a quem amamos e apoiamos. Oro para que tenhamos o poder de desfrutar a plenitude de Suas bênçãos, em nome de Jesus Cristo. Amém.