2010–2019
Você Pode Fazer Isso Agora!
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Você Pode Fazer Isso Agora!

Enquanto estivermos dispostos a nos levantar e a continuar no caminho, (…) podemos aprender algo com cada fracasso e tornar-nos melhores e mais felizes como resultado.

Quando eu era jovem, cair e levantar pareciam ser uma única ação. Ao longo dos anos, porém, cheguei à perturbadora conclusão de que as leis da física mudaram — e não de modo a me beneficiar.

Há pouco tempo, eu estava esquiando com meu neto de 12 anos. Estávamos nos divertindo quando cheguei a um ponto cheio de gelo e acabei levando um tombo glorioso numa encosta íngreme.

Tentei todos os truques que sabia para me levantar, mas não consegui — eu havia caído e não conseguia me levantar.

Eu me sentia bem fisicamente, mas meu ego estava um tanto ferido. Então me assegurei de que meu capacete e meus óculos de proteção estivessem bem ajustados porque eu preferia que os outros esquiadores não me reconhecessem. Podia imaginar-me sentado na neve enquanto eles esquiavam com elegância, acenando e gritando alegremente: “Olá, irmão Uchtdorf!”

Comecei a me perguntar o que seria necessário para me resgatar. Foi aí que meu neto chegou ao lugar onde eu estava. Eu lhe disse o que havia acontecido, mas ele não me pareceu muito interessado em minhas explicações do motivo pelo qual eu não conseguia me levantar. Ele me fitou nos olhos, estendeu o braço, pegou minha mão e disse num tom firme: “Vovô, você consegue fazer isso agora!”

Instantaneamente, eu me levantei.

Ainda não entendo o que aconteceu. O que parecia impossível apenas um momento antes imediatamente se tornou realidade, porque um menino de 12 anos me estendeu a mão e disse: “Você consegue fazer isso agora!” Para mim, aquela foi uma infusão de confiança, entusiasmo e força.

Irmãos, há ocasiões em nossa vida em que parece que nos erguer e prosseguir está acima de nossa própria capacidade. Naquele dia, naquela colina coberta de neve, aprendi algo. Mesmo que achemos que não conseguimos nos levantar — ainda há esperança. E, às vezes, em nossa vida, simplesmente precisamos de alguém que nos fite nos olhos, pegue nossa mão e diga: “Você consegue fazer isso agora!”

A Ilusão da Força

Podemos achar que é mais provável que as mulheres tenham mais sentimentos de inadequação e de fracasso do que os homens, que esses sentimentos afetam mais a elas do que a nós. Não sei se isso é verdade. Os homens sentem culpa, depressão e fracasso tanto quanto as mulheres — às vezes até mais. Podemos fingir que esses sentimentos não nos incomodam, mas eles o fazem. Podemos nos sentir tão sobrecarregados com nossos fracassos e nossas falhas que começamos a achar que nunca seremos capazes de ter sucesso. Podemos até presumir que, como caímos com tanta frequência antes, nosso destino seja cair. Como disse um escritor: “Remamos com força, contra a corrente, conduzindo nosso barco incessantemente para o passado”.1

Vemos homens cheios de potencial e de capacidade desistirem de um trabalho desafiador na edificação do reino de Deus, porque fracassaram uma ou duas vezes. Eram homens promissores que poderiam ter sido excepcionais portadores do sacerdócio e servos de Deus. Mas, por terem tropeçado e desanimado, retiraram-se de seus compromissos no sacerdócio e procuraram outros empreendimentos mais fáceis, porém, menos dignos.

E assim, eles vão vivendo apenas uma sombra da vida que poderiam ter tido, nunca se elevando ao potencial que têm por direito de nascença. Como lamentou o poeta, esses estão entre aquelas almas infelizes que “morrem com [a maior parte de] sua música [ainda] dentro delas”.2

Ninguém gosta de fracassar. E particularmente não gostamos quando os outros, em especial aqueles a quem amamos, nos veem fracassar. Todos nós queremos ser respeitados e estimados. Queremos ser campeões. Mas nós mortais não nos tornamos campeões sem esforço e disciplina ou sem cometer erros.

Irmãos, nosso destino não é determinado pelo número de vezes que caímos, mas pelo número de vezes que nos levantamos, sacudimos a poeira e seguimos em frente.

Tristeza Segundo Deus

Sabemos que esta vida mortal é um teste. Mas como nosso Pai Celestial nos ama com um amor perfeito, Ele nos mostra onde encontrar as respostas. Ele nos deu um mapa que nos permite navegar por terreno incerto e enfrentar as provações inesperadas que cada um de nós encontra. As palavras dos profetas fazem parte desse mapa.

Quando nos desviamos — quando caímos ou nos afastamos do caminho de nosso Pai Celestial —, as palavras dos profetas nos dizem como voltar e encontrar o rumo novamente.

De todos os princípios ensinados pelos profetas ao longo dos séculos, um que foi enfatizado muitas e muitas vezes é a esperançosa e consoladora mensagem de que a humanidade pode se arrepender, mudar de rumo e voltar ao verdadeiro caminho do discipulado.

Isso não significa que devemos nos conformar com nossos erros, nossas fraquezas ou nossos pecados, mas há uma diferença importante entre a tristeza pelo pecado que conduz ao arrependimento e o sofrimento que conduz ao desespero.

O Apóstolo Paulo ensinou que “a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, (…) mas a tristeza do mundo opera a morte”.3A tristeza segundo Deus inspira mudança e esperança por meio da Expiação de Jesus Cristo. A tristeza do mundo nos abate, extingue a esperança e nos persuade a ceder a mais tentações.

A tristeza segundo Deus leva à conversão4 e à mudança de coração.5 Faz com que odiemos o pecado e amemos a virtude.6 Incentiva-nos a levantar e a andar na luz do amor de Cristo. O verdadeiro arrependimento tem a ver com transformação, não com tortura ou tormento. Sim, o remorso sincero e o remorso verdadeiro pela desobediência são passos muitas vezes dolorosos, mas muito importantes no sagrado processo do arrependimento. Mas, quando a culpa nos leva ao autodesprezo ou nos impede de nos levantar novamente, ela é mais um obstáculo do que um incentivo ao nosso arrependimento.

Irmãos, há um caminho melhor. Ergamo-nos e tornemo-nos homens de Deus. Temos um defensor, um Salvador, que caminhou pelo vale da sombra da morte em nosso favor. Ele deu a vida como resgate por nossos pecados. Ninguém teve amor maior do que este — Jesus Cristo, o Cordeiro imaculado, voluntariamente deu a vida no altar do sacrifício e pagou o preço de nossos pecados até “o último ceitil”.7 Tomou sobre Si o nosso sofrimento. Tomou sobre os Seus ombros os nossos fardos, a nossa culpa. Meus queridos amigos, quando decidimos nos achegar a Ele, tomamos sobre nós o Seu nome e corajosamente trilhamos o caminho do discipulado, então por meio da Expiação nos são prometidas não apenas felicidade e “paz neste mundo”, mas também “vida eterna no mundo vindouro”.8

Quando cometemos erros, quando pecamos e caímos, pensemos no que significa o verdadeiro arrependimento. Significa voltar nosso coração e nossa vontade para Deus e renunciar ao pecado. O arrependimento verdadeiro e sincero traz consigo a certeza celeste de que podemos “fazer isso agora”.

Quem É Você?

Um dos métodos do adversário para impedir-nos de progredir é confundir-nos a respeito de quem realmente somos e do que realmente desejamos.

Queremos passar um tempo com nossos filhos, mas também queremos desfrutar de nossos passatempos masculinos favoritos. Queremos perder peso, mas também queremos desfrutar os alimentos que desejamos com avidez. Queremos nos tornar semelhantes a Cristo, mas também queremos dizer ao sujeito que nos fecha no trânsito o que nos vai na cabeça.

O propósito de Satanás é tentar-nos a trocar as pérolas inestimáveis da verdadeira felicidade e dos valores eternos por um enfeite de plástico que é apenas ilusão e uma imitação falsa da felicidade e alegria.

Outro método que o adversário usa para nos desanimar e impedir-nos de levantar é fazer-nos pensar que os mandamentos são coisas que nos foram impostas. Suponho que faça parte da natureza humana resistir a qualquer coisa que não pareça ser nossa ideia em primeiro lugar.

Se vemos a dieta saudável e os exercícios só como algo que nosso médico espera de nós, podemos fracassar. Se vemos isso como algo que somos ou que desejamos nos tornar, há maior chance de permanecermos no curso e de termos sucesso.

Se vemos o ensino familiar apenas como uma meta do presidente da estaca, podemos colocar um valor mais baixo na sua realização. Se vemos isso como nossa meta, como algo que desejamos fazer para tornar-nos mais semelhantes a Cristo e para ministrar a outras pessoas, não somente cumpriremos nosso compromisso, mas também o realizaremos de modo a abençoar as famílias que visitamos e a nós mesmos também.

Com frequência, somos nós que estaremos sendo auxiliados pelos amigos e familiares. Mas, se olharmos ao redor com olhos para ver e com a razão de um coração amoroso, reconheceremos as oportunidades que o Senhor coloca diante de nós para ajudarmos os outros a se levantarem novamente e prosseguirem até seu verdadeiro potencial. As escrituras sugerem que “tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens”.9

É uma grande fonte de força espiritual levar uma vida de integridade e retidão e manter os olhos fitos naquilo que queremos ser nas eternidades. Mesmo que somente possamos ver esse destino divino com os olhos da fé, será uma ajuda para permanecermos no curso.

Quando nossa atenção está principalmente concentrada em nossos sucessos ou fracassos diários, podemos perder-nos no caminho, errar e cair. Manter os olhos fitos em metas mais elevadas nos ajudará a nos tornarmos melhores filhos, irmãos e pais, além de maridos mais amorosos.

Mesmo aqueles que colocam o coração em metas divinas podem tropeçar de vez em quando, mas não vão ser derrotados. Creem nas promessas de Deus e confiam nelas. Vão se levantar novamente com uma resplandecente esperança em um Deus justo e na inspirada visão de um futuro grandioso. Sabem que podem fazer isso agora.

Você Pode Fazer Isso Agora

Todas as pessoas, jovens ou idosas, já tiveram sua própria experiência pessoal de cair. Cair é o que os mortais fazem. Mas, enquanto estivermos dispostos a nos levantar e a continuar no caminho rumo às metas espirituais que Deus nos deu, podemos aprender algo com cada fracasso e tornar-nos melhores e mais felizes como resultado.

Meus queridos irmãos, meus queridos amigos, haverá ocasiões em que pensarão que não podem continuar. Confiem no Salvador e em Seu amor. Com fé no Senhor Jesus Cristo e no poder e na esperança do evangelho restaurado sempre conseguiremos nos levantar e prosseguir.

Irmãos, amamos vocês. Oramos por vocês. Gostaria que pudessem ouvir o Presidente Monson orar por vocês. Seja você um jovem pai, um idoso portador do sacerdócio, um recém-ordenado diácono, nós nos preocupamos com vocês. O Senhor Se preocupa com vocês!

Reconhecemos que seu caminho às vezes será difícil. Mas faço-lhes esta promessa em nome do Senhor: levantem-se e sigam os passos de nosso Redentor e Salvador, e um dia olharão para trás e sentirão eterna gratidão por terem decidido confiar na Expiação e em seu poder de nos elevar e de nos fortalecer.

Meus queridos amigos e irmãos, não importa quantas vezes vocês escorregaram ou caíram, levantem-se! Seu destino é glorioso! Levantem-se e andem na luz do evangelho restaurado de Jesus Cristo! Vocês são mais fortes do que percebem. Vocês são mais capazes do que imaginam. Vocês podem fazer isso agora! Presto testemunho disso no sagrado nome de nosso Mestre e Redentor, Jesus Cristo. Amém.