2000–2009
Alegres Cantemos
anterior próximo

Alegres Cantemos

Participar da Sociedade de Socorro faz parte de nossa gloriosa herança e bênção como mulheres na Igreja do Senhor.

Queridas irmãs, como somos abençoadas! Além de sermos membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, somos também membros da Sociedade de Socorro — “a organização do Senhor para as mulheres”.1 A Sociedade de Socorro é a evidência do amor de Deus por Suas filhas.

Seu coração não vibra de alegria ao lembrar-se da história da Sociedade de Socorro e de seu início empolgante? Em 17 de março de 1842, na primeira reunião da Sociedade de Socorro, o Profeta Joseph Smith declarou que “a Igreja não estava perfeitamente organizada até que as mulheres fossem assim organizadas”.2 Ele então organizou as irmãs “sob o sacerdócio, segundo o padrão do sacerdócio”.3 O grupo pequeno e diversificado reunido nessa primeira Sociedade de Socorro era formado por mulheres dedicadas e semelhantes às irmãs da Sociedade de Socorro de nossos dias. Havia mulheres jovens e mais velhas; mulheres com educação formal e mulheres sem estudo. Havia mulheres casadas, com filhos e mulheres solteiras. Havia mulheres abastadas e outras muito pobres. Elas se amavam mutuamente e amavam o Senhor, e tinham o desejo de servir. Ao nos lembrarmos do que essas irmãs fizeram no passado, podemos melhor compreender e ser guiadas hoje.

Na primeira reunião da Sociedade de Socorro, o Profeta Joseph Smith pediu às irmãs que auxiliassem o sacerdócio a “[atender] às necessidades dos pobres — buscando pessoas que necessitem de caridade e cuidando de suas necessidades”.4 Ele posteriormente exortou as irmãs a agir “de acordo com essa compreensão plantada por Deus em seu coração”.5

As irmãs aceitaram esse encargo em seu coração e são conhecidas como uma sociedade dedicada a servir aos pobres e necessitados. A irmã Emma Smith disse: “Vamos fazer algo extraordinário. Quando um barco estiver preso nas corredeiras, com uma multidão de membros a bordo, devemos considerar isso um grito de socorro. Esperamos ocasiões extraordinárias e chamados árduos”.6

Nos primeiros dias da Igreja, as irmãs ofereceram alívio de várias maneiras, indo de casa em casa. Servindo como o que chamamos hoje de professoras visitantes, as irmãs ministraram a todos, cuidando das necessidades dos outros e certificando-se de que as pessoas tivessem alimento, roupas e abrigo, e oferecendo alívio quando necessário. Se uma irmã tivesse algo para doar, ela o entregaria às irmãs visitantes. Se precisasse de algo, as irmãs trariam o que lhe era necessário.7

Devemos devotar-nos à Sociedade de Socorro, como nos aconselhou o Presidente Boyd K. Packer: “O serviço na Sociedade de Socorro fortalece e santifica cada irmã (…). Quando você se dedica à Sociedade de Socorro e a organiza, faz funcionar e dela participa, você apóia a causa que abençoará cada irmã que se encontra sob a influência dessa organização”.8

Assim como Emma descreveu o barco encalhado nas corredeiras e as pessoas precisando de socorro, podemos descrever nossos dias, quando vemos um vizinho doente, uma criança que precisa de instrução, um adolescente à procura de um amigo ou uma família que perdeu a renda e necessita de ajuda para reerguer-se. Ouvimos a respeito das calamidades, tempestades ou tragédias pessoais na vida de nossas irmãs em todo o mundo. Não precisamos apressar-nos na tentativa de encontrar o que fazer ou causas às quais nos dedicar.

Lembrem-se, na maioria das vezes a ajuda é necessária em nosso próprio lar, em nossa vizinhança e em nossa comunidade. Uma palavra de incentivo, um bilhete de agradecimento, um telefonema, um sorriso amável, um ato de bondade e um lembrete de que Deus vive e nos ama são, em geral, o que é mais necessário. Podemos elevar e abençoar o próximo de muitas maneiras.

A Sociedade de Socorro não é apenas uma aula no domingo. Não é apenas um lugar para onde vamos se não temos responsabilidades na Primária ou nas Moças. Ela é a organização do Senhor para as mulheres. Participar da Sociedade de Socorro faz parte de nossa gloriosa herança e bênção como mulheres na Igreja do Senhor.

Naquelas primeiras reuniões da Sociedade de Socorro, Joseph Smith deixou claro que as irmãs deveriam ensinar-se mutuamente o evangelho de Jesus Cristo. “A (…) Sociedade não deve apenas socorrer os pobres, mas também salvar almas.”9 E disse mais: “Abro-lhes as portas em nome de Deus, e esta Sociedade se regozijará, e o conhecimento e a inteligência aqui fluirão a partir de agora”.10 Oh, eu amo essa declaração, pois me faz lembrar de regozijar-me nas bênçãos que Deus tem para as mulheres desta Igreja.

As irmãs da Sociedade de Socorro sempre procuraram aprender e crescer. Sabemos que “a glória de Deus é inteligência”.11

Em 1830, numa revelação dada por meio do Profeta Joseph Smith a sua esposa, Emma Smith, o Senhor declarou que ela deveria “explicar as escrituras e exortar a igreja, conforme [lhe fosse] revelado pelo [seu] Espírito”.12 Essa ordem não foi dada apenas a Emma, mas Joseph explicou que todas as irmãs devem usar esse dom.13 As mulheres ensinaram o evangelho de Jesus Cristo e seguiram o Salvador em palavras e em atos. Elas nutriram-se mutuamente pela boa palavra de Deus.14

Algumas mulheres têm dito que é assustador dar aula ou falar a um grupo de pessoas. Posso dizer-lhes por experiência própria que isso pode ser mesmo assustador. Lembremo-nos do que Eliza R. Snow disse à sobrinha que foi escolhida para falar diante de um grupo. Quando a jovem se levantou e tentou falar, foi incapaz de dizer qualquer coisa, dominada pelo medo. Ela apenas se sentou novamente. Eliza aconselhou-a com gentileza: “Tudo bem, mas quando pedirem que fale novamente, procure ter algo para dizer”.15

Teremos algo para dizer se nos prepararmos conforme fomos instruídas por Deus. Ele nos manda “pregar [seu] evangelho pelo Espírito”, e diz que aquele que prega e aquele que recebe “se compreendem um ao outro e ambos são edificados e juntos se regozijam”16. Se nos prepararmos com fervor, usando as escrituras e os materiais aprovados pela Igreja, se pedirmos a ajuda do Senhor, Ele nos concederá o “indescritível dom do Espírito Santo”, 17 e teremos algo para dizer e todos seremos edificados.

Numa linda reunião da Sociedade de Socorro, Eliza R. Snow registrou na ata que “quase todas as presentes se levantaram e falaram, e o Espírito do Senhor, como uma fonte purificadora, revigorou-lhes o coração”.18 Desejamos que as irmãs, hoje, sintam-se nutridas, edificadas e elevadas sempre que participarem de uma aula dominical, servirem como professoras visitantes, participarem de uma atividade ou prestarem qualquer ato de serviço.

Irmãs, hoje, mais do que nunca, precisamos de mulheres engajadas e fortes. Precisamos de mulheres que declarem a verdade com força, fé e coragem. Precisamos de mulheres que sejam exemplos de retidão. Precisamos de mulheres que se ocupem “zelosamente numa boa causa”.19 Nossa vida precisa ser um testemunho de que amamos nosso Pai Celestial e o Salvador Jesus Cristo, e de que faremos o que Eles nos mandaram fazer. Precisamos “[ressaltar] o que há de melhor em [nós]”20 para que, como filhas de Deus, façamos nossa parte na construção do reino de Deus. Receberemos ajuda para fazer isso. Como Joseph Smith declarou, “se (…) viverem de modo a estar à altura de seus privilégios, não se poderá impedir que os anjos lhes façam companhia”.21

Que carreguemos os fardos uns dos outros, choremos com os que choram, confortemos os que necessitam de conforto e, assim, cumpramos os convênios que fizemos.22

Somos muito abençoadas. O Salvador encontra-se à cabeça desta Igreja. Somos guiadas por profetas, videntes e reveladores vivos. Temos as escrituras sagradas para ler, estudar e buscar respostas para nossa vida. Temos templos sagrados no mundo todo, onde podemos obter as ordenanças necessárias para ajudar-nos a voltar ao Pai Celestial. E temos umas às outras para nos ajudar.

Vejo a “imagem de Deus gravada em [seu] semblante”23, boas mulheres, quando viajo a muitos lugares do mundo. Ouço falar de suas boas ações e dedicação notáveis. Vejo a Luz de Cristo refletida em seu olhar.

Sei que, assim como Emma sugeriu, podemos fazer algo de extraordinário hoje. Podemos ser um exército de mulheres dignas, armadas com amor, compaixão, bondade, serviço e fé. Podemos ser uma poderosa força para o bem neste mundo. Assim, seremos aquilo que o Presidente Packer descreve: “A Sociedade de Socorro pode ser comparada a um refúgio, um local de segurança e proteção (…). Vocês estarão seguras nessa organização, que envolve cada irmã como um muro protetor”.24 Precisamos desse lugar de segurança e proteção!

Vocês não se sentem exultantes por pertencer à Sociedade de Socorro? Ao nos lembrarmos dos atos dessas nobres mulheres do passado, seremos guiadas hoje e no futuro.

Testifico-lhes que Deus, nosso Pai Celestial, e Seu Filho, Jesus Cristo, vivem e nos amam. Testifico também que somos guiadas por um profeta de Deus. E testifico-lhes que, ao cumprirmos nossos convênios, seremos imensamente abençoadas. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

  1. Spencer W. Kimball, “Relief Society—Its Promise and Potential”, Ensign, março de 1976, p. 4.

  2. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith (curso de estudos do Sacerdócio de Melquisedeque e da Sociedade de Socorro, 2007), p. 474; ver também Jill Mulvay Derr e outros, Women of Covenant: The Story of Relief Society (1992), nota de rodapé 61, pp. 445–446.

  3. Sarah Granger Kimball, “Auto-biography”, Woman’s Exponent, 1º de setembro de 1883, p. 51.

  4. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 475.

  5. History of the Church, volume 4, p. 605.

  6. Emma Smith, citada em Relief Society, Minute Book [Atas da Sociedade de Socorro Feminina] de março de 1842–março de 1844, verbete de 17 de março de 1842, p. 12, Arquivos da Igreja, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Ver também Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 473.

  7. Ver Women of Covenant: The Story of Relief Society, pp. 32–33.

  8. Boyd K. Packer, “The Circle of Sisters” [O Círculo de Irmãs], Ensign, novembro de 1980, p. 110.

  9. History of the Church, vol. 5, p. 25.

  10. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, pp. 474–475.

  11. D&C 93:36.

  12. D&C 25:7.

  13. Ver Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 477. Ver também D&C 25:16.

  14. Ver Morôni 6:4.

  15. Eliza R. Snow, citada em Emily S. Richards, “Conferência Geral: Sociedade de Socorro”, Women’s Exponent, dezembro de 1901, p. 54.

  16. D&C 50:14, 22.

  17. D&C 121:26.

  18. Eliza R. Snow, Minute Book, verbete de 19 de abril de 1842, p. 33.

  19. D&C 58:27.

  20. J. Reuben Clark, citado em Prover à Maneira do Senhor: Um Guia de Bem-Estar para Líderes, 1990, página de rosto.

  21. History of the Church, vol. 4, p. 605.

  22. Ver Mosias 18:8–9.

  23. Alma 5:19.

  24. Boyd K. Packer, “The Circle of Sisters” [O Círculo de Irmãs], Ensign, novembro de 1980, p. 110.