O Poder de um Testemunho Pessoal
    Notas de rodapé

    O Poder de um Testemunho Pessoal

    Nosso firme testemunho pessoal vai motivar-nos a mudar nossa vida e vai, depois, abençoar o mundo.

    No Livro de Mórmon, lemos sobre o jovem Néfi a quem o Senhor deu a ordem de construir um navio. Ele foi rápido em obedecer a esse mandamento, mas seus irmãos estavam céticos. Néfi escreveu: “Quando meus irmãos viram que eu estava prestes a construir um navio, começaram a murmurar contra mim, dizendo: Nosso irmão é um tolo, pois pensa que poderá construir um navio; sim, e pensa também que poderá atravessar estas grandes águas” (1 Néfi 17:17).

    Mas Néfi não ficou desanimado. Não tinha experiência na construção de navios, mas tinha um forte testemunho pessoal de que o Senhor “(…) prepararia] um caminho pelo qual suas ordens [pudessem] ser cumpridas” (1 Néfi 3:7). Com esse forte testemunho e motivação no coração, Néfi construiu um navio no qual cruzaram as grandes águas, apesar da forte oposição manifestada por seus irmãos descrentes.

    Deixem-me contar-lhes uma experiência pessoal que tive na juventude sobre o poder de um motivo justo.

    Depois do tumulto da Segunda Guerra Mundial, minha família acabou morando na Alemanha Oriental, que estava ocupada pela Rússia. Quando cursei a quarta série, tive que aprender russo como primeira língua estrangeira na escola. Achei muito difícil por causa do alfabeto cirílico, mas, com o tempo, consegui aprender a língua suficientemente bem.

    Quando completei onze anos, tive que sair às pressas da Alemanha Oriental por causa da orientação política do meu pai. Passei a freqüentar a escola na Alemanha Ocidental, que na época era ocupada pelos americanos. Nessa escola, exigia-se que todas as crianças aprendessem inglês, e não russo. Aprender russo tinha sido difícil, mas o inglês foi impossível para mim. Achei que minha boca não tinha sido feita para falar inglês. Meus professores se esforçaram. Meus pais sofreram. Mas eu sabia que o inglês definitivamente não era o meu idioma.

    Mas, então, algo mudou em minha vida de jovem. Quase todos os dias, eu ia de bicicleta até o aeroporto para ver os aviões decolarem e aterrissarem. Li, estudei e aprendi tudo o que pude sobre aviação. O meu maior desejo era tornar-me piloto. Já podia me ver sentado na cabine de um avião comercial ou de um caça militar. Sentia no fundo do coração que esse era o meu destino!

    Descobri, então, que para tornar-me piloto, teria de aprender inglês. Da noite para o dia, para surpresa total de todos, pareceu que minha boca havia mudado. Consegui aprender inglês. Ainda assim, foi necessário muito trabalho, persistência e paciência, mas consegui aprender inglês!

    Por quê? Por causa de um motivo muito forte e justo!

    Nossa motivação e pensamentos acabam influenciando nossas ações. O testemunho da veracidade do evangelho restaurado de Jesus Cristo é a mais poderosa força motivadora de nossa vida. Jesus enfatizou muitas vezes o poder dos bons pensamentos e dos motivos corretos: “Buscai-me em cada pensamento; não duvideis, não temais” (D&C 6:36).

    O testemunho do evangelho restaurado nos ajudará na vida primeiro a aprender o plano específico de Deus para nós e, depois, a agir de modo condizente. Ele nos dará a certeza da realidade, veracidade e bondade de Deus, dos ensinamentos e Expiação de Jesus Cristo e do chamado divino dos profetas modernos. O testemunho nos motiva a viver em retidão e uma vida justa torna o nosso testemunho mais forte.

    O que É um Testemunho?

    Uma definição de testemunho é “declaração solene quanto à verdade de um assunto”, originário da palavra latina testemonium, sendo que a palavra testis significa “testemunho” [“testimony”, http://www .reference.com/browse/wiki/ Testimony; Merriam-Webster’s Collegiate Dictionary, 11ª edição (2003), “testimony”, p. 1291].

    Para os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o termo testemunho é uma palavra familiar e bastante utilizada em nosso vocabulário religioso. É uma palavra terna e agradável, sempre associada a algo sagrado. Quando falamos de testemunho, referimo-nos ao sentimento que temos no coração e na mente, em vez do acúmulo de fatos lógicos e sem proveito. É um dom do Espírito, uma confirmação do Espírito Santo de que certos conceitos são verdadeiros.

    O testemunho é o conhecimento seguro ou a certeza, proveniente do Espírito Santo, da veracidade e divindade da obra do Senhor nestes últimos dias. O testemunho é “a convicção firme, viva e motivadora das verdades reveladas do evangelho de Jesus Cristo” (Marion G. Romney, “How to Gain a Testimony”, New Era, maio de 1976, p. 6, grifo do autor).

    Quando prestamos testemunho, declaramos a veracidade absoluta da mensagem do evangelho. Numa época em que muitos vêem a verdade como uma coisa relativa, uma declaração de verdade absoluta não é muito popular nem parece politicamente correta nem oportuna. O testemunho das “coisas como realmente são” (Jacó 4:13) é destemido, verdadeiro e vital porque tem conseqüências eternas para a humanidade. Satanás não se importaria se declarássemos a mensagem de nossa fé e da doutrina do evangelho como algo que variasse de acordo com as circunstâncias. Nossa firme convicção da veracidade do evangelho é uma âncora em nossa vida, tão firme e confiável quanto uma estrela-guia. O testemunho é muito pessoal e pode ser um pouco diferente para cada pessoa, porque toda pessoa é única. Contudo, o testemunho do evangelho restaurado de Jesus Cristo sempre inclui estas verdades claras e simples:

    • Deus vive. Ele é nosso amado Pai Celestial e somos Seus filhos.

    • Jesus Cristo é o Filho do Deus vivo e Salvador do mundo.

    • Joseph Smith é o profeta de Deus por intermédio de quem o evangelho de Jesus Cristo foi restaurado nos últimos dias.

    • O Livro de Mórmon é a palavra de Deus.

    • O Presidente Gordon B. Hinckley, seus Conselheiros e os membros do Quórum dos Doze Apóstolos são profetas, videntes e reveladores em nossos dias.

    Ao adquirirmos um conhecimento mais profundo dessas verdades e do plano de salvação pelo poder e dom do Espírito Santo, poderemos “conhecer a verdade de todas as coisas” (Morôni 10:5).

    Como Adquirimos um Testemunho?

    Todos sabemos que é mais fácil falar do testemunho do que adquiri-lo. O processo para recebê-lo baseia-se na lei da colheita: “Porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7). Nenhuma coisa boa é alcançada sem esforço e sacrifício. Se tivermos que trabalhar arduamente para adquirir um testemunho, isso fará com que nós e nosso testemunho fiquemos ainda mais fortes. E, se compartilharmos nosso testemunho, ele crescerá.

    Um testemunho é a coisa mais preciosa que podemos ter porque não é adquirido só pela lógica ou pela razão, ele não pode ser comprado com posses terrenas, não pode ser dado como presente nem herdado de nossos antepassados. Não podemos depender do testemunho de outras pessoas. Precisamos saber por nós mesmos. O Presidente Gordon B. Hinckley disse: “Todo santo dos últimos dias tem a responsabilidade de saber por si mesmo, com uma certeza acima de qualquer dúvida, que Jesus é o Filho ressuscitado e vivo do Deus vivente” (“Fear Not to Do Good”, Ensign, maio de 1983, p. 80).

    A fonte desse conhecimento seguro e dessa firme convicção é a revelação divina, “Porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia” (Apocalipse 19:10).

    Recebemos esse testemunho quando o Santo Espírito fala a nosso espírito. Recebemos uma certeza serena e inabalável que será a fonte de nosso testemunho e convicção, independentemente de cultura, raça, idioma ou formação socioeconômica. Esses sussurros do Espírito, em vez da lógica humana apenas, serão o verdadeiro alicerce sobre o qual nosso testemunho será edificado.

    O cerne desse testemunho sempre será a fé em Jesus Cristo e Sua divina missão, e nosso conhecimento Dele, que declarou, segundo as escrituras: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida” (João 14:6).

    Portanto, como recebemos um testemunho pessoal fundamentado no testemunho do Espírito Santo? O padrão está explicado nas escrituras:

    Primeiro: Desejar acreditar. O Livro de Mórmon declara: “Se despertardes e exercitardes vossas faculdades, pondo à prova minhas palavras e exercerdes uma partícula de fé, sim, mesmo que não tenhais mais que o desejo de acreditar” (Alma 32:27).

    Alguns podem dizer: “Não consigo acreditar. Não sou uma pessoa religiosa”. Pensem nisto: Deus promete auxílio divino mesmo que tenhamos apenas o desejo de acreditar, mas tem que ser um desejo verdadeiro e não fingido.

    Segundo: Examinar as escrituras. Façam perguntas estudem-nas, examinem as escrituras em busca de respostas. Novamente, o Livro de Mórmon tem um bom conselho para nós: “Se derdes lugar em vosso coração para que uma semente seja plantada” por meio do estudo diligente da palavra de Deus, a boa semente “começará a inchar em vosso peito” se não resistirem com descrença. Essa boa semente “[dilatará a sua] alma” e “[iluminará seu] entendimento” (Alma 32:28).

    Terceiro: Fazer a vontade de Deus, guardar os mandamentos. Não é suficiente participar de um debate acadêmico se quisermos saber, por nós mesmos, se o reino de Deus foi restaurado na Terra. O estudo superficial também não é suficiente. Temos que colocar em prática a palavra por nós mesmos, e isso significa aprender e depois fazer a vontade de Deus.

    Precisamos achegar-nos a Cristo e seguir Seus ensinamentos. O Senhor ensinou: “A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo de mim mesmo” (João 7:16–17; grifo do autor). E Ele disse: “Se me amais, guardai os meus mandamentos” (João 14:15).

    Quarto: Ponderar, jejuar e orar. Para receber conhecimento do Espírito Santo, precisamos pedir ao Pai Celestial que nos dê esse conhecimento. Precisamos confiar que Deus nos ama e que nos ajudará a reconhecer os sussurros do Espírito Santo. O Livro de Mórmon declara:

    “Quando lerdes estas coisas, (…) [lembrai-vos] de quão misericordioso tem sido o Senhor para com os filhos dos homens, desde a criação de Adão até a hora em que receberdes estas coisas, e a meditardes sobre isto em vosso coração.

    (…) [Perguntai] a Deus, o Pai Eterno, em nome de Cristo, se estas coisas (…) são verdadeiras; e se perguntardes com um coração sincero e com real intenção, tendo fé em Cristo, ele vos manifestará a verdade delas pelo poder do Espírito Santo” (Morôni 10:3–4).

    E o profeta Alma disse:

    “Eis que vos testifico que sei que estas coisas de que falei são verdadeiras. E como supondes que eu tenho certeza de sua veracidade?

    Eis que jejuei e orei, (…) a fim de saber estas coisas por mim mesmo. E o Senhor Deus mas revelou por Seu Santo Espírito; e este é o espírito de revelação” (Alma 5:45–46).

    Meus queridos irmãos e irmãs, Alma recebeu seu testemunho pelo jejum e oração, há mais de dois mil anos, e podemos ter essa mesma experiência sagrada hoje em dia.

    Para que Serve um Testemunho?

    Um testemunho proporciona uma visão correta, motivação e um firme alicerce sobre o qual se edifica uma vida cheia de propósito e crescimento pessoal. É uma fonte constante de confiança, um companheiro verdadeiro e fiel nos bons e maus momentos. O testemunho nos proporciona um motivo para termos esperança e alegria. Ajuda-nos a cultivar um espírito de otimismo e felicidade e permite que nos regozijemos com as belezas da natureza. O testemunho nos motiva a escolher o certo em todos os momentos e em todas as situações. Motiva-nos a achegar-nos mais a Deus, permitindo que Ele Se achegue a nós (ver Tiago 4:8).

    Nosso testemunho pessoal é um escudo protetor e, tal como a barra de ferro, guia-nos em segurança através da escuridão e confusão.

    O testemunho de Néfi deu-lhe coragem para erguer-se e ser contado como alguém que obedeceu ao Senhor. Ele não reclamou nem duvidou nem temeu, a despeito de todas as circunstâncias. Quando as coisas ficaram difíceis, ele disse: “Eu irei e cumprirei as ordens do Senhor, porque sei que o Senhor (…) [preparará] um caminho pelo qual suas ordens possam ser cumpridas” (1 Néfi 3:7).

    Assim como o Senhor conhecia Néfi, Deus nos conhece e nos ama. Esta é a nossa época; estes são os nossos dias. Estamos onde as coisas estão acontecendo. Nosso firme testemunho pessoal vai motivar-nos a mudar nossa vida e vai, depois, abençoar o mundo. Disso presto testemunho, deixando com vocês minha bênção como Apóstolo do Senhor, em nome de Jesus Cristo. Amém.