2000–2009
“Em Convênio com Ele”
Notas de rodapé
Tema

“Em Convênio com Ele”

Nossa irmandade abrange todas as idades e antecedentes; estamos ligadas pelos convênios que fazemos.

Minhas queridas irmãs, o ano passou rápido e é maravilhoso reunir-nos novamente como mulheres da Sociedade de Socorro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Sejam quais forem as circunstâncias de nossa vida, somos mulheres tão abençoadas. Fizemos convênios com o Pai Celestial para realizar sua obra—e estamos fazendo esse trabalho! Assim como Maria e Marta, colocamo-nos aos pés do Mestre e escolhemos “a boa parte”1. Escolhemos Cristo e escolhemos a Sociedade de Socorro.

Ainda assim, fico imaginando se nós, mulheres, temos uma visão plena do que é a Sociedade de Socorro. Quando Joseph Smith leu os primeiros estatutos redigidos por Eliza R. Snow, declarou que o documento era o melhor que já vira, mas que planejava “algo melhor”. Ele disse: “organizarei as mulheres sob o sacerdócio segundo o padrão do sacerdócio”2. Quando o Profeta Joseph Smith “entregou a chave”3 e estabeleceu A Sociedade de Socorro Feminina de Nauvoo, ele disse que a Igreja em si não estivera plenamente organizada até aquele momento.4 Irmãs, é importante que compreendamos essa declaração. A Sociedade de Socorro foi estabelecida por Deus, por intermédio de um profeta, pelo poder da autoridade do sacerdócio; sua existência é uma parte necessária da organização da Igreja. Homens e mulheres trabalham em conjunto no sacerdócio e na Sociedade de Socorro ao se empenharem por trazer famílias a Cristo. Por sermos mulheres, jamais devemos achar que nosso papel na Igreja é menos importante do que o papel desempenhado pelos homens. Assim como nós, mulheres dignas, honramos o sacerdócio, precisamos da mesma forma considerar sagrado o nosso chamado como mulheres.

Ao estudar a pintura de Marta e Maria com o Salvador, passei a considerar essas mulheres como minhas predecessoras. Fico imaginando se elas também eram mulheres “cheia [s] de boas obras e esmolas que [faziam]”.5 É bom pensar que elas e outras mulheres fiéis que eram discípulas de Cristo, devem ter-se reunido para aprender qual era o papel que desempenhariam na edificação do reino. Elas eram mulheres do convênio como nós. Elas haviam-se determinado a seguir o Salvador com todo o coração. Do mesmo modo, também, quando a Sociedade de Socorro foi organizada, ela floresceu devido ao nosso chamado e nosso desejo de servir, amar e cuidar uns dos outros. Assim como as ordenanças e orientação do sacerdócio são necessárias para a obra do Senhor, o serviço que prestamos também o é.

Para realizar tão importante trabalho, escolhemos ser mulheres do convênio; mulheres que fizeram promessas sagradas ao Senhor. Aquelas, dentre nós, que receberam suas bênçãos do templo, prometeram que consagrariam seu tempo e talentos na edificação do reino do Senhor. Por meio desse convênio podemos servir a Igreja em diferentes papéis.

Há vinte anos, fui chamada para ser a presidente das Moças de minha ala. Meu cabelo era castanho e meu corpo era (…) bem, digamos um pouco mais ágil. Muitos anos depois fui novamente chamada para esse mesmo cargo em uma nova ala. Eu estava sendo reciclada e achei isso fascinante. Era minha oportunidade de renovar meu convênio com Deus de que O serviria em qualquer posição. Ele precisava de mim. Nessa época, contudo, meu cabelo ficara naturalmente branco (a maior parte dele) e era um grande sacrifício tocar meus pés com as mãos. Mas não me sentia velha demais para ser abençoada pela vida de jovens notáveis que eram fiéis, inteligentes e divertidas. Gostaria de acreditar que nessa época eu tinha um pouco mais de sabedoria para transmitir a elas e que meu testemunho do evangelho era mais profundo, porém, mais uma vez aprendi tanto com elas quanto elas comigo. Nossa irmandade abrange todas as idades e antecedentes; estamos ligadas pelos convênios que fazemos.

E lembrem-se, nunca chegará o dia em que não precisaremos mais desses convênios. Podemos servir uns aos outros em todas as fases de nossa vida. Há pouco tempo ouvi uma jovem mãe, cujo marido, membro do bispado, estava sentado ao púlpito enquanto ela se debatia com os filhos irrequietos. Uma mulher bem mais velha pegou o bebê no colo e ajudou a acalmá-lo. Atos tão simples como esse, são parte da edificação do reino de Deus. É o que fazemos. É quem somos como irmãs da Sociedade de Socorro. Quer sirvamos como presidentes da Sociedade de Socorro, como professoras na Primária ou como líderes de acampamento das Moças, estamos cumprindo a sagrada responsabilidade que temos como irmãs da Sociedade de Socorro. Quando visitamos um vizinho idoso, quando incentivamos e ajudamos uma jovem mãe ou incluímos outra família em nossas orações, estamos guardando nossos convênios.

Recentemente, nossa presidência reuniu-se com um líder da Igreja. Ele comentou que gostaria que as reuniões da Sociedade de Socorro e do sacerdócio fossem ocasiões em que pudéssemos dizer uns aos outros: “Irmãs, ou irmãos, estou passando por dificuldades. Podem ajudar-me?” Já estive em reuniões assim da Sociedade de Socorro. Sempre me lembrarei de certa manhã de domingo em que as irmãs prestavam seu testemunho e uma delas, que vivia sozinha, falou da solidão que sentia. Ela passara por traição, divórcio e dificuldades financeiras enquanto procurava trabalhar e criar os filhos com um pequeno salário; agora, passava pela dor da solidão, pois os filhos haviam crescido e não moravam mais com ela. Foi um momento terno, com uma forte influência do Espírito. Notei que as irmãs se aproximaram dela e fizeram o que fazem de melhor: demonstraram amor. A sala da Sociedade de Socorro tornou-se um lugar sagrado naquele dia. Tornou-se o que toda sala da Sociedade de Socorro deveria ser para cada irmã.

É tão importante que alcancemos todas as irmãs. Não nos esqueçamos das mulheres que trabalham na Primária ou nas Moças. Elas precisam do cuidado de professoras visitantes fiéis e têm necessidade de reuniões de aprimoramento pessoal, familiar e doméstico bem planejadas e acessíveis. Existem também irmãs que estão ficando mais velhas… como eu! Vocês irmãs com a minha idade ou mais velhas, por favor, permitam que a sua reciclagem aconteça. O Senhor precisa de seu serviço e nós precisamos de vocês.

Conheço uma jovem que está enfrentando dificuldades para fazer a transição das Moças para a Sociedade de Socorro. Ela é fiel e valorosa, mas neste momento sente-se sozinha. Como pode acontecer isso? Se somos mesmo irmãs, deveríamos conhecer as necessidades umas das outras. Esse período que marca o início da vida adulta não deveria ser uma transição, mas um passo natural em uma fraternidade mais ampla. Há muitas dessas jovens em nossas alas. Encontrem-nas, amem-nas e tragam-nas para o círculo da irmandade. E para vocês, jovens, eu diria: não presumam que sabem como a Sociedade de Socorro funciona antes de se juntarem às irmãs e feito sua parte para conhecê-las. Mudar das Moças para a Sociedade de Socorro não é uma mudança de uma classe para outra; é sua oportunidade de assumir um papel maior no serviço do Senhor e na realização da Sua obra.

Irmãs, não pertencemos a um clube social, embora sólidas amizades se formem devido à nossa irmandade. Não somos, como ouvi uma jovem comentar: “as velhas que se reúnem no domingo”. Temos poder quando o utilizamos: poder esse dado a nós por Deus para realizarmos Seus propósitos. Somos a maior organização de mulheres do mundo. Ao atingirmos nossa comunidade com o conhecimento e a inspiração que o Senhor nos concedeu, podemos ajudar a guiar um mundo que precisa de nossa orientação. É o que o Profeta Joseph esperava; é o que o Presidente Hinckley espera de nós hoje.

A esfera de ação de nosso trabalho pode parecer esmagadora, mas como meu neto recém-batizado pode dizer-lhes bem rápido, um convênio é uma promessa bilateral. Todas conhecemos o ensinamento das escrituras que diz : “a quem muito é dado, muito é exigido”.6 Lembrem-se, contudo, que a quem muito é exigido, também muito é dado. Quando fazemos convênios com Deus e os cumprimos, todas as coisas se tornam possíveis. Ele nos dá o que precisamos para realizar Seu trabalho.

Esta noite minhas queridas irmãs, convido-as a renovarem seu compromisso, como mulheres do convênio, com Cristo e com Sua organização feita para nós, Suas filhas. Escolham a boa parte. Escolham seguir a Cristo. Escolham a Sociedade de Socorro. Em nome de Jesus Cristo. Amém.