2000–2009
Esta Estrada a Que Chamamos Vida
anterior seguinte

Esta Estrada a Que Chamamos Vida

Se permanecerem no caminho certo, a recompensa no fim da jornada da vida valerá os momentos de adversidade que experimentarem ao longo do caminho.

Irmãos, estou muito satisfeito por estar com vocês esta manhã. Também quero falar especificamente aos rapazes do Sacerdócio Aarônico. Amo vocês e me importo com vocês.

No novo livre to Para o Vigor da Juventude, a Primeira Presidência dirige-se a vocês, dizendo: “Queridos rapazes e moças, depositamos grande confiança em vocês. Vocês são espíritos escolhidos que nasceram nestes dias em que as responsabilidades e oportunidades, assim como as tentações, são as maiores. Estão iniciando sua jornada por esta vida mortal. Seu Pai Celestial deseja que ela seja alegre e que os leve de volta à sua presença. As decisões que tomarem agora determinarão em grande parte aquilo que ocorrerá durante sua vida e na eternidade.” [(livreto, 2001) P. 2]

Espero que de alguma forma hoje, eu possa ensinar um pouquinho do que aprendi nesses quase setenta anos de viagem pela estrada da vida. Seus pais ou avós talvez já lhes tenham dito isso: “Quanto mais velhos ficamos, mais rápido parece passar o tempo”. É como se num minuto tivéssemos doze anos, com uma vida inteira pela frente, e no minuto seguinte tivéssemos quase setenta, com muito peso pela frente e por todos os lados!

É difícil acreditar que a última vez que falei em uma sessão do sacerdócio na conferência foi há quase treze anos. Naquela ocasião, falei aos irmãos sobre um percurso de bicicleta que fiz com os meus filhos, e aprendi com aquela experiência a importância de preparar-se bem para a jornada da vida.

Hoje quero falar sobre outros percursos que fiz e compartilhar as lições que aprendi com eles.

Recentemente, alguns membros da minha família concluíram que seria divertido fazer o percurso, de bicicleta, de Bozeman, Montana, até Jackson Hole, no Wyoming, aqui nos Estados Unidos. Esse percurso de 362 quilômetros levaria três dias. Atravessaríamos as Montanhas Rochosas em três ocasiões. Decidimos que seria uma experiência maravilhosa viajar pòr entre os desfiladeiros com o tempo bom, pois nos permitiria apreciar as criações de Deus.

Depois de cuidadoso planejamento e preparação, dois de meus filhos, minha única filha e eu partimos no primeiro dia para Big Sky, Montana, onde passaríamos a noite. A manhã estava perfeita, e esperávamos fazer uma jornada agradável. Contudo, à medida que avançávamos, nuvens negras condensaram-se e trouxeram chuva, que aos poucos veio acompanhada de granizo e neve. Com isso, ficamos extremamente molhados, sentindo muito frio e cansaço. Ao terminarmos o primeiro dia da nossa jornada, já em nosso destino para pernoite, lembrei-me de que a vida pode ser exatamente como aquele dia. Felizmente, havíamos nos preparado para todos os tipos de condições climáticas; se não tivéssemos feito isso, dificilmente teríamos completado o percurso do primeiro dia. Para cada etapa da jornada da vida, deveríamos partir cheios de esperança e otimismo, estando, porém, preparados para enfrentar oposição ou dificuldades ao longo do caminho.

O padrão que estabelecem na juventude pode acompanhá-los pelo resto de sua vida mortal. Fazendo as escolhas certas agora, vocês serão capazes de escolher o caminho que os ajudará a suportar, mais tarde, as intempéries e os momentos de desânimo.

Por exemplo, se vocês têm o hábito de usar uma linguagem vulgar, quanto mais a usarem, mais difícil será mudar esse comportamento e deixá-lo de lado. É melhor escolher agora outro caminho, um que os leve à pureza de pensamentos, palavras e ações, para que vocês possam desfrutar a companhia do Espírito Santo. Imaginem a dificuldade de servir como missionários, quando vocês precisam ter a companhia constante do Espírito, se tiverem sempre na mente uma linguagem vulgar. Se têm esse problema em relação ao linguajar que usam, agora é o tempo de mudar.

No segundo dia da nossa viagem, seguimos para West Yellowstone (uma cidadezinha a oeste do Parque Nacional de Yellowstone, no Wyoming). Tudo estava conforme o que esperávamos — as bicicletas estavam funcionando bem, nossas pernas estavam descansadas, e assim avançamos em direção ao segundo destino. Foi então que percebi que, se não formos cuidadosos quando tudo está bem na vida, podemos ser tentados a esquecer nosso Pai Celestial e dar crédito a nós mesmos pela nossa condição de felicidade. Não cometam tal erro.

O Profeta Joseph Smith ensinou: “A felicidade é o objetivo e o propósito de nossa existência; e também será o fim, caso sigamos o caminho que nos leva até ela; e esse rumo é a virtude, retidão, fidelidade, santidade e obediência a todos os mandamentos de Deus.” [Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, selecionados por Joseph Fielding Smith (1976), p. 249.]

O Livro de Mórmon está repleto de relatos daqueles que foram abençoados pelo Senhor e então tornaram-se orgulhosos pelas suas conquistas. Finalmente, com seu orgulho, deixavam o caminho correto e perdiam tudo o que tinham ao apostatarem da verdade. Tomem cuidado para nunca se tornarem como os nefitas dos tempos antigos; lembrem-se sempre da verdadeira fonte de onde emanam suas bênçãos.

No terceiro dia de nossa jornada, aprendi que embora tenhamos algumas grandes dificuldades em nossa vida, é nossa atitude que determina como iremos enfrentá-las. Naquele dia, atravessamos as Montanhas Rochosas três vezes, e passamos de uma altura de quase 1500 metros para 2500 metros. Subir desfiladeiros íngremes de bicicleta requer a atitude certa para alcançar a altitude certa. Assim acontece na vida. Estabelecendo metas dignas e mantendo os olhos fitos nelas, vocês aprenderão autodisciplina e alcançarão muitas coisas. É claro que houve momentos em que subir aquelas escarpas íngremes foi muito mais do que eu podia suportar, mas não desisti, porque eu tinha um propósito firme.

Jovens do Sacerdócio Aarônico, exorto-os a estabelecerem metas para si próprios, tais como concluir o Seminário, servir como missionários honrados, formar-se na faculdade e ser dignos de casar-se no templo. Na idade em que estão, essas podem parecer metas muito grandes, mas se vocês começarem a caminhada em sua direção agora, estarão muito mais preparados para alcançá-las.

Há dois anos, o Élder Richard G. Scott, do Quórum dos Doze Apóstolos, e eu tivemos a oportunidade de fazer uma viagem de canoa em Quetico, uma região deserta em Ontário, no Canadá, onde tivemos que transportar, por terra, a canoa e os nossos suprimentos de um lago a outro. Ao chegarmos no meio da travessia de um dos maiores lagos, o tempo fechou e as águas antes tranqüilas tornaram-se turbulentas e perigosas, arremessando nossa pequena canoa de um lado para o outro.

Tínhamos uma decisão a tomar. Ou tentávamos chegar ao nosso destino, ou íamos para a ilha mais próxima e esperávamos a tempestade passar. A resposta parece óbvia agora, mas na ocasião não foi fácil tomar essa decisão. Continuando em frente, pudemos chegar ao local onde planejávamos. Se atrasássemos nossa viagem, chegaríamos muito tarde e talvez tivéssemos que viajar no escuro. Ao ponderarmos as opções, tivemos a inspiração de irmos imediatamente para a ilha mais próxima. Assim que fizemos isso, a tempestade se agravou de maneira muito pior do que esperávamos. Se tivéssemos continuado a remar, nossa vida estaria em grande perigo.

Aqui na mortalidade somos chamados a tomar sérias decisões, cujo resultado pode ter um efeito duradouro em nosso futuro espiritual. Incentivo-os a estarem sempre dignos de buscarem o Espírito para ajudá-los a escolher sempre o que é certo.

No Livro de Mórmon, Néfi nos conta: “E estareis então no caminho estreito e apertado que conduz à vida eterna; sim, havereis entrado pela porta; havereis procedido segundo os mandamentos do Pai e do Filho; e havereis recebido o Espírito Santo (…)”. (2 Néfi 31:18)

Quando minha família concluiu o percurso de 362 quilômetros de bicicleta, aprendemos que não importa quão difíceis as coisas se tornem na estrada da vida, uma grande felicidade está à espera daqueles que são obedientes aos mandamentos e perseveram até o fim.

Vocês, rapazes portadores do Sacerdócio Aarônico, têm a responsabilidade de manter-se firmemente centralizados em seu destino eterno. Naturalmente a jornada da vida pode ter muitos altos e baixos. Haverá, certamente, dias em que sentirão que a vida é muito dura. Mas se permanecerem no caminho certo, a recompensa no fim da jornada da vida valerá os momentos de adversidade que experimentarem ao longo do caminho.

Do livreto Para o Vigor da Juventude, diz novamente a Primeira Presidência: “Que possam manter sua mente e corpo limpos dos pecados do mundo, para que possam realizar o grande trabalho que se encontra à sua frente. Oramos para que possam ser dignos de levar adiante as responsabilidades de edificar o reino de Deus e preparar o mundo para a Segunda Vinda do Salvador.” (página 3)

Meus jovens amigos, saibam da importância de serem sábios seguindo os conselhos do Profeta, e a felicidade os acompanhará para o resto de sua jornada da vida.

Testifico isso em nome de Jesus Cristo, amém.