2000–2009
Sair da Escuridão para Sua Maravilhosa Luz
anterior seguinte

Sair da Escuridão para Sua Maravilhosa Luz

Os emblemas da Expiação do Salvador nos relembram que não precisamos tropeçar na escuridão. Podemos ter sempre a Sua luz conosco.

Isaías, um grande profeta do Velho Testamento, profetizou: “E acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do Senhor no cume dos montes, e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações”.1 Referindo-se aos cidadãos dessas nações, o Presidente John Taylor disse: “Eles virão dizendo que nada sabem sobre os princípios de nossa religião, mas que perceberam que somos uma comunidade honesta; que ministramos a justiça e a retidão”.2

Tirar Das Trevas

Quando Salt Lake City sediou as Olimpíadas de Inverno de 2002 e os Jogos Paraolímpicos, vimos o cumprimento de muitas profecias. As nações da Terra e muitos de seus líderes vieram para cá. Eles nos viram servindo juntamente com nossos amigos e vizinhos de outras religiões. Viram a luz em nossos olhos e sentiram nosso aperto de mão. “O monte da casa do Senhor”3, com suas torres iluminadas, foi visto por 3,5 bilhões de pessoas em todo o mundo. As nações ouviram o glorioso som deste Coro do Tabernáculo. Centenas de milhares assistiram a uma apresentação ao vivo neste auditório, intitulada Luz do Mundo: Celebração da Vida — O Espírito do Homem, a Glória de Deus, que incluía uma declaração de nossa crença em Jesus Cristo. Expresso humilde agradecimento por estes e outros meios pelos quais A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias continua a ser tirada “da obscuridade e das trevas”.4

Durante as Olimpíadas houve muitas manifestações de luz, como a tocha olímpica; o Filho da Luz; e o tema “Acenda a Luz Interior”.5 Talvez a luz mais memorável tenha sido a que se viu nos olhos dos próprios competidores. Mas o que nos tocou não foi a competição nem o espetáculo. Foi a profunda verdade que essas coisas simbolizavam: A fonte da luz que existe dentro de cada um de nós.

Nesta manhã, dirijo-me aos que perguntaram: “O que foi a luz que vi e senti? De onde ela veio? Como posso tê-la para mim mesmo e para meus entes queridos para sempre?”

A Luz de Cristo E o Dom do Espírito Santo

Todos trazemos uma luz para a Terra, a Luz de Cristo. “Eu sou a verdadeira luz que ilumina todo homem que vem ao mundo”6, disse o Salvador.

“A luz que está em todas as coisas, que dá vida a todas as coisas.”7

Essa luz que “convida e impele a fazer o bem continuamente”8 é “concedida a todos os homens, para que eles possam distinguir o bem do mal”.9

Usando a luz de Cristo para discernir e escolher o certo, podemos ser conduzidos a uma luz ainda maior: O dom do Espírito Santo. Testifico que por meio da Restauração do evangelho e do santo sacerdócio de Deus, os discípulos de Jesus Cristo nestes últimos dias têm o poder de conceder o dom do Espírito Santo. Ele é concedido pela imposição das mãos daqueles que possuem a autoridade do sacerdócio, e é recebido por aqueles que seguiram os princípios da fé e do arrependimento e que receberam a ordenança do batismo por imersão para a remissão dos pecados.

O Espírito Santo é o terceiro membro da Trindade, um ser de espírito.10 Ele é o Consolador, o Espírito de Deus, o Santo Espírito da Promessa. Ele presta testemunho de Jesus Cristo, Sua obra e o trabalho de Seus servos sobre a Terra. Ele age como um agente purificador para limpar-nos e santificar-nos do pecado.11 O direito à companhia constante Dele é um dos maiores dons que podemos receber na mortalidade, porque por meio da luz de Seu sussurro e Seu poder purificador podemos ser conduzidos de volta à presença de Deus. 12

Trevas E Luz

Quando éramos crianças, aprendemos a afastar as trevas acendendo a luz. Às vezes, quando nossos pais não estavam em casa à noite, chegávamos a acender todas as luzes da casa! Compreendemos esta lei física que também é uma lei espiritual: A luz e as trevas não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo.

A luz afasta as trevas. Quando a luz está presente, as trevas são vencidas e precisam partir. Mais importante, as trevas não podem conquistar a luz a menos que a luz seja reduzida ou se afaste. Quando a luz espiritual do Espírito Santo está presente, as trevas de Satanás se afastam.

Amados rapazes e moças da Igreja, estamos participando de uma batalha entre as forças da luz e das trevas. Se não fosse pela Luz de Jesus Cristo e Seu evangelho, estaríamos condenados à destruição. Mas o Salvador disse: “Eu sou a luz que vim ao mundo”.13 “Quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.”14

O Senhor é nossa luz e, literal-mente, nossa salvação.15 Como o fogo sagrado que envolveu as crianças em 3 Néfi, 16 Sua luz formará um escudo de proteção separando-nos das trevas do adversário, se formos dignos de merecê-la. Vocês precisam dessa luz. Estudem cuidadosamente as escrituras e o livreto Para o Vigor da Juventude e ouçam os ensinamentos de seus pais e líderes. Então, pela obediência a seus sábios conselhos, aprendam a desfrutar a luz protetora do evangelho em sua vida.

Vocês podem se perguntar: “Como faço isso?” Há apenas um meio: Vocês precisam aprender a gerar essa luz a cada dia, crendo em Jesus Cristo e seguindo Seus mandamentos.

Gerar a Luz

No inverno passado, tive a oportunidade de aprender um pouco mais sobre meus pulmões. Fiquei bem ciente de que não podemos armazenar oxigênio. Não podemos guardar o ar que precisamos respirar, não importa o quanto tentemos. A cada momento, a cada respiração, nossa vida precisa ser renovada. O mesmo acontece com a luz espiritual. Ela precisa ser renovada em nós de modo constante. Precisamos gerá-la dia a dia, pensamento por pensamento, e agindo com retidão a cada dia, se quisermos manter afastadas as trevas do adversário.

Quando eu era menino, costumava voltar para casa de bicicleta do treino de basquete. Eu conectava um pequeno gerador à roda da minha bicicleta. Então, quando eu pedalava, a roda fazia girar um pequeno rotor, que produzia eletricidade e emitia um facho de luz. Era um mecanismo simples porém eficaz. Mas eu precisava pedalar para fazê-lo funcionar! Aprendi rapidamente que se eu deixasse de pedalar minha bicicleta, a luz se apagava. Também aprendi que quando estava “ocupando-me zelosamente”17 em pedalar, a luz se tornava mais intensa, e a escuridão à frente era dissipada.

A geração de luz espiritual provém do esforço constante em mantermos diariamente a nossa espiritualidade. Provém da oração, do estudo das escrituras, do jejum, do serviço ao próximo, da aplicação prática do evangelho e da obediência aos mandamentos. “Aquele que guarda seus mandamentos recebe verdade e luz”18, disse o Senhor, “e aquele que recebe luz e persevera em Deus recebe mais luz; e essa luz se torna mais e mais brilhante, até o dia perfeito”.19 Irmãos e irmãs, esse dia perfeito será quando estivermos na presença de Deus, o Pai, e de Jesus Cristo.

Às vezes as pessoas perguntam: “Por que tenho que ir à reunião sacramental?” ou “Por que preciso viver a Palavra de Sabedoria e pagar o dízimo?” “Por que não posso viver um pouco no mundo?” Posso dizer-lhes o por quê? Porque para pedalarmos espiritualmente precisamos dos dois pés! A menos que vocês estejam plenamente empenhados em viver o evangelho, de todo o “coração, mente e força”20, não conseguirão gerar suficiente luz espiritual para afastar as trevas.

E neste mundo, as trevas nunca estão muito distantes. Na verdade, estão sempre bem próximas de nós, esperando a oportunidade para entrarem em nossa vida. “Se não fizeres bem, o pecado jaz à porta”, disse o Senhor. 21

Isso é tão previsível quanto qualquer lei física: Se deixarmos que a luz do Espírito falhe ou se apague por deixarmos de guardar os mandamentos, de tomar o sacramento, de orar ou de estudar as escrituras, as trevas do adversário certamente virão. “E vem o ser maligno e tira a luz e a verdade dos filhos dos homens pela desobediência”.22

Lemos nas escrituras que algumas pessoas “nas trevas andam às apalpadelas sem terem luz” e a “desatinar como ébrios”.23 Se seguirmos tropeçando pelo caminho, podemos nos acostumar com a falta de luz a nosso redor, esquecendo quão glorioso é caminhar na luz.

O Caminho Para a Luz

Existe um meio de sairmos das “névoas de escuridão”24 para o caminho que conduz à alegria na vida e a vida eterna no mundo vindouro. O Senhor disse a Isaías “Guiarei os cegos pelo caminho que nunca conheceram, fá-los-ei caminhar pelas veredas que não conheceram; tornarei as trevas em luz perante eles”.25

O profeta Néfi descreveu o caminho: “Portanto, meus amados irmãos, sei que, se seguirdes o Filho com todo o coração, agindo sem hipocrisia e sem dolo diante de Deus, mas com verdadeira intenção, arrependendo-vos de vossos pecados, testemunhando ao Pai que estais dispostos a tomar sobre vós o nome de Cristo pelo batismo (…) então recebereis o Espírito Santo; sim, então vem o batismo de fogo e do Espírito Santo”.26

O convênio que fazemos no batismo e renovamos quando tomamos o sacramento — tomar sobre nós o nome de Cristo, sempre lembrar-nos Dele e guardar Seus mandamentos — inclui a promessa de que teremos Seu Espírito sempre conosco.27 Os emblemas da Expiação do Salvador nos relembram que não precisamos tropeçar na escuri-dão. Podemos ter sempre a Sua luz conosco.

“Assim Resplandeça a Vossa Luz”

Tendo sido criado em Long Island, Nova York, compreendi como a luz é vital para os que viajam na escuridão para o alto mar. Quão perigoso é um farol apagado! Quão devastador é um farol cuja luz se apagou!

Nós que temos o dom do Espírito Santo precisamos ser fiéis a seus sussurros de modo que possamos ser uma luz para as pessoas.

“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens”, disse o Senhor, “para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus”. 28

Não sabemos quem pode estar precisando de nós. E como disse o Salvador, “não sabeis se eles irão voltar e arrepender-se e vir a mim com toda a sinceridade de coração e eu irei curá-los; e sereis vós o meio de levar-lhes salvação”.29

Um Testemunho Especial De Sua Luz

Agora, irmãos e irmãs, nesta grande e última batalha entre a luz e as trevas, sinto-me grato pela oportunidade de “[suportar] as aflições, como (…) soldado de Jesus Cristo”.30 Juntamente com Paulo, eu declaro: “A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz”. 31 Presto meu especial testemunho de que Jesus Cristo “é a luz e a vida do mundo; sim, uma luz sem fim, que nunca poderá ser obscurecida”.32

Ele é a luz de Belém, nascido de Maria, Sua mãe mortal, e Seu Pai, o Deus Todo-Poderoso.

Ele é a luz que foi batizada por imersão, por João Batista, sobre quem o Espírito Santo Se manifestou em Espírito como uma pomba que descia.

Ele é a luz em quem o Seu Pai Se comprazia.

Ele é a luz e o cabeça da antiga Igreja, organizada com doze apóstolos, profetas e setentas.

Ele é a luz da Expiação cumprida no Jardim do Getsêmani e no Gólgota, que tomou sobre Si os pecados do mundo, para que toda a humanidade pudesse alcançar a salvação eterna.

Ele é a luz do sepulcro vazio, o Senhor ressuscitado com um corpo glorificado de carne e ossos, que rompeu as cadeias da morte e conquistou uma vitória eterna sobre a sepultura.

Ele é a luz que ascendeu ao céu perante os olhos de Seus discípulos, com a promessa de que voltaria da mesma forma.

Ele é a Luz que apareceu com Seu Pai e restaurou, por intermédio do Profeta Joseph Smith, a mesma Igreja que Ele estabelecera durante Seu ministério terreno.

Ele é a luz que guia e dirige esta Igreja atualmente, por meio de revelação a um profeta, seus conselheiros e os Doze Apóstolos.

Ele é a minha luz, meu Redentor, meu Salvador, e também de vocês.

Sei que Deus vive. Sei que Ele nos chamou “das trevas para sua maravilhosa luz”.33 Oro para que a luz de Seu evangelho restaurado continue a se espalhar por todo o mundo de modo que todos tenham a oportunidade de ouvir e escolher, e que Sua Igreja “saia do deserto da escuridão e resplandeça formosa como a luz, brilhante como o sol”, para que Sua “glória encha a Terra”.34

Em nome de Jesus Cristo. Amém.