2000–2009
Que Firme [É o Nosso] Alicerce
anterior seguinte

Que Firme [É o Nosso] Alicerce

O alicerce da nossa fé individual, se edificado na verdade eterna, permite que cada um de nós alcance níveis sempre mais elevados, segundo uma perspectiva eterna.

Há cerca de vinte anos, quando estava para ser construído um templo na Cidade do México, os arquitetos defrontaram-se com um grande desafio. A Cidade do México situa-se sobre uma área cujas camadas, subterrâneas têm muita água. Por isso, alguns de seus edifícios movimentam-se e inclinam-se com o passar do tempo. A construção do templo naquele lugar exigia um tipo específico de alicerce. Duzentas e vinte e uma estacas enormes, de concreto armado1 foram fincadas a uma profundidade superior a 30 metros. Sobre essas estacas, correias de aço foram lançadas e afixadas a uma unidade que pode ser ajustada, se for necessário nivelar o prédio.2 É sobre esse alicerce invisível mas seguro, que o templo encontra-se erguido e está firme.

É preciso um firme alicerce para que qualquer edifício, instituição ou pessoa subsista. Tendo isso em mente, vamos tecer algumas considerações sobre o alicerce d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Depois, veremos como o sólido alicerce da Igreja suporta o nosso alicerce de fé enquanto indivíduos na Igreja.

I. O Alicerce De a Igreja De Jesus Cristo Dos Santos Dos Últimos Dias

Esta Igreja apóia-se em um único alicerce, firmemente fincado nos princípios da verdade eterna. Irmãos e irmãs, a causa sagrada que defendemos não teve início em 1820 no Estado de Nova York. Também não teve início em Belém. Tampouco no Jardim do Éden. A fundação do evangelho eterno já existia antes mesmo de o mundo existir.

Essa realidade é repetidamente afirmada nos escritos sagrados. Eu estudei as escrituras quanto às partes que se referem à eternidade antes da formação da Terra. Não se preocupem. Não vou citá-las todas. Mas incluirei algumas dessas citações no texto escrito desta mensagem. Essas verdades invisíveis e eternas constituem as “estacas pré-mortais” que suportam o alicerce desta Igreja.

O Plano de Redenção e a Possibilidade de Progênie no Reino de Deus

Antes mesmo da fundação da Terra, o plano de salvação já estava pronto.3 Nele estava incluída a possibilidade de termos uma progénie divina no reino de Deus.4

A Expiação de Jesus Cristo

O centro desse plano era o Sacrifício Expiatório de Jesus Cristo. Nos conselhos pré-mortais, Ele foi preordenado por Seu Pai para expiar por nossos pecados e romper as ligaduras da morte física e espiritual.5 Jesus declarou: “Eu (…) [fui] preparado desde a fundação do mundo para redimir meu povo. (…) Em mim toda a humanidade terá vida e tê-la-á eternamente, sim, aqueles que crerem em meu nome”.6 Mais tarde, Paulo acrescentou que a Igreja está “[edificada] sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina”.7

A Oposição do Adversário

Antes mesmo da formação do mundo, o Senhor foi confrontado por Satanás.8 Ele e seus seguidores sempre lutaram contra a obra sagrada do Salvador e sempre continuarão a fazê-lo.

A Préordenação ao Sacerdócio e Seu Recebimento

Antes da fundação do mundo, existíamos como filhos espirituais ao lado de nosso Pai Celeste. Entre nós havia homens nobres e grandes, preordenados para portar o sacerdócio.9 Abraão10, Jeremias11, Joseph Smith12 e outros13 foram designados a tornar-se profetas de Deus. Foi predito também que o sangue dos profetas seria derramado nesta causa sagrada.14 A maneira de conferir o sacerdócio deveria ser pelos pais “desde o princípio do tempo, (…) ou seja (…) antes da fundação da Terra”.15

Às Irmãs o Poder de Glorificar a Deus

As irmãs receberam dons espe-ciais. Segundo o Senhor, elas receberam o poder de “multiplicar e encher a Terra, de acordo com meu mandamento, e para cumprir a promessa feita por meu Pai antes da fundação do mundo, (…) para sua exaltação nos mundos eternos, a fim de gerar as almas dos homens; pois nisso se perpetua a obra de meu Pai, para que ele seja glorificado”.16 Pensem nisso: Quando a mãe dá à luz e cria um filho, ela não só ajuda a Terra a cumprir o fim de sua criação17, mas glorifica a Deus!

Os Filhos do Convênio

Os filhos do convênio foram designados no reino pré-mortal. Paulo ensina-nos que o Senhor “nos elegeu nele antes da fundação do mundo”.18

As Bênçãos Baseadas na Obediência à Lei

Depois, foram estabelecidas as condições que nos permitem receber as bênçãos de Deus — que nos vêm pela obediência às leis nas quais elas se baseiam.19

Coisas Sagradas a Serem Reveladas nos Últimos Dias

Outra estaca corresponde às revelações reservadas para os últimos dias. O Senhor há muito planejou revelar “coisas ocultas desde a fundação do mundo”.20 Essas coisas incluíam revelações registradas no Livro de Mórmon.21 Também incluíam as ordenanças e os convênios do santo templo.22 O Senhor declarou ao Profeta Joseph Smith: “digno-me revelar a minha Igreja coisas que têm sido mantidas ocultas desde antes da fundação do mundo, coisas pertinentes à dispen-sação da plenitude dos tempos”.23

A Redenção dos Mortos

O Senhor revelou que “a ordenança do batismo pelos mortos (…) foi instituída desde antes da fundação do mundo”.24 A salvação foi, assim, colocada à disposição “dos que morressem sem conhecimento do evangelho”.25 Um elo entre as gerações foi providenciado para que uma total, completa e perfeita união e fusão de dispensações e chaves e poderes e glórias ocorram e sejam reveladas.26

Irmãos e irmãs, essas estacas invisíveis mas seguras foram colocadas antes da existência do mundo. Elas suportam o evangelho eterno — agora restaurado em sua plenitude.27 Tendo um alicerce como esse, esta Igreja não será movida de seu lugar28, mesmo durante o milênio.29

II. O Alicerce Dos Membros Da Igreja

Assim como edifícios e instituições têm alicerces, nós como indivíduos também temos alicerces que sustentam a nossa fé. Alguns são fracos, outros fortes. Podemos ficar em dúvida, “como a onda do mar, que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte”30, ou podemos permanecer sobre um firme alicerce e prender-nos nele com correias de aço espiritual, ficando arraigados e edificados nas estacas eternas do evangelho.31

O Presidente Gordon B. Hinckley pediu que os novos conversos fossem amparados na Igreja por meio de um amigo, um chamado, e que fossem nutridos pela boa palavra de Deus.32 Sempre cantamos “Que firme alicerce, ó santos do Senhor/ Tereis pela fé em Jesus, o Salvador”!33 Quando recebemos o alimento da palavra de Deus, banqueteamo-nos com Seu amor.34

Lembrem-se: “É sobre a rocha de nosso Redentor, que é Cristo, o Filho de Deus, que deveis construir os vossos alicerces; para que, quando o diabo lançar a fúria de seus ventos, (…) quando todo o seu granizo e violenta tempestade vos açoitarem, isso não tenha poder para vos arrastar ao abismo da miséria e angústia sem fim, por causa da rocha sobre a qual estais edificados, que é um alicerce seguro”.35

Mesmo os firmes alicerces não podem evitar os problemas da vida. O desvio dos filhos causa sofrimento aos pais. Algumas famílias divididas não se juntam mais. Um estado [permanente ou temporário] de confusão quanto à identidade sexual é mal-compreendido. Jovens casais, seja qual for o motivo, não têm a bênção de ter filhos. Mesmo nos dias de hoje, “os culpados e iníquos são deixados impunes por causa de seu dinheiro”.36 Há coisas que não nos parecem justas.37

Com um firme alicerce, entretanto, estaremos mais bem preparados para buscar a ajuda do Senhor, mesmo quando nos depararmos com perguntas cujas respostas são difíceis. Disse o poeta:

Quem és Tu eu não sei,

Mas isto, ao menos, posso dizer:

As Plêiades, em fileira prateada,

Fizeste ascender.

Ordenaste ao vento indomável

Que seu próprio caminho escolhesse;

E, de cores, entre o dia e a noite,

Que um muro se erguesse.

Às estrelas deste o resplendor

E às flores o desabrochar;

E nos ricos veios das minas,

Raras gemas vieste ocultar;

Notável, porém, em Tua obra esplendorosa,

E suprema em todo o Teu plano,

É a busca da perfeição que puseste

No coração humano.38

Embora não saibamos todas as coisas39, sabemos que Deus vive e que nos ama40. Permanecendo nesse firme alicerce, podemos buscar e obter a força necessária para suportar os pesados fardos de nossa vida.

Por exemplo, presto tributo às almas notáveis que enfrentam os problemas da paternidade com fé inabalável em seu Criador. Um casal muito querido de nossa família recentemente teve um filho. A criança nasceu com uma série de anomalias que afetavam praticamente todos os sistemas de seu pequeno corpo. Precisou ser submetido a duas cirurgias em sua primeira semana de vida. E ainda outras serão necessárias. Quando fui conversar com os pais do pequenino, não perguntaram: “Por que isso aconteceu conosco”? Ao contrário, disseram: “Sabemos que este filho estava reservado para nós. Deus nos confiou este bebezinho especial. Nós o amaremos e cuidaremos dele da melhor forma possível”. Agradeço ao Senhor por esses pais!

Não faz muito tempo, a morte ceifou a vida do marido de uma amiga nossa, repentinamente, sem qualquer aviso. A declaração a seguir, feita pela viúva, foi redigida por sua própria irmã: “Ao analisar estes últimos anos e dias, ela reconheceu maravilhada algumas habilidades e experiências específicas que um Pai amoroso colocou em sua vida, coisas que poderiam parecer circunstanciais na ocasião, mas que a prepararam especificamente para sobrepujar essa perda devastadora. Em vez de sentir-se abandonada, cheia de amargura, sen-tiu-se acalentada e confortada. (…) Disse-me ela: ‘Quando vejo a maneira cuidadosa como o Pai Celestial preparou e planejou minha situação presente, como eu poderia sentir medo do futuro? Com certeza Ele está preparando hoje todas as coisas de que necessitarei para enfrentar o que ainda está para vir’”.41

Recebi de um missionário uma carta que jamais esquecerei. Nela, ele diz: “Ainda não tenho certeza do motivo pelo qual fui acometido de câncer, particularmente durante o período em que estava servindo ao Senhor em uma missão, mas posso dizer com toda a honestidade e sinceridade que sou eternamente grato a nosso misericordioso Pai Celestial por ter-me permitido passar por essa experiência. (…) Não há um dia sequer”, ele continua, “em que eu não reflita sobre os dias em que fiquei internado no hospital, submetendo-me à quimioterapia ou contorcendo-me em dor devido a uma nova cirurgia. (…) Nenhum dia se passa sem que eu pense nos dias que passei estudando as escrituras, especialmente do Livro de Mórmon, sem que me lembre da profusão de sentimentos de conforto e paz que experimentei. Penso sempre nas noites em que me recolhia ao meu quarto e abria a alma ao Pai Celestial e Lhe agradecia por preservar-me a vida”. Depois, esse Élder compartilha mais esta notícia maravilhosa: “Voltei ao consultório médico esta semana (…) e (…) ele não conseguiu encontrar qualquer vestígio da doença em meu corpo”.42 Tenho um grande amor por esses fiéis missionários!

Quão firme é o nosso alicerce? O alicerce desta Igreja foi feito muito antes de o mundo existir. Ele é forte. É verdadeiro. É eterno. O alicerce da nossa fé individual, se edificado na verdade eterna, permite que cada um de nós alcance níveis sempre mais elevados, segundo uma perspectiva eterna.43 É essa fé que trará esperança quando não houver esperança. E nos dará alegrias no presente, e a vida eterna no futuro. Disso eu testifico, em nome de Jesus Cristo. Amém.